COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Vanderlei Luxemburgo em 2009, no Santos, dando instruções a Neymar e Ganso (Foto: Divulgação)

Na última terça-feira, Neymar publicou em seu canal oficial do YouTube uma mensagem deixada por Vanderlei Luxemburgo, seu técnico no Santos em 2009. Na publicação, o ex-comandante do atual camisa 10 da Seleção enalteceu as qualidades do jogador, dizendo que ele ganhará o melhor do mundo, e desejou boa sorte durante a disputa da Copa do Mundo.

“Queria mandar um abraço pro Neymar, o ‘filé de borboleta’, o pessoal ficou meio bravo, mas ele era magrinho pra mais de metro”, começou Luxa. “Eu estou aqui como torcedor do Brasil, torcendo para que você tenha todo sucesso do mundo e que consiga fazer uma grande Copa do Mundo. Eu não tenho nenhuma dúvida de que você vai ser o carro-chefe, o condutor dessa possibilidade de conquista do Brasil”.

Vanderlei Luxemburgo comandou a Seleção Brasileira de 1998 a 2000. Neste período, conquistou uma Copa América (1999) e o Torneio Pré-Olímpico (2000), que garantiu uma vaga para as Olimpíadas daquele ano. Luxemburgo ainda não conhecia Neymar, assim como Neymar estava longe de ser o craque que é atualmente: na conquista de 99, o atual camisa 10 da Seleção tinha apenas sete anos. Mais tarde, em 2009, no entanto, os dois se encontraram no Santos, quando ficaram próximos.

Luxemburgo também comentou a possibilidade de Neymar ser o melhor do mundo. “Tenho certeza que você (Neymar) vai ser o melhor do mundo em uma Copa do Mundo, nesta Copa ou na próxima, você vai vai ser eleito, porque a trajetória dos grandes jogadores de futebol mundial – foi assim com Ronaldo Fenômeno, com Pelé e outros jogadores do seu nível. Eu tenho certeza que você vai ser o melhor do mundo jogando um torneio importante para o Brasil que é a Copa do Mundo”.

Na finalização, ele deseja sorte e que nenhuma lesão assombre a atuação do craque. “Muito boa sorte para você, que Deus te proteja e que você possa trazer esse título para o Brasil”.



Nesta quarta-feira, Mohamed Salah enfim voltou a participar de um treino coletivo, após passar as últimas semanas se recuperando da lesão no ombro, ocorrida na final da Liga dos Campeões, no fim de maio. Visando a estreia do Egito na Copa do Mundo da Rússia, para qual ainda é dúvida, o jogador do Liverpool foi a campo em Grozny, onde a seleção se encontra concentrada, e realizou trabalho com bola ao lado de seus companheiros.

O atacante vinha treinando em separado nos últimos dias. Hoje, voltou a correr sozinho em volta do gramado da Arena Akhmat, mas foi liberado para participar das atividades com bola. A confirmação de sua presença na primeira partida de sua seleção no Mundial deve ocorrer, no máximo, até a manhã de sexta-feira, dia do jogo.

Salah vive a expectativa de jogar a estreia do Egito na Copa (Foto: KARIM JAAFAR/AFP)

“Estamos analisando o caso cuidadosamente desde que ele se machucou na final da Liga dos Campeões. Vamos ver. Ele provavelmente será examinado pelo médico mais uma vez, mas você o viu treinando e correndo nos últimos dias. Estamos esperançosos, porque ele tem dado o seu melhor a cada dia, mas não podemos garantir se ele estará ou não na estreia. Ele está empolgado para jogar Mundial e esperamos que realize esse sonho”, apontou o gerente da seleção egípcia, Ihab Leheta, na última segunda-feira.

A estreia do Egito na Copa do Mundo 2018 será contra o Uruguai, na Arena de Ecaterimburgo, às 9h (no horário de Brasília), em jogo válido pelo Grupo A do torneio, que também conta com Rússia e Arábia Saudita. Estas, por sua vez, fazem a partida inaugural da competição nesta quinta-feira, a partir das 12h (de Brasília), na capital Moscou.



Aleksandar Prijovic destacou o Brasil como o favorito do Grupo E da Copa do Mundo (Foto: Attila KISBENEDEK / AFP)

Uma das adversárias definidas do Brasil nesta Copa do Mundo, a Sérvia já definiu quem é o favorito para ser o primeiro do Grupo E. Para os sérvios Marko Grujic e Aleksandar Prijovic, a Seleção Brasileira tem tudo para passar de fase no Mundial, porém terão que mostrar que ter os melhores jogadores também significa ter os melhores resultados.

