COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

O atacante Douglas Costa teve atuação decisiva no triunfo do Brasil sobre a Costa Rica, alcançado na manhã desta sexta-feira. Responsável pela assistência para Neymar fechar o placar em São Petersburgo, o atleta da Juventus entende que o lance é fundamental para a Seleção.

Colocado por Tite no lugar do apagado Willian no intervalo, Douglas Costa deu trabalho pelo lado direito do ataque brasileiro. Pouco depois do gol de Philippe Coutinho, o veloz ponta recebeu de Casemiro e cruzou para Neymar completar com sucesso.

“Fico contente de poder entrar dessa maneira: dando assistência, ajudando meus companheiros, ajudando o Neymar a fazer gol. É muito importante não só para ele, como para nós. Fico contente de poder colocar o nível que tive na Juventus dentro da Seleção Brasileira”, afirmou Douglas Costa à TV Globo.

Principal jogador da Seleção Brasileira, Neymar disputa a Copa do Mundo cercado por grande expectativa. Antes de marcar seu primeiro gol na Rússia e chorar, o camisa 10 tentou cavar um pênalti, marcado e em seguida anulado pelo árbitro holandês Bjron Kuipers.

Douglas Costa, questionado sobre a dificuldade para sair na frente, citou o empenho defensivo do rival. “As equipes estão realmente se cuidando quando jogam contra o Brasil. Eles defendem bastante e mantêm uma linha bem fechada. Precisávamos de jogadas rápidas e, quando entrei em campo, tentei ajudar minha equipe assim”, afirmou.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E da Copa do Mundo, já que supera a Suíça no saldo de gols. Na última rodada da fase classificatória, precisando de um empate para avançar às oitavas de final, a Seleção pega a Sérvia às 15 horas (de Brasília) de quarta-feira, no Estádio do Spartak.

 



O meia Philippe Coutinho voltou a ser protagonista na Copa do Mundo da Rússia durante a manhã desta sexta-feira. Com uma atuação inspirada do jogador do Barcelona, a Seleção Brasileira conquistou sua primeira vitória no torneio sobre a Costa Rica, em São Petersburgo.

O time comandado por Tite se lançou ao ataque no segundo tempo e pressionou em busca do gol. Aos 46 minutos, Marcelo cruzou da esquerda e Firmino ajeitou para Gabriel Jesus. O centroavante tentou dominar e Philippe Coutinho apareceu para completar diante de Keylor Navas, lance que abriu caminho para Neymar ampliar pouco depois.

Philippe Coutinho e Willian, escalados pelo técnico Tite em 21 dos 23 jogos de sua gestão na Seleção Brasileira, são os dois mais utilizados no período. Na primeira Copa do Mundo, aos 26 anos de idade, o meia do Barcelona já acumula dois gols em duas partidas.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E da Copa do Mundo, já que supera a Suíça no saldo de gols. Na última rodada da fase classificatória, precisando de um empate para avançar às oitavas de final, a Seleção pega a Sérvia às 15 horas (de Brasília) de quarta-feira, no Estádio do Spartak.




Gabriel Jesus vê adversários da Seleção Brasileira muito fechados (Foto: GABRIEL BOUYS / AFP)

A vitória brasileira sobre a Costa Rica foi no sufoco. Com os dois gols marcados já nos minutos finais, o Brasil vinha encontrando uma enorme dificuldade para furar o bloqueio costa riquenho na partida. Questionado sobre o sofrimento para chegar ao gol adversário, o responsável por balançar as redes adversárias, Gabriel Jesus, comentou que a estratégia contra o Brasil será sempre vir fechada lá trás.

“A gente sabe que quando as equipes vem enfrentar o Brasil eles vem sempre muito fechados. Para vencer isso nós precisamos jogar de uma maneira inteligente. Começa desde lá de trás, com o Alisson saindo com o pé, a defesa trabalhar a bola com o meio e o ataque seguir nesse trabalho. Nós sabemos que será complicado”, avaliou o camisa 9, que deu a assistência para o primeiro gol da partida desta sexta.

Sobre a dificuldade no confronto, o atacante brasileiro fez questão de relembrar que os obstáculos não são uma exclusividade da equipe verde amarela na Copa.

“A gente sabe que não será fácil. Não está sendo fácil pra ninguém. Hoje foi de parar o coração, foi na raça. No jeito brasileiro. Acho que ninguém gosta da maneira que foi hoje. A gente sabia que o resultado ruim ia complicar tudo. Mas uma hora eu sabia que a bola ia entrar, só não sabia que seria tão no final”, completou.

Com a vitória nesta sexta, o Brasil consegue a sua primeira vitória na competição e chega agora aos quatro pontos conquistados, além da liderança provisória do Grupo E. Na próxima quarta-feira, a Seleção Brasileira finaliza a sua participação na fase de grupos da Copa do Mundo no duelo contra a Sérvia, às 15h (de Brasília), em Spartak.

