Jogadores da Seleção publicam manifesto: "Somos contra a organização da Copa América" - Gazeta Esportiva
Copa América Copa América

Nesta terça-feira, logo após a vitória sobre o Paraguai, os jogadores da Seleção Brasileira publicaram em suas redes sociais um manifesto no qual expõem o posicionamento do grupo comandado por Tite a respeito da Copa América. No texto, os atletas deixam claro que são contrários à realização do torneio continental, porém garantem que disputarão a competição.

Veja o manifesto na íntegra:

“Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor. E, para os mais de 200 milhões de torcedores, escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto à realização da Copa América.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política. Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela mídia e estamos presentes nas redes sociais. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo os nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde e amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira”

A Copa América seria originalmente disputada na Colômbia e na Argentina. No entanto, o primeiro país abriu mão de sediar o torneio por conta de estabilidades políticas, enquanto o segundo desistiu pelo cenário crítico da pandemia. O Brasil, então, aceitou receber a competição organizada pela Conmebol.

Com o resultado, o Brasil foi aos 18 pontos somados, na liderança isolada das Eliminatórias. Nesta quarta-feira, Tite convoca o grupo que participará da Copa América. O time canarinho estreia contra a Venezuela, no domingo, às 18h, no Mané Garrincha.



A terceira rodada do grupo B da Copa América será neste domingo. Às 18 horas (de Brasília), Venezuela e Equador se enfrentam de olho na primeira vitória na competição.

A Venezuela conquistou seu primeiro ponto ao empatar com a Colômbia. O resultado obtido mesmo com os vários desfalques pela covid-19 motivou a seleção para buscar a vitória.

Já o Equador folgou na rodada passada. A seleção chega para a partida com a necessidade de vitória para encaminhar a classificação para a próxima fase.

Das cinco seleções do grupo, quatro avançam para as oitavas de final.



A Colômbia volta a campo neste domingo, contra o Peru, em Goiânia. O duelo será às 21h (de Brasília), em Goiânia, pelo Grupo B da Copa América.

Os colombianos perderam a chance de encaminharem a classificação ao empatar com a Venezuela. Mesmo assim, a seleção segue na vice-liderança da chave, somente atrás do Brasil.

Uma vitória vai colocar a Colômbia na liderança do grupo, pois os brasileiros estão de folga na rodada.

Do outro lado, o Peru busca a recuperação após ser goleado pelo Brasil. A equipe tenta repetir a boa campanha na última edição da competição, quando chegou até a final.



Além de ajudar na importante vitória da Argentina contra o Uruguai por 1 a 0 nesta sexta-feira, Lionel Messi chegou à marca de 13 assistências na Copa América, segundo levantamento da Footstats. O feito faz do argentino o maior assistente da história da competição entre seleções da América do Sul.

Em 29 jogos disputados pela Copa América, o camisa 10 já marcou 10 vezes e deu 13 passes para companheiros. Messi também foi responsável pelo gol da Argentina no empate por 1 a 1 com o Chile. O grande desafio agora é tirar sua seleção da fila de títulos e conquistar a taça da competição.

A Argentina volta a campo já nesta segunda-feira, quando enfrenta o Paraguai no Mané Garrincha, às 21 horas (de Brasília).



A Argentina conseguiu seu primeiro triunfo na Copa América. Nesta sexta-feira, a albiceleste derrotou o Uruguai no clássico do Rio da Prata, por 1 a 0, e dorme na liderança do grupo A. No pós-jogo, De Paul comentou o resultado e ambição da equipe hermana.

“Merecemos a vitória. Estávamos buscando, porque na última partida fomos superiores, mas pagamos caro por alguns erros, me pareceu que não estávamos tão ligados. Mas hoje viemos com uma equipe mais compacta”, comentou o meia.

A Argentina amassou a equipe celeste na primeira etapa e parou mais de uma vez no goleiro Muslera. Na etapa final, a albiceleste apenas administrou o resultado.

“No segundo tempo o ritmo caiu. É normal da partida, não podemos jogar com a mesma intensidade os 90 minutos. Mas era importante que quando a intensidade baixasse, ou quando se está ganhando e o rival te ataca, que nos tornemos uma equipe compacta. Hoje conseguimos!”, completou De Paul.

A seleção argentina vive um jejum de 23 anos sem conquistar títulos e colecionando vice-campeonatos. Passando por uma reformulação, De Paul também comentou sobre a pressão albiceleste e a expectativa para o restante da Copa América.

“Estamos na seleção argentina, para a gente a melhor seleção do mundo. Queremos jogar, queremos somar. Estamos contentes, aceitamos todas as críticas sempre que são construtivas, mas todos sabem que é uma equipe jovem. Este é o momento para que todos os argentinos estejam juntos e atirem para o mesmo lado”.