“O Brasil é a equipe mais forte no papel, mas eles vão ter que mostrar todos esse favoritismo em campo. Tanto nós, como a Suíça e a Costa Rica iremos lutar pela segunda vaga deste grupo, essa é a minha opinião. A verdade é que os times que forem melhor nesses três jogos irão passar de fase”, afirmou o volante Marko Grujic, que jogou pelo Cardiff na última temporada, mas que ainda tem contrato com o Liverpool.

Quem também estava na entrevista coletiva e destacou a força da Seleção Brasileira foi o atacante Aleksandar Prijovic, jogador do Paok da Grécia. ” Eu acredito que o Brasil é favorito, mas todos os times têm as mesmas chances. Nesta competição, se você comete um erro, fica muito difícil se recuperar, não há tempo. As chances estão abertas para todos. O Brasil é o favorito, mas está tudo em aberto, então pode ser que duas outras seleções surpreendam e consigam a classificação”.

A Sérvia não esteve na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil e, com isso, a última lembrança dos sérvios em Mundiais é em 2010, quando o evento aconteceu na África do Sul. Curiosamente, os sérvios perderam dois jogos e ganharam apenas um, justamente contra a Alemanha, seleção mais forte daquela chave e que só cairia nas semifinais do torneio, diante da Espanha.

 



Remo Freuler junto de Josip Drmic e Michael Lang no treino da manhã desta quarta-feira (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

Adversário do Brasil, a Suíça chegou à Rússia na manhã da última segunda-feira e, nesta quarta, realizou um treino na cidade de Tolyatti, na região de Samara. Apenas 15 minutos foram abertos à imprensa e, após as atividades, o volante Valon Behrani e o meia Remo Freuler deram entrevista coletiva e alertaram: não há estratégia certa para parar Neymar.

“Você pensa em como pará-lo, assiste a vídeos, mas não existe uma estratégia para parar o Neymar, porque ele é um dos três melhores do mundo. Nós temos que torcer para ele estar num dia ruim e a gente num dia bom”, revelou Behrani, que atualmente está na Udinese, da Itália.

“Ele é rápido, você não sabe onde ele estará, mas o time não é feito só dele. Depende de todo o time do Brasil e depende de nós mesmos também. Teremos que nos organizar fortemente na parte defensiva para fazer a vida dele diferente naquele dia, mas… Não tem como pará-lo”, finalizou.

Mais confiante, o meia Remo Freuler, da Atalanta, disse que é possível parar qualquer jogador. “Ele é um dos melhores do mundo, mas o time não é só ele”.

A Suíça faz parte do Grupo E da Copa do Mundo, com Brasil, Sérvia e Costa Rica. A estreia dos suíços é justamente contra Neymar e companhia, no próximo dia 17, domingo, às 15h (de Brasília).



Seleção da Alemanha durante primeira treinamento na Rússia (Foto: Patrik STOLLARZ / AFP)

Atual campeão mundial e uma das seleções favoritas para o título, a Alemanha realizou nesta quarta-feira o primeiro treino em território russo. A atividade, que aconteceu no CSKA Sports Base, em Moscou, a presença de cerca de 500 pessoas, de acordo com a federação, sendo na grande maioria jornalistas de todas as partes do mundo buscando informações da equipe comandada pelo técnico Joachim Löw.

Os atletas alemães participaram de uma atividade em campo reduzido, sendo que o grupo foi dividido em três times. Um dos destaques do treino foi a presença de Manuel Neuer, goleiro titular nos Mundiais de 2010 e 2014 e poderia estar fora da Copa por causa dos problemas físicos que teve que lidar por toda a temporada.

Já o ponto negativo da atividade foi o problema físico que Khedira sentiu durante a atividade e, com isso, saiu do treino mais cedo. Outro jogador que sentiu durante o treinamento foi Draxler, que recebeu uma pancada, mas não deve ser problema para o técnico Löw.

A Alemanha está no Grupo F da Copa do Mundo, ao lado de México, Suécia e Coreia do Sul. Além de ser a favorita para ser a primeira da chave, os alemães são um dos favoritos para conquistar o título da Copa do Mundo. No entanto, os tetracampeões mundiais podem ter um caminho mais complicado caso peguem a Seleção Brasileira já nas oitavas de final.



Após o anúncio oficial da demissão do técnico Julen Lopetegui, feito pelo presidente da Federação Espanhola de Futebol Luis Rubiales, a seleção espanhola confirmou de imediato o nome de seu mais novo treinador. Trata-se de Fernando Hierro, ex-zagueiro do Real Madrid e da própria Fúria, que assumirá a equipe a menos de 48 horas da estreia na Copa do Mundo da Rússia, contra Portugal, nesta sexta-feira.

