Há 20 anos, Palmeiras eliminava o Corinthians nos pênaltis e chegava à final da Libertadores

São Paulo, SP

06/06/20 | 07:30 - 05/06/20 | 22:00

O dia 6 de junho de 2000 é uma das datas mais recordadas da história recente do Palmeiras. Na ocasião, o Alviverde derrotou o Corinthians na semifinal da Libertadores, garantindo vaga na decisão do torneio após uma partida eletrizante no Morumbi decidida na disputa de pênaltis.

O Derby aconteceu um ano após o Palmeiras ter eliminado o Alvinegro nas quartas de final da Libertadores, também nas penalidades. Em 2000, o Corinthians venceu o Verdão por 4 a 3 no jogo de ida, obrigando os comandados de Felipão a focarem única a exclusivamente no triunfo na partida de volta para avançar à final.


Em um primeiro tempo disputado, as duas equipes balançaram as redes. Júnior cruzou e encontrou Euller, que dominou e finalizou cruzado para vencer Dida e abrir o placar para o Palmeiras. Cinco minutos depois, Marcelinho Carioca bateu escanteio e Luizão testou para as redes, deixando tudo igual.

Na segunda etapa, o Corinthians marcou o segundo com Luizão, que chutou rasteiro após passe de Edílson. Roque Júnior tentou tirar, mas acabou atrapalhando Marcos. No entanto, o Palmeiras não se abalou e buscou o empate com Alex, completando o passe preciso de Euller. Obstinado, o Verdão permaneceu no ataque e virou com Galeano, de cabeça, aos 26 minutos. O volante testou para as redes após cruzamento de Alex e levou a decisão para os pênaltis.

Marcelo Ramos, Roque Júnior, Alex, Asprilla e Júnior foram precisos e converteram suas cobranças pelo Palmeiras. Do lado Alvinegro, Ricardinho, Fábio Luciano, Edu e Índio acertaram o alvo, deixando o pênalti decisivo nos pés de Marcelinho Carioca. O meia bateu forte no canto direito, porém Marcos saltou e espalmou a bola, garantindo o Verdão na final da Libertadores e eliminando o rival.

Na grande decisão do torneio continental, o Palmeiras enfrentou o Boca Juniors. Na partida de ida, na Argentina, as equipes empataram em 2 a 2. No jogo de volta, mais um empate, dessa vez sem gols, levou a definição do título para as penalidades. Asprilla e Roque Júnior perderam do lado Alviverde e o time de Buenos Aires sagrou-se campeão.

Deixe seu comentário