Defesa de Mallu cita lei Maria da Penha e rejeita comparação com caso Najila

Bruno Ceccon - São Paulo,SP

25-06-2020 15:07:30

Mallu Ohanna acusa Dudu de tê-la agredido na última segunda-feira, versão negada pelo jogador do Palmeiras. Por meio de nota oficial publicada nesta quinta, o escritório responsável pela defesa da ex-esposa do atleta cita a lei Maria da Penha e rejeita comparações com o caso Najila Trindade, que acusou Neymar de estupro em 2019.

“Ao contrário do que o Eduardo tenta induzir, alegando que ela cometeu crime de Denunciação Caluniosa, chegando a comparar seu caso com o do Neymar e Najila Trindade, Mallu não cometeu o referido crime, mas Eduardo infringiu quatro formas de violência contra Mallu, tipificadas na lei Maria da Penha”, diz a nota, assinada pelo escritório Gentili e Sobreira Advogados Associados.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

O comunicado informa que, acompanhada por seus advogados e por testemunhas do episódio, Mallu Ohanna na última quarta-feira prestou esclarecimentos por mais de 11 horas na 9ª Delegacia de Defesa da Mulher. A defesa requereu as imagens de todo o circuito interno do condomínio e crê que o material comprovará sua tese.

“Não se tratam apenas das agressões físicas sofridas por Mallu na última segunda feira, mas de um relacionamento abusivo que sofreu durante os 11 anos em que viveu com o Eduardo, sendo agressões físicas, verbais, psicológicas e patrimoniais”, diz a nota.

De maneira voluntária, Dudu esteve na delegacia na última terça-feira e, em rápida entrevista concedida na saída do local, reafirmou a própria inocência. O Palmeiras, em nota, avisou que planeja acompanhar o assunto até a conclusão das investigações, mas já se disse contra atos que atentem “contra a dignidade humana”.

Por conta da acusação de agressão de sua ex-esposa, Dudu perdeu a representação do Palmeiras, realizada na última terça-feira. Ele esteve na Academia de Futebol no dia seguinte, mas não foi incluído na série de imagens das atividades publicadas pelo clube.

Veja na íntegra a nota publicada pelos advogados de Mallu Ohanna:

"No dia 24 de junho do ano corrente, Mallu Ohanna acompanhada dos seus advoga dos e das testemunhas que presenciaram as agressões, prestaram esclarecimentos por mais de 11h00 na 09ª Delegacia de Defesa da Mulher. A defesa requereu as imagens de todo o circuito interno do condomínio, as quais comprovarão as agressões sofridas por Mallu no interior do condomínio.

Ao contrario do que o Eduardo tenta induzir, alegando que ela cometeu crime de Denunciação Caluniosa, chegando a comparar seu caso com o do Neymar e Najila Trindade. Mallu não cometeu o referido crime, mas Eduardo infringiu quatro formas de violência contra Mallu, tipificadas na lei Maria da Penha nº 11.340/2006.

Como já informado por Mallu Ohanna, no programa do José Luiz Datena, no último dia 23/06, o Eduardo foi condenado no ano de 2013 à pena de prestação de serviço à comunidade por ter agredido Mallu e sua mãe Tatiana.

Não se tratam apenas das agressões físicas sofridas por Mallu na última segunda feira, mas de um relacionamento abusivo que sofreu durante os onze anos em que viveu com o Eduardo, sendo agressões físicas, verbais,
psicológicas e patrimoniais.

Seguiremos lutando em busca da justiça e da verdade".

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Palmeiras?