Corinthians planeja repetir estratégia e sonha alto com 2022; saiba detalhes

Tiago Salazar - São Paulo,SP

03-09-2021 06:00:42

A estratégia adotada pelo Corinthians nesta temporada deve ser repetida no planejamento da diretoria alvinegra para 2022, mas de maneira mais ambiciosa.

A Gazeta Esportiva apurou que o clube espera abrir mais espaço no elenco, seja com vendas ou empréstimos de atletas, para atacar o mercado, novamente. O plano vai ganhar força, claro, principalmente após o término do Campeonato Brasileiro, mas já está traçado.

A intenção é enxugar a folha salarial e, assim, criar condição para que novos reforços pontuais sejam contratados.

Depois de trazer Giuliano, Renato Augusto, Roger Guedes e Willian, o Timão quer dar ao grupo de Sylvinho, pelo menos, mais duas ou três opções importantes, que cheguem com status de titular e sejam aproveitadas em uma base sólida, construída durante todo esse segundo semestre de 2021, para colocar a equipe como candidata real aos títulos que estiverem em jogo no ano que vem.

Internamente, há consenso de que o Corinthians conseguiu montar uma equipe forte e capaz de brigar por objetivos maiores a partir de agora. Ainda assim, o planejamento prevê a temporada de 2022 como o momento em que o clube deve, de fato, passar a ter condições de recuperar seu protagonismo nos gramados, tendo como objetivo grandes conquistas.

O início desse projeto aconteceu nos primeiros sete meses da gestão comandada por Duilio Monteiro Alves, quando o Corinthians concentrou esforços na saída de atletas e em renovações de alguns empréstimos. As negociações atingiram 21 jogadores ligados ao elenco profissional: Mateus Vital; Léo Natel; Camacho; Bruno Méndez; Ramiro; Otero; Jemerson; Marllon; Michel Macedo; Everaldo; Jonathan Cafú; Walter; Éderson; Matheus Davó; Matheus Jesus; Caetano; Fessin; André Luiz; Janderson; Sornoza; e Madson.

Em dezembro, o Corinthians espera retomar as conversas com boa parte deles, inclusive com a esperança de vender alguns.

Contratações de reforços para "compor elenco", como foi o caso recente do lateral João Pedro, devem ficar como última opção na linha que o departamento de futebol corintiano pretende seguir. A princípio, a ideia é valorizar os jovens das categorias de base, que estão ganhando oportunidades nesta temporada, como sustentação de um time mais experiente e imponente.

Os departamentos de marketing, financeiro e jurídico caminham juntos nessa rota.

O Corinthians tem conversas avançadas para renovar as parcerias com Midea (costas da camisa) e Positivo Tecnologia (barra inferior traseira da camisa) por valores maiores que os recolhidos atualmente. Ambos os vínculos se encerram em dezembro deste ano.

O resgate do Fiel Torcedor com a volta do público aos jogos e o funcionamento de todos os ativos da Neo Química Arena também são receitas previstas e ansiosamente aguardadas, assim como as premiações pelo desempenho no Campeonato Brasileiro e as cotas da TV, dessa vez mais gordas.

Ao mesmo tempo, o Corinthians espera ter uma série de acordos judiciais firmados até lá, para evitar surpresas com bloqueios de receitas e ter a dívida de curto prazo, estimada em R$ 588 milhões, equacionada, alongada, de modo que não cause danos ao fluxo de caixa.

A visão geral do plano estratégico corintiano para 2022 não é muito diferente do que já tem sido feito. Entretanto, o clube prevê ter tudo sob um controle maior, com a administração definitivamente adaptada às metodologias implementadas neste ano, com incremento considerável de receita, contas controladas e um time forte e entrosado desde o princípio, ao contrário do que ocorreu em 2021 e, portanto, capaz de ser potencializado com poucos, mas importantes reforços.


Deixe seu comentário