Como jogador, Hierro disputou quatro Mundiais. Como treinador, foi assistente técnico do Real Madrid em 2014/2015, quando Carlo Ancelotti comandava os merengues. De resto, a única experiência à frente de outra equipe profissional foi no Real Oviedo, da segunda divisão espanhola, onde permaneceu por uma temporada antes de se tornar diretor de futebol da seleção nacional, em 2016. O espanhol já estava desempenhando o cargo na Rússia e, inclusive, esteve presente na coletiva de imprensa do mandatário da RFEF, nesta manhã.

 

A demissão de Lopetegui foi motivada pelo acerto do agora ex-comandante espanhol com o Real Madrid, oficializado pelo clube nesta terça-feira, para assumir o time após a Copa. Luis Rubiales teria ficado profundamente irritado com o fato, uma vez que a Federação não foi informada por nenhuma das partes a respeito da negociação.

“Agradecemos ao Julen (Lopetegui) por tudo o que ele fez porque ele é um dos grandes responsáveis ​​por estarmos na Rússia, mas somos forçados a dispensá-lo. Tem de haver uma mensagem clara para todos os trabalhadores da Federação Espanhola de que existem algumas formas de agir que devem ser cumpridas”, explicou o presdiente da RFEF, em coletiva de imprensa concedida na manhã desta quarta-feira.

Fica a expectativa para saber como chegará a Espanha para a Copa, já que, a princípio, o ambiente interno do grupo teria sido afetado pelos acontecimentos . A estreia contra Portugal, no Estádio Olímpico de Sochi, acontecerá às 15h (no horário de Brasília) desta sexta. Pelo Grupo B, La Roja ainda terá como adversários Irã e Marrocos.

Ainda nesta quarta, a partir das 12h30 (de Brasília), Hierro concederá sua primeira entrevista coletiva à frente da Fúria, na sala de imprensa do Estádio Krasnodar. Em seguida, comandará seu primeiro treinamento com o grupo.





Garrincha, Pepe, Rivellino, Romário, Ronaldinho Gaúcho. O que estes ícones do futebol brasileiro têm em comum? Foram eles que usaram a camisa 11 da Seleção Brasileira em cada um de seus cinco títulos de Copa do Mundo (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002, respectivamente). E se depender do que Philippe Coutinho, atual dono deste número tão especial, vem fazendo nas últimas temporadas, o manto continuará sendo bem representado em 2018, na Rússia. Se o hexa vier a acontecer, não coroaria apenas este seleto grupo de camisas 11 da Amarelinha, como também a grande evolução desempenhada pelo meio-campista do Barcelona em sua carreira.

Natural do Rio de Janeiro (RJ), Coutinho viveu um início de carreira comum a alguns dos outros jovens talentos do futebol nacional. Formado nas categorias de base do Vasco da Gama, o meia teve seu passe negociado antes mesmo de ser promovido ao profissional. Em julho de 2008, quando havia acabado de completar 16 anos de idade, foi vendido a Inter de Milão-ITA pelo valor de 3,8 milhões de euros (cerca de R$ 10 milhões na cotação da época). O clube italiano, porém, só poderia contar com o garoto na metade de 2010, quando este já teria 18 anos. A joia, então, continuaria no cruz-maltino por mais duas temporadas. Em 43 jogos pelo time carioca, foram cinco gols e nove assistências.

Chegado o mês de julho de 2010, Philippe enfim viajou a Milão para se juntar ao badalado grupo da Internazionale, recém-campeão da Liga dos Campeões e que contava com estrelas como o goleiro Júlio César, os defensores Zanetti, Lúcio e Maicon, o meia Sneijder e os atacantes Samuel Eto’o e Diego Milito, além do técnico Rafa Benítez, que havia substituído José Mourinho. O brasileiro não se firmou em sua temporada de estreia no futebol europeu e acabou sendo emprestado ao Espanyol-ESP. Pelo clube espanhol, jogou 16 jogos no primeiro semestre de 2012, balançando a rede cinco vezes e dando uma assistência.

De volta à Inter para a temporada 2012/13, Coutinho seguiu com dificuldades para se adaptar na Itália. Na metade da temporada, acertou sua transferência ao Liverpool pela quantia de 13 milhões de euros (cerca de R$ 35 milhões na época). Mal sabia ele que, em Anfield Road, conseguiria alcançar o tão desejado recomeço de sua carreira. Conforme o esperado, ganhou mais oportunidades em campo e, aos poucos, foi provando aos europeus que seu futebol era de fato diferenciado. Três gols e cinco assistências para ele em seus primeiros 13 jogos com na Inglaterra.

Seus números pelos Reds só progrediram e, com a camisa 10, caiu no gosto da torcida e voltou a ser convocado com frequência à Seleção Brasileira, sobretudo sob o comando de Tite. Muito por isso que sua decisão em deixar o clube inglês, cinco anos, 201 partidas, 54 gols e 41 assistências depois da assinatura do contrato, deixou boa parte dos torcedores do Liverpool magoada. Prestes a disputar sua primeira Copa do Mundo, o meia rumou para o Barcelona no começo de 2018, se tornando companheiro de Lionel Messi e Luís Suárez no Camp Nou.

