Conmebol vende mais de 100 mil ingressos para a Copa América em 24h - Gazeta Esportiva
Copa América Copa América

Em 2004, Brasil se sagrou campeão da Copa América vencendo a Argentina (Foto: Conmebol/Divulgação)

A Conmebol já comercializou mais de 100 mil ingressos da Copa América em 24 horas desde que os disponibilizou em seu site oficial. Ao todo, 228 mil bilhetes foram postos à venda neste primeiro lote para 26 partidas do torneio continental. As entradas para a final e as três primeiras partidas do Brasil na competição já estão esgotadas.

A partir de 25 de janeiro, dia seguinte ao sorteio para definir os grupos da Copa América de 2019, um novo lote de ingressos será disponibilizado, incluindo novas entradas para a grande decisão e também para os três primeiros jogos da Seleção Brasileira.

Os ingressos variam de R$ 60 (R$ 30 a meia-entrada) e R$ 890 (R$ 445 a meia-entrada). As categorias de bilhetes são baseadas no setores dos estádios. A maioria dos estádios oferecem quatro categorias de tickets, com exceção da Arena Corinthians e Arena do Grêmio, que possuem setores sem assento.

A Copa América 2019 será disputada entre os dias 14 de junho e 7 de julho. Além do Brasil, país-sede, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela participarão do torneio, além de Japão e Catar, convidados da Conmebol.



Rodrygo exibe camisa com novo patrocinaodor da Seleção Brasileira (Foto: Lucas Figueiredo/Divulgação)

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou de maneira oficial mais um acordo de patrocínio nesta terça-feira. A Semp TCL será o parceiro exclusivo para o setor de eletroeletrônicos pelas próximas três temporadas. O contrato abrange ações da empresa junto aos times masculinos e femininos, de base e profissional.

O acordo entre as partes inclui a exploração de ativos da Seleção Brasileira, tais como símbolos, uniformes e mascote, bem como o desenvolvimento de produtos personalizados ao torcedor. A marca estará presente no backdrop de entrevistas coletivas e placas de publicidade em treinamentos.

“É um orgulho para a Seleção ter este novo patrocinador. Vamos trabalhar juntos para trazer bons frutos ao futebol brasileiro e novidades ao torcedor da Seleção”, discursou Rogério Caboclo, diretor executivo de gestão e presidente eleito da CBF.

Entre as ações idealizadas, está o desenvolvimento de conteúdos da Seleção para produtos da marca, como smartvs. A empresa já é patrocinadora dos uniformes da arbitragem há quatro anos e, recentemente, expôs seu logo junto à cabine do VAR nos jogos da Copa do Brasil 2018.

O principal compromisso da Seleção na temporada de 2019 é a Copa América, a ser disputada no Brasil entre os dias 14 de junho e 7 de julho. O campeonato pode ser decisivo para o futuro do técnico Tite, eliminado nas quartas de final do Mundial da Rússia.

 



Um dos maiores jogadores de todos os tempos, Lionel Messi deverá atuar em território brasileiro no próximo ano. Isso porque, apesar de estar fora da seleção argentina desde a Copa do Mundo, o jornal Marca noticiou neste sábado que o craque já tem como uma das metas para a próxima temporada o título da Copa América de 2019, que acontece no Brasil.

Sem defender as cores da seleção desde a eliminação da Argentina na Copa do Mundo para a França nas oitavas de final, o camisa 10 da albiceleste já traçou como plano o seu retorno para a equipe para a disputa do torneio continental.

Messi deve disputar a Copa América no Brasil no ano que vem (Foto: AFP)

Segundo a publicação, apesar da decisão ainda não estar oficializada, já está bem adiantada na cabeça do jogador. O jornal destaca ainda que, apesar de querer o retorno para a equipe argentina, isso não deverá acontecer antes da convocação para o torneio. Dessa forma, Messi seguiria estando indisponível nos amistosos de seleções de março, quando o atleta deverá continuar focado na disputa da Liga dos Campeões pelo Barcelona.

