Com auxílio de vídeo e confusão no fim, México vira sobre a Nova Zelândia

São Paulo, SP

21-06-2017 16:59:09

Quem pensou que a seleção mexicana teria uma quarta-feira tranquila enfrentando a Nova Zelândia se enganou. Com oito jogadores diferentes em relação à escalação adotada no empate em 2 a 2 contra Portugal, o técnico Juan Carlos Osorio não teve sucesso na intenção de poupar os principais nomes da equipe e sofreu no primeiro tempo, quando apenas os neozelandeses levaram perigo e conseguiram marcar um gol. Já no segundo tempo, com algumas alterações, o México melhorou e conseguiu a virada para evitar o vexame em Sochi e sair de campo com o triunfo por 2 a 1, gols de Wood, Jiménez e Peralta.

Nos minutos finais os jogadores mexicanos e neozelandeses ainda se envolveram em uma confusão generalizada. Com o auxílio do vídeo, o árbitro da partida deu cartão amarelo para Reyes e Boxall, considerados os responsáveis pelo início do conflito.

Com quatro pontos, o México ultrapassou Portugal no saldo de gols e assumiu a liderança do Grupo A da Copa das Confederações. O time latino fecha a fase inicial no próximo sábado, contra a Rússia, dona da casa, que precisa de uma vitória para avançar.

Já a Nova Zelândia, também no sábado, terá pela frente a melhor equipe do grupo: Portugal. Depois de perder para a Rússia na estreia e empatar com o México, o time do técnico Anthony Hudson não tem mais chances de se classificar, entretanto, planeja dificultar a vida dos atuais campeões europeus para, ao menos, encerrar sua participação no campeonato com dignidade.

O jogo – O primeiro tempo foi marcado pela irreconhecível seleção do México. Embora tenha entrado em campo com um time completamente diferente do que empatou com Portugal, o técnico Juan Carlos Osorio não conseguiu neutralizar o ataque neozelandês, que teve bastante liberdade para chegar com perigo à meta de Talavera.

Logo aos oito minutos McGlinchey cobrou falta na área, Boxall escorou de cabeça, mas Smith não conseguiu chegar antes que Reyes para finalizar. Já aos 19 foi a vez de Smith assustar Talavera com uma boa cabeçada, obrigando o goleiro a se esticar para fazer a defesa.

Já na segunda metade da primeira etapa Wood, o homem de área da Nova Zelândia, resolveu aparecer. Aos 26 minutos o atacante aproveitou que Salcedo caiu na área, recebeu livre na cara do gol, mas viu Talavera fazer uma excelente defesa. Ele só se redimiu aos 41, pouco antes de ir para o intervalo, aproveitando falha de Araújo, que deu um passe para Lewis acionar Wood, que precisou apenas deslocar o goleiro e abrir o placar.

No segundo tempo o México mudou totalmente sua postura e somente nos primeiros dez minutos criou mais chances do que na etapa inicial inteira. Logo aos quatro minutos Aquino bateu cruzado, forçando Marinovic a fazer grande defesa. Na sequência, Giovanni dos Santos arrematou por cima do gol.

Seguindo pressionando a seleção neozelandesa, o time de Osorio, enfim, foi recompensado com o empate aos nove minutos, quando Raúl Jiménez, recebendo de costas para o gol, girou e bateu forte no ângulo, sem chances para Talavera.

 Após o empate, a Nova Zelândia diminuiu o campo de ação do México e voltou a ter uma presença mais ativa no ataque. Sem nada a perder, o país da Oceania abusou das bolas aéreas levando em conta a superioridade de estatura em relação aos rivais.

A reação neozelandesa durou pouco tempo e aos 27 minutos Peralta, enfim, colocou a bola no fundo das redes para virar a partida para o México. Aquino levou para a linha de fundo e deu grande passe para o atacante dentro da área, que chutou forte para vencer o goleiro Marinovic.

Nos minutos finais ambas as equipes ainda tiveram tempo para levar muito perigo e protagonizarem uma grande discussão em campo. Com o auxílio do vídeo, o árbitro da partida advertiu Boxall e Reyes com cartão amarelo, mas após o apito final os atletas se contiveram.

FICHA TÉCNICA
MÉXICO 2 X 1 NOVA ZELÂNDIA

Local: Estádio Olímpico de Sochi, em Sochi (Rússia)
Data: 21 de junho de 2017, quarta-feira
Horário: 15h (de Brasília)

Cartões amarelos:  Ryan Thomas e Boxall (Nova Zelândia); Reyes (México)
GOLS: Wood, aos 41 minutos do 1ºT (Nova Zelândia); Raúl Jiménez, aos nove minutos do 2ºT, e Peralta, aos 27 minutos do 2ºT (México)

MÉXICO: Talavera; Alanís (Hector Herrera), Araújo e Salcedo (Hector Moreno) (Rafa Márquez); Reyes, Aquino, Damm, Fabián e Giovanni dos Santos; Peralta e Jiménez
Técnico: Juan Carlos Osorio

NOVA ZELÂNDIA: Marinovic; Dane Ingham (Patterson), Smith, Durante, Boxall e Wynne; Lewis (Tuiloma), McGlinchey, Thomas; Rojas (Barbarouses) e Wood
Técnico: Anthony Hudson

Deixe seu comentário