No clube catalão, não desapontou. Em 22 jogos com o uniforme azul-grená, são 10 gols e seis assistências para o brasileiro, que contribuiu para a conquista do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei da Espanha. Mesmo trocando de time, esta foi a melhor temporada do meia em sua carreira, anotando 22 gols e sendo responsável por 14 assistências ao todo.

Na Seleção Brasileira, o processo não foi diferente. Após voltar a ser convocado em 2014, quando Dunga ainda era o técnico, Coutinho foi crescendo e se firmando na Amarelinha. Com Tite, sua presença é praticamente obrigatória. Das nove convocações do atual comandante, o camisa 11 esteve em oito delas, se tornando um dos mais chamados do plantel que irá à Copa do Mundo. Titular absoluto, ao lado de Neymar, William e Gabriel Jesus, é um dos principais trunfos do Brasil em busca do hexa em 2018, na Rússia. No total, são 10 gols em 36 aparições pelo Brasil, desde sua primeira convocação, ainda em 2010.

 



Bernardo Silva durante entrevista coletiva nesta quarta-feira (Foto: FRANCISCO LEONG / AFP)

O Grupo B da Copa do Mundo tem tudo para ser o mais movimentado, pelo menos nos bastidores das Seleções da Espanha e de Portugal. Enquanto que os espanhóis demitiram o técnico Julen Lopetegui, os portugueses tiveram recentemente a rescisão de quatro jogadores do grupo com o Sporting, devido a crise dos Leões. Para Bernardo Silva, essa situação não deve ser levada em conta para o Mundial.

“Estamos todos concentrados na Seleção. Quando se joga uma Copa do Mundo, é normal que os jogadores estejam todos motivados. Esses assuntos paralelos não são assunto, pois os jogadores estão todos concentrados em fazer o seu trabalho e ajudar a equipe”, ressaltou o meia do Manchester City.

Os problemas políticos do time do Sporting, um dos mais tradicionais do futebol português, se agravou no fim da última temporada, quando um grupo de torcedores invadiu o CT dos Leões. Com todos os problemas políticos, Rui Patrício, William Carvalho, Bruno Fernandes e Gelson Martins pediram rescisão de contrato mesmo ainda etsando no grupo da seleção portuguesa concentrada para a Copa do Mundo.

A Seleção de Portugal estreia no Mundial já nesta sexta-feira, às 15 horas, quando a equipe enfrenta a Espanha, duelo que pode ser decisivo para a primeira posição do Grupo B.



Presidente da Fifa, Infantino cumprimenta representantes norte-americanos (Foto: Mladen ANTONOV/AFP)

Nesta quarta-feira,a tríplice norte-americana formada por Estados Unidos, Canadá e México venceu a disputa com Marrocos para sediar a Copa do Mundo de 2026. Em Congresso da Fifa realizado em Moscou, capital da Rússia, sede atual do torneio, as mais de 200 associações nacionais de futebol participaram de uma votação para determinar a grande vencedora. Será a primeira vez que três países receberão o evento juntos.

Cada candidatura teve 15 minutos para se apresentar. Carlos Cordeiro, ex-banqueiro e atual presidente da candidatura americana, prometeu ganhos que chegariam a 11 bilhões de dólares para a Fifa e suas associações e foi muito aplaudido pelos presentes. Além de deslocamentos mais rápidos e distâncias menores entre as cidades-sede, os marroquinos prometeram “um país apaixonado” por futebol e 5 bilhões de dólares de lucro para a Fifa. Ganhou o poderio financeiro dos EUA e companhia, que ganharam por 134 votos a 65 dos africanos.

Se o lucro prometido pelos vencedores se confirmarem, a Fifa receberá um valor cerca de quatro vezes maior do que recebeu no Mundial do Brasil, em 2014, que rendeu uma quantia de ‘apenas’ 2,6 bilhões de dólares. O Brasil, por sinal, fez parte da minoria que votou na candidatura de Marrocos.

Desta forma, os três países que sediarão a Copa do Mundo de 2026 garantem vaga no torneio. Será a primeira Copa disputada sob a nova fórmula criada pela Fifa. Diferente do que se viu até hoje, a competição passará a contar com 48 seleções (são 32, atualmente). O torneio ainda terá mais uma parada antes de chegar à América do Norte: o Qatar, em 2022, ainda sob a fórmula atual de disputa.

Nesta quinta-feira, ocorre a festa de abertura e a partida inaugural da Copa da Rússia. A partir das 12h (no horário de Brasília), a seleção anfitriã encara a Arábia Saudita, em Moscou.