Crespo tem terceiro pior aproveitamento entre últimos 10 técnicos do São Paulo no Brasileirão

São Paulo, SP

13-10-2021 06:00:12

Hernán Crespo vive seu momento de maior contestação desde que chegou no São Paulo. Sob o comando do treinador, o Tricolor paulista está a quatro pontos do Z4 do Campeonato Brasileiro e somou apenas uma vitória nos últimos 10 jogos. Com o empate com o Cuiabá na segunda-feira, o argentino tem o terceiro pior aproveitamento entre os últimos 10 técnicos do clube na competição nacional.

Até o momento, Crespo tem 40% de aproveitamento em partidas pelo Brasileirão, com 6 vitórias, 12 empates e 7 derrotas. Entre os últimos comandantes que passaram pelo Morumbi, apenas André Jardine, em 2018, e Rogério Ceni, em 2017, tiveram números inferiores.


Jardine assumiu o São Paulo no fim de 2018, após a demissão de Diego Aguirre. Após três jogos no comando de forma interina, o atual treinador da Seleção Brasileira Sub-23 foi efetivado. Ao todo, foram cinco partidas, conquistando uma vitória, dois empates e duas derrotas, obtendo 33,33% de aproveitamento.

Ceni também teve o mesmo aproveitamento, mas esteve à frente da equipe nos 11 primeiros compromissos do Campeonato Brasileiro de 2017. Foram três triunfos, dois empates e seis derrotas.

A média de gols por jogo de Crespo pelo Brasileirão ainda é a pior entre os últimos 10 técnicos do São Paulo. Foram apenas 20 tentos nos 25 confrontos, média de 0,8. Jardine também tem a mesma média, com quatro bolas na rede em cinco partidas.

O São Paulo volta a campo na quinta-feira para enfrentar o Ceará, às 19 horas (de Brasília), no Morumbi. O Tricolor vem de cinco empates seguidos.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Confira números dos últimos 10 técnicos do São Paulo pelo Campeonato Brasileiro:

Hernán Crespo: 25 jogos, 6 vitórias, 12 empates, 7 derrotas, 20 gols marcados, 25 gols sofridos, 40% de aproveitamento;

Fernando Diniz: 50 jogos, 24 vitórias, 14 empates, 12 derrotas, 69 gols marcados, 51 gols sofridos, 57,33% de aproveitamento;

Cuca: 21 jogos, 9 vitórias, 8 empates, 4 derrotas, 23 gols marcados, 15 gols sofridos, 55,55% de aproveitamento;

André Jardine: 5 jogos, 1 vitória, 2 empates, 2 derrotas, 2 gols marcados, 4 gols sofridos, 33,33% de aproveitamento;

Diego Aguirre: 33 jogos, 15 vitórias, 13 empates, 5 derrotas, 44 gols marcados, 30 gols sofridos, 58,58% de aproveitamento;

Dorival Júnior: 26 jogos, 10 vitórias, 9 empates, 7 derrotas, 36 gols marcados, 35 gols sofridos, 50% de aproveitamento;

Rogério Ceni: 11 jogos, 3 vitórias, 2 empates, 6 derrotas, 10 gols marcados, 11 gols sofridos, 33,3% de aproveitamento;

Ricardo Gomes: 16 jogos, 5 vitórias, 5 empates, 6 derrotas, 16 gols marcados, 14 gols sofridos, 41,66% de aproveitamento;

Edgardo Bauza: 18 jogos, 6 vitórias, 5 empates, 7 derrotas, 19 gols marcados, 19 gols sofridos, 42,59% de aproveitamento;

Doriva: 5 jogos, 2 vitórias, 1 empate, 2 derrotas, 8 gols marcados, 7 gols sofridos, 46,66% de aproveitamento.

*Não foram considerados aqueles que comandaram o São Paulo apenas de forma interina.

Deixe seu comentário