Confira o boletim do jogo:



Quem esperava um jogo de muitos gols e o “adversário acessível” não viu nada disso dentro de campo nesta sexta-feira. Durante 90 minutos, a Seleção Brasileira parou, ora no goleiro Keylor Navas, ora no forte sistema defensivo da Costa Rica, e apenas nos acréscimos conseguiu a primeira vitória em solo russo. No bico da chuteira de Coutinho e no oportunismo de Neymar foi construído o placar de 2 a 0.

Após a partida, o zagueiro Miranda explicou as dificuldades e falta de efetividade que se viu principalmente no primeiro tempo do time comandado por Tite. Porém, preferiu exaltar, acima de tudo, a organização que os jogadores tiveram para conseguir furar a retranca costarriquenha.

“Foi um jogo difícil, a gente sabe que Copa não tem jogo fácil. Mas nossa seleção soube administrar o jogo, teve paciência e no momento certo soube ter agressividade. Está todo mundo de parabéns pelo empenho, pela dedicação e, acima de tudo, pela organização, porque em momento nenhum a gente perdeu o controle da partida. O adversário entrou bem postado e estava anulando todas as nossas ações. Mas nossa seleção teve tranquilidade e soube buscar o resultado na hora certa”, disse o defensor ao canal Fox Sports.

Além do tático, o camisa três também não deixou de ressaltar o aspecto anímico. Ao fim do jogo, ficou evidente a emoção dos jogadores, de Tite e o gesto simbólico de Neymar, que sentou no gramado aos prantos comemorando os três pontos. Para o titular, isso é a mostra da “alegria e da união do grupo em busca de um objetivo que será conquistado a cada jogo”

“Está todo mundo de parabéns por não deixar de acreditar. Acreditamos até o final e o placar foi justo, também porque tivemos  personalidade para vencer as adversidades que foram impostas. Esses gestos mostram a alegria de um grupo que merece estar disputando essa Copa, merece estar bem e mereceu a vitória. Hoje tivemos o destaque dos autores dos gols, mas todo o grupo merece ser destacado pelo seu empenho”, analisou Miranda.

Confira o boletim do jogo:




Com o gol desta quinta-feira, contra a Costa Rica, já nos acréscimos, Neymar ultrapassou Romário na lista dos maiores artilheiros da Seleção Brasileira. Agora, o craque do Paris Saint-Germain é o quarto atleta que mais balançou as redes com a camisa canarinho de maneira isolada, com 56 gols em 87 jogos.

Neymar já havia igualado Romário no último amistoso do Brasil antes de iniciar sua campanha na Copa do Mundo, contra a Áustria, em Viena. Na ocasião, o time do técnico Tite venceu por 3 a 0, com direito a um gol do camisa 10, que chegou a 55 gols e igualou Romário.

Agora, Neymar tem à sua frente apenas três dos maiores jogadores da história do futebol: Pelé, Ronaldo e Zico. O primeiro soma 77 gols em 92 jogos, figurando no topo da lista. O Fenômeno, por sua vez, balançou as redes 62 vezes em 99 partidas. Já o Galinho de Quintino marcou 66 gols em 89 confrontos.

Neymar também desempatou com Gabriel Jesus na lista dos maiores artilheiros da Seleção Brasileira comandada por Tite. Ambos somavam dez gols antes do confronto com a Costa Rica. Philippe Coutinho é o terceiro goleador do time canarinho, com oito bolas na rede, duas delas nesta Copa do Mundo.

Veja a lista dos dez maiores artilheiros da Seleção Brasileira:

Pelé – 95 gols
Ronaldo – 67 gols
Zico – 66 gols
Neymar – 56 gols
Romário – 55 gols
Jairzinho – 44 gols
Rivelino – 43 gols
Bebeto – 39 gols
Leônidas – 39 gols
Tostão – 36 gols




A Seleção Brasileira sofreu para conquistar sua primeira vitória na Copa do Mundo da Rússia. Autor do gol que abriu o triunfo decisivo alcançado na manhã desta sexta-feira, o meia Philippe Coutinho valorizou o resultado diante da Costa Rica em São Petersburgo.

“Com certeza, é uma emoção muito grande. Foi um jogo muito difícil. Desde o primeiro minuto, a gente tentando, buscando os chutes de fora da área. No final, fomos premiados pela atuação do grupo. Todo o mundo correu, se dedicou e merecemos a vitória”, declarou Coutinho à TV Globo.

O time comandado por Tite se lançou ao ataque durante a etapa complementar e pressionou em busca do gol. Aos 46 minutos, Marcelo cruzou da esquerda e Firmino ajeitou para Gabriel Jesus. O centroavante tentou dominar e Philippe Coutinho apareceu para completar diante de Keylor Navas.