De Paul ainda revelou receber conselhos dos jogadores mais velhos, o que facilita o desafio diante de seleções mais veteranas.

“Vamos tentar ser protagonista na Copa América. Demonstramos isso, não é fácil jogar com Chile, Colômbia, Uruguai… Parece repetitivo, mas agradecemos ao Leo Messi e Kun Aguero que nos vão mostrando o caminho, dando conselhos sobre como jogar contra esse tipo de equipe – Uruguai e Chile tem jogadores que atuam juntos há muito tempo e não é fácil. Mas hoje demos um passo a frente, agora vamos festejar e relaxar um pouco”, finalizou.

A Argentina volta campo somente na segunda-feira, às 21h, quando enfrenta a seleção do Paraguai. A partida acontece no Mané Garrincha, em Brasília.



A seleção uruguaia estreou nesta sexta-feira, diante da Argentina, pela Copa América. No clássico do Rio da Prata, melhor para a seleção albiceleste, que venceu por 1 a 0. Após o jogo, Godín lamentou o gol sofrido, mas mostrou otimismo para a sequência da competição.

“Sensação ruim, levamos gol em uma jogada que havíamos comentado, não podemos cometer esses erros, agora vamos seguir trabalhando. Primeiro tempo não começamos bem, estivemos imprecisos. Depois, no segundo tempo, dominamos mais, mas não criamos grandes situações, não fomos contundentes”, comentou o zagueiro.

A seleção celeste estreou após folgar na primeira rodada: “O positivo é que o primeiro jogo, arrancamos contra um time forte, faltam três jogos e dependemos só da gente para avançar na competição”, completou Godín.

O Uruguai volta a campo na segunda-feira, às 18h, quando enfrenta o Chile na Arena Pantanal.



Nesta sexta-feira, Argentina e Uruguai entraram em campo e protagonizaram mais um clássico do Rio da Prata. Após empatar com o Chile, os argentinos venceram a primeira, por 1 a 0, e estragaram a estreia dos uruguaios na Copa América. O duelo teve o estádio Mané Garrincha como palco.

A superioridade argentina nos quarenta e cinco minutos iniciais foi assustadora. Os hermanos só não saíram de campo com um placar elástico devido a grande atuação de Mulsera.

Ainda assim, o goleiro uruguaio não conseguiu parar Guido Rodríguez. Aos 12 minutos, após escanteio curto, Lionel Messi levantou na área para o volante anotar o tento da vitória.

Querendo responder, o Uruguai esbarrou na falta de criatividade e pouco perigo levou à albiceleste. No segundo tempo, a temperatura diminuiu e a Argentina apenas administrou o resultado.

Após folgar na primeira rodada, a Celeste estreia com derrota na Copa América. Já a Argentina alcança sua primeira vitória na competição e soma quatro pontos no grupo A do torneio.




A Seleção Brasileira retornou à Granja Comary nesta sexta-feira e iniciou a preparação para o próximo compromisso pela Copa América. Após vencer o Peru por 4 a 0, o Brasil não entra em campo na próxima rodada da competição.

As atividades tiveram início já durante a noite e dividiram a delegação em dois grupos. Quem entrou em campo por mais de 45 minutos no último confronto realizou um trabalho regenerativo, ao mesmo tempo em que os demais foram ao campo trabalhar com bola.

O formato da Copa América – com cinco times em cada grupo – obriga que uma seleção folgue na rodada. Após embalar duas vitórias na competição, chegou a vez do Brasil estudar os adversários em campo.

Dessa forma, a equipe de Tite ganha um tempo extra e retorna somente no meio da próxima semana, quarta-feira, diante da Colômbia. A partida acontece no Engenhão, às 21h.




A Seleção Brasileira entrou em campo na última quinta-feira e passou pelo Peru, por 4 a 0, com show de Neymar. Um dia após a vitória, o atacante brasileiro ironizou a qualidade do gramado do Engenhão, palco da partida válida pela Copa América.

“Comemorando após marcar um gol no ‘belo’ gramado do Engenhão. Por favor, arrumem o campo”, escreveu Neymar em sua conta no Instagram, junto a foto de comemoração do seu gol de número 68 pelo Brasil.

Esta não é a primeira vez que o tapete verde do Engenhão recebe críticas. Ainda na Copa América, a seleção argentina estreou diante do Chile em confronto que terminou no empate por 1 a 1.

“A verdade é que o gramado do estádio não ajudou muito. Mas nos faltou ter controle de bola, jogar mais rápido, coisa que a seleção chilena fez ao empatar”, declarou Messi no pós-jogo.

O Estádio Nilton Santos, nome oficial do Engenhão, ainda será palco de mais um confronto da Seleção na fase de grupos – pela quarta rodada, o Brasil enfrenta a Colômbia. O estádio ainda é sede de outros duelos, além de estar presente nas quartas e semifinal da Copa América.