Aos 31 anos, o craque argentino decidiu se ausentar da equipe nacional após a disputa da Copa do Mundo. A decisão por esse intervalo sem convocação partiu do próprio atleta, que considerou mais propício utilizar as datas Fifa como períodos de descanso na temporada. Vale lembrar que Cristiano Ronaldo foi mais um a utilizar esta estratégia e não disputa uma partida por Portugal desde o principal torneio de seleções.

Lionel Messi segue com o objetivo de conquistar um título importante defendendo a Argentina. O atleta já acabou acertando a trave em três oportunidades, já que foi vice-campeão da Copa do Mundo de 2014 e das Copas Américas de 2015 e 2016.



Morumbi receberá três jogos na Copa América de 2019 (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

A Conmebol confirmou na tarde desta terça-feira que o estádio do São Paulo, o Morumbi, receberá mais dois jogos da Copa América de 2019, além da abertura do torneio, conforme antecipado pela Gazeta Esportiva. Serão 26 partidas distribuídas nos seis estádios da competição, que será disputada entre os dias 14 de junho e 7 de julho do ano que vem.

Segundo calendário definido pela Conmebol e pelo Comitê Organizador Local, o jogo de abertura terá a Seleção Brasileira em campo no dia 14, às 21h30 (de Brasília). O Morumbi sediará também outras duas partidas na fase de grupos. A final, por sua vez, será realizada no Maracanã, no dia 7 de julho, às 17 horas.

Além do Cícero Pompeu de Toledo, que atualmente passa por reformas, a Arena Corinthians receberá três jogos. Já a Arena Fonte Nova (Salvador), Arena do Grêmio (Porto Alegre), o Mineirão (Belo Horizonte) e o Maracanã (Rio de Janeiro) terão cinco partidas cada.

A Copa América de 2019 será disputada por 12 seleções. Além do Brasil, participarão do torneio Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela, Japão e Catar, sendo estes dois últimos convidados pela organização.

A Conmebol fará o sorteio para definir os grupos da Copa América no dia 24 de janeiro, no Rio de Janeiro. A entidade usará o ranking da Fifa, a ser divulgado em 20 de dezembro, como base para definir os cabeças de chave.



Se chegar à semifinal, Brasil irá reencontrar o Mineirão, palco do 7 a 1 (Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Nesta terça-feira, a Conmebol divulgou a tabela da Copa América de 2019, que será sediada pelo Brasil. Como será a cabeça de chave do grupo A, a Seleção já sabe o seu caminho pela competição e irá jogar no Morumbi, Arena Fonte Nova e Arena Corinthians na fase de grupos. Os comandados de Tite só jogarão no Maracanã se chegarem à final, assim como aconteceu na Copa do Mundo de 2014.

A abertura da competição será no dia 14 de junho, às 21h30 (de Brasília) e marcará a estreia do Brasil. Em seguida, o time verde e amarelo vai para a Bahia, onde jogará no dia 18 no mesmo horário e fecha a primeira fase em São Paulo, no dia 22, às 16 horas.

Se ficar em primeiro do grupo, a Seleção Brasileira irá atuar na Arena do Grêmio no dia 27 de junho, às 21h30 e, avançando, jogará a semifinal no Mineirão, palco do 7 a 1 para a Alemanha. No entanto, se ficar em segundo lugar, as quartas de final seria no Maracanã no dia 28 de junho e a semifinal seguiria em Minas Gerais.

A Conmebol irá sortear os grupos da Copa América 2019 no dia 24 de janeiro em evento no Rio de Janeiro. Os potes do sorteio serão feitos com base no último ranking de 2018 divulgado pela Fifa. A competição contará com os convidados Japão e Catar.



O foco da Seleção Brasileira está voltado para a Copa América de 2019, que será disputada justamente no Brasil. Mas, o ano de Copa do Mundo sequer se encerrou, e o Mundial da Rússia ainda é tema para o técnico Tite.

Em entrevista exclusiva ao Show de Bola, da Gazeta Esportiva, o treinador fez uma reflexão das situações que envolveram a campanha brasileira e o seu próprio trabalho, e revelou arrependimento por ter sido garoto-propaganda de marcas que expuseram sua imagem repetidamente na TV, tanto antes quanto durante a competição.