“A bola sobrou, o Gabriel protegeu bem e, graças a Deus, consegui fazer o gol. O mais importante é a equipe ganhar e somar os três pontos”, afirmou Coutinho, que já contabiliza dois gols na Copa do Mundo da Rússia, ainda na saída do gramado.

Após inaugurar o marcador com Philippe Coutinho, a Seleção Brasileira encontrou tempo para ampliar por meio de Neymar. Douglas Costa recebeu passe de Casemiro pelo lado direito e cruzou na medida para o camisa 10 completar com sucesso.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E da Copa do Mundo, já que supera a Suíça no saldo de gols. Na última rodada da fase classificatória, precisando de um empate para avançar às oitavas de final, a Seleção pega a Sérvia às 15 horas (de Brasília) de quarta-feira, no Estádio do Spartak.

Confira o boletim do jogo:



A Seleção Brasileira esteve muito perto de somar mais um resultado frustrante em sua 21ª participação em Copas do Mundo nesta sexta-feira. O novo desfecho amargo só não aconteceu graças a Philippe Coutinho, que já nos acréscimos apareceu na área para ficar com a sobra do domínio de Gabriel Jesus e bater à queima-roupa, abrindo o placar para o Brasil. Antes do apito final, aos 51, Neymar completou o passe de Douglas Costa para fazer 2 a 0 e fechar os trabalhos no Estádio Krestovsky.

Novamente a Seleção Brasileira foi alvo de polêmica com o árbitro de vídeo. Aos 32 minutos do segundo tempo, o holandês Bjorn Kuipers assinalou pênalti para o time do técnico Tite, contudo, ao rever o vídeo do lance à beira do gramado, voltou atrás e cancelou a penalidade, o que levou os jogadores à loucura.

Embora tenha pressionado os costarriquenhos durante os 90 minutos, a Seleção Brasileira mostrou pouco poder criativo e sofreu para infiltrar na defesa adversária. Agora, o time canarinho decide a primeira colocação do Grupo E contra a Sérvia, na próxima quarta-feira, em Moscou. A já eliminada Costa Rica, por sua vez, pega a Suíça, no mesmo dia e horário, em Nizhny Novgorod.

O jogo – O início do jogo foi de imposição da Seleção Brasileira. Mais equilibrado, o time do técnico Tite procurou rodar mais a bola em comparação à partida de estreia, em que optou por construir as jogadas exclusivamente pelo lado esquerdo. Desta maneira, Fagner, substituto de Danilo, foi mais ativo e até contribuiu no setor ofensivo, pressionando a saída de bola rival para recuperá-la mais próximo do gol adversário.

E foi exatamente pressionando os defensores costarriquenhos que o Brasil chegou com perigo pela primeira vez na partida, aos dois minutos. Philippe Coutinho ficou com a sobra após o abafa de Fagner e bateu colocado, muito forte, mandando por cima do gol. A Costa Rica, por sua vez, respondeu aos seis minutos com a jogada mais perigosa da etapa inicial. Borges chegou batendo de trás após passe vindo do lado direito e mandou rente à trave direita de Alisson, livre da marcação.

Daí em diante a seleção costarriquenha se fechou e conseguiu neutralizar o Brasil, que não conseguia encontrar espaços para infiltrar diante da linha de cinco defensores rival. Somente aos 25 minutos os comandados do técnico Tite assustaram de novo, desta vez com Gabriel Jesus, que apareceu no meio da trajetória do chute de Marcelo para dominar a bola dentro da área e estufar as redes em posição irregular, que foi sinalizada pelo assistente.

O gol invalidado, no entanto, parece ter feito o Brasil retomar sua confiança. Novamente tentando surpreender Keylor Navas, seu companheiro de Real Madrid, Marcelo arriscou um novo arremate de média distância aos 28 minutos, mandando muito perto da trave esquerda do goleiro adversário. Não satisfeito, o lateral-esquerdo ainda tentou a mesma jogada aos 40, mas desta vez o goleiro adversário voou no canto esquerdo para ficar com a bola.

Segundo tempo

Na etapa complementar a Seleção Brasileira voltou a campo com Douglas Costa na vaga de Willian, e o time pareceu ter melhorado com a alteração. Logo aos quatro minutos, Gabriel Jesus carimbou o travessão após cruzamento pela direita. Paulinho ficou com o rebote e tocou para trás para Coutinho, que, por sua vez, chegou batendo de primeira e viu a bola desviar milagrosamente na canela do adversário quando Navas já não tinha qualquer chance de defesa.

Já aos dez minutos foi a vez de Neymar aparecer no meio da área para completar de primeira o cruzamento à meia altura de Paulinho. Keylor Navas, no entanto, estava bem posicionado para fazer a defesa e mostrar bom reflexo. Pouco depois, Douglas Costa levou pela linha de fundo na direita e tocou para trás para Philippe Coutinho. O camisa 11 