“Eu faria diferente: exposição pública. Não faria os comerciais que eu fiz. Sabe por quê? Porque foram sempre em dezembro. E vocês sabem, vocês são da mídia. Eles ficam sempre em tempo integral, passando toda hora. Isso enche o saco”, afirmou o gaúcho, ciente de que os compromissos profissionais alheios ao futebol influenciaram a opinião pública em determinado momento.

Tite tomou o cuidado em não deixar que as gravações interferissem em sua agenda com a Seleção Brasileira, evitou marcas concorrentes aos patrocinadores da CBF e vetou qualquer negociação com bebidas alcoólicas. Mesmo assim, firmou vínculo com quatro empresas e teve seu rosto exposto na tela por mais tempo que Neymar no período.

“(A profissão) não exige. É minha opção. Eu pegaria e faria um ou dois comerciais, no máximo. Foi muito menos do que eu tinha (de proposta), mas eu faria menos”, completou.

ERRO ASSUMIDO

Em uma espécie de autoanálise, Tite também refutou qualquer orgulho pessoal para reconhecer atitudes que considera como erros à beira do campo. A principal delas remete às escalações iniciais da equipe no decorrer do Mundial.

“Copa do Mundo e principalmente nos mata-matas, em situações que são muito específicas, pontuais e rápidas, as substituições para início de jogo têm de ser mais rápidas do que eu fiz. Durante o jogo foi normal, mas para início de jogo ela tem de ser mais rápida”, admitiu.

MOTIVO PELO “FICO”

Costumeiramente, a Seleção Brasileira tem uma mudança no comando de sua equipe ao fim de Copas do Mundo. Tite, porém, remou contra a maré e resolveu ficar para construir um trabalho completo, até o próximo Mundial, agendado para 2022, no Catar. Durante a entrevista ao Show de Bola, o técnico garantiu que teria passado a bola, caso tivesse assumido o cargo logo após a Copa de 2014.

“Persistência ou resiliência, qualquer que seja o nome, é bonito de falar, mas é muito difícil de ter. É muito difícil de se executar. Falar que a gente se renova, que a gente amadurece é bonito para quem ouve. Os ouvidos gostam. Mas, se você não tiver uma verdadeira humildade, se você não tiver uma verdadeira mobilização para que isso aconteça, fica como um discurso vago”, iniciou.

“Eu não estou pronto, vou continuar errando, porque sou ser humano. Mas eu tenho a busca sempre pelo aperfeiçoamento. Aperfeiçoamento de um técnico que já passou por uma Copa do Mundo, que apressou todos os processos que ele podia apressar para chegar na Copa, depois para classificar, para chegar em uma fase posterior na Copa, que era a minha ambição, infelizmente não foi, mas chegar em uma semifinal, que a partir daí se consolida equipe”, continuou, para ser incisivo na sequência.

“A partir daí é aprender e passar agora as etapas que eu não tive anteriormente, aqueles quatro anos. Não é justificativa, mas… Se eu tivesse feito os quatro anos, eu vou falar para ti, eu teria dito ‘olha, passou minha etapa’. Tem outros grandes profissionais para fazer. Não gosto de reeleição”, afirmou, sem titubear. “Tchau. Palavra de honra, não ficaria, não”, concluiu.

A CONSEQUÊNCIA POR PULAR ETAPAS

O fato de ter estreado em Copa do Mundo não é interpretado por Tite como um fator relevante para o seu insucesso junto à Seleção Brasileira. Ao ser questionado sobre o tema, o treinador reiterou a opinião de que o pouco tempo de convivência na função foi o que pesou nos momentos mais importantes.

“O fato de ter experiência na Copa do Mundo é muito relativo. Eu não tinha experiência em Mundial e nós fomos campeões mundiais de clubes. Eu não tinha experiência maior na Copa do Brasil e no primeiro ano de Grêmio eu fui campeão com o Grêmio. É muito relativo, circunstancial”, explicou.

“Eu vejo mais como um trabalho de uma etapa toda dentro da Seleção Brasileira que pudesse me dar condições melhores. Para conhecer o quê? De repente alguns atletas que não estivesses em suas melhores condições no momento, eu saber como ele reagiria em uma sequência de trabalho. Não vou colocar nomes, mas, atletas que no Mundial estavam oscilando sua performance e que durante as Eliminatórias estavam jogando muito”, exemplificou.

A visita de Tite à TV Gazeta nessa terça também rendeu uma entrevista especial ao Mesa Redonda, que irá ao ar no dia 6 de janeiro.

 

 



O Allianz Parque chegou a ser anunciado como uma das sedes da Copa América de 2019, mas acabou excluído pela Conmebol. Eduardo Rigotto, gerente geral da arena palmeirense, lamentou a impossibilidade de participar do torneio continental e deixou as portas abertas para outros grandes eventos.

Substituído pelo Itaquerão, o Allianz Parque acabou cortado da Copa América por conta de compromissos comerciais assumidos anteriormente, a começar pelos naming rights. Para participar do torneio, o estádio precisaria ser ‘envelopado’, algo que não foi aceito pelos executivos.

“(Lamentamos) profundamente. Na realidade, seria um prazer receber a Copa América, como qualquer evento de grande porte. Já tivemos dois jogos da Seleção aqui e trabalhamos bastante para isso. O Allianz é uma arena diferente das outras, tem acordos comerciais de longo prazo com diversos parceiros”, justificou Rigotto.

Para receber os jogos do Palmeiras na Copa Libertadores, mais um torneio organizado pela Conmebol, o Allianz Parque aceita a exigência de ‘esconder’ seus próprios patrocinadores. Segundo Rigotto, houve um esforço para chegar a um acordo em torno da Copa América, sem sucesso.

“Nosso contrato com a Allianz, por exemplo, vale por três décadas. É normal ter conflito entre um evento que dura 21 dias e outro que dura 30 anos. Obviamente, seguimos de portas abertas para outras competições de nível mundial”, afirmou o gerente geral.

A 46ª edição da Copa América será realizada entre os dias 14 de junho e 7 de julho nas cidades de Belo Horizonte (Mineirão), Porto Alegre (Arena Grêmio), Rio de Janeiro (Maracanã), Salvador (Fonte Nova) e São Paulo (Morumbi e Itaquera). Além dos 10 filiados à Conmebol, o torneio conta com as participações de Japão e Catar.



Vista da Arena Corinthians, uma das sedes da Copa América (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

O Corinthians vai ceder a sua Arena para a realização da Copa América, no meio do ano que vem, e projeta lucro com o evento. O clube assegura que vai receber algo em torno de R$ 2 milhões pela cessão à competição organizada pela Conmebol, dinheiro que ajudará no pagamento das parcelas mensais acordadas com a Caixa Econômica Federal, fixadas atualmente em R$ 6 milhões.

O acerto para a utilização do estádio em Itaquera se deu meses depois da desistência corintiana e da opção inicial pelo Allianz Parque. Depois que a casa palmeirense saiu da disputa, o Timão voltou a ser procurado e, de acordo com pessoas ouvidas pela reportagem, dessa vez para ganhar dinheiro. “Antes não queriam pagar nada”, disse um dirigente.

Ainda segundo o Alvinegro, as despesas quanto a pessoal e organização do evento ficarão todas a cargo da confederação sul-americana. Além da Arena, serão utilizados no torneio a Arena do Grêmio, o Maracanã, o Mineirão, o Morumbi e Fonte Nova.

O pagamento do estádio, que está programado para ser encerrado em 12 anos, deve receber um alívio durante os meses de dezembro, janeiro e fevereiro. Por causa da pré-temporada e da renda reduzida com a ausência de jogos, o Timão acerta os últimos detalhes para que a prestação caia de R$ 6 mi para R$ 2 mi neste período.

“Temos um financiamento com a Caixa e nossas prestações estão em dia. Chegamos a atrasar, renegociamos, tivemos uma facilidade. Durante três meses do ano, o pagamento do fundo é menor, porque não tem arrecadação. Estamos terminando isso”, avaliou o diretor financeiro do clube, Matias Romano Ávila, sem especificar qual é o valor atual da dívida do clube.

“A gente não sabe ainda quanto é, porque precisamos descontar aquilo que deixou de ser feito. A dívida é com o fundo, R$ 6 milhões por mês, e três meses com R$ 2 milhões. Isso está em dia. Como garantia temos sócio-torcedor, instrumentos que foram negociados para que não fiquemos inadimplentes com o fundo para pagar o financiamento”, concluiu.



Edu Gaspar disse que Tite quer atletas em boa forma física em março (Foto: Lucas Figueiredo/MoWa Press)

Em preparação para a Copa América de 2019, no Brasil, o time dirigido por Tite tem dois amistosos marcados para março. Serão os últimos testes da Seleção antes de o técnico divulgar a lista final de convocados para a disputa do torneio.

Coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar revelou que algumas das exigências de Tite serão que os jogadores se apresentem em março com boas condições técnicas e físicas. O recado é mais direcionado para os atletas que atuam no futebol brasileiro, que que estarão em início de temporada nesse mês.

“O Tite vem passando uma mensagem da importância de os atletas voltarem bem. Se não chegarem bem em março, as chances podem diminuir. É importante eles terem essa consciência, para que possam estar sendo convocados”, disse o dirigente, que participou de jogo festivo promovido por Ronaldinho Gaúcho e Denílson, em São Paulo, no último domingo.

Gaspar falou sobre os critérios a serem analisados pela comissão técnica da Seleção: “Nossa observação vai ter que ser de acompanhamento: como voltaram de férias, peso, percentual de gordura. Todos esses detalhes são importantes para que o Tite possa convocar com segurança”.

Eliminado pela Bélgica nas quartas de final da Copa do Mundo, o Brasil venceu os seis amistosos disputados na sequência – Estados Unidos (2 a 0), El Salvador (5 a 0), Arábia Saudita (2 a 0), Argentina (1 a 0), Uruguai (1 a 0) e Camarões (1 a 0).

Os dois próximos ainda não têm adversários definidos, mas serão cruciais para Tite definir os selecionados. Em junho, haverá dois amistosos no Brasil, um no Maracanã e outro no Beira-Rio, mas já com a Seleção convocada.

“Essa convocação de março estará muito próxima da Copa América e vai servir como preparação. Só temos quatro jogos amistosos até o início, então precisamos estar com o grupo já bem direcionado”, frisou Edu.

A Copa América será disputada entre os dias 14 de junho e 7 de julho. Além do Brasil, a competição será disputada por Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. As seleções asiáticas do Japão e do Catar participação do torneio como convidadas.



Palco da abertura da Copa América de 2019, o Morumbi deverá receber outras duas partidas da competição sediada no Brasil. A informação foi publicada inicialmente pelo Globoesporte.com e confirmada pela Gazeta Esportiva. Ainda não se sabe, contudo, quais estádios poderão perder jogos. O Maracanã sediará a final.

O Tricolor já deu início a algumas obras no estádio, como a reforma do túnel que dará acesso ao gramado. Diferentemente do que acontece hoje, os dois times subirão juntos ao campo, assim como acontece nas arenas mais modernas do País.

O Morumbi deverá receber três jogos na Copa América de 2019 (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Na semana que vem, com o término da temporada, o clube iniciará a reforma dos vestiários. Em janeiro, está prevista a instalação da nova iluminação do estádio, com lâmpadas de LED – de maior duração e economia financeira. Em março, serão colocados dois telões mais modernos do que o atual.

As obras, o São Paulo garante, seriam realizadas mesmo que o Morumbi não recebesse jogos da Copa América, sendo parte do plano de modernização do estádio, que consta em relatório da gestão do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva.

Em São Paulo, além do Morumbi, a Arena Corinthians sediará partidas da Copa América em substituição à arena do Palmeiras. A mudança, segundo a Conmebol, se deu “em função de compromissos comerciais assumidos pela gestão do Allianz Parque com sócios e patrocinadores que não puderam ser conciliados com a organização da Copa América 2019”.

A Copa América será disputada entre os dias 14 de junho e 7 de julho. As cidades-sede serão São Paulo (Morumbi e Arena Corinthians), Rio de Janeiro (Maracanã), Belo Horizonte (Mineirão), Porto Alegre (Arena do Grêmio) e Salvador (Arena Fonte Nova).

Além do Brasil, a competição será disputada por Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. As seleções asiáticas do Japão e do Catar participação do torneio como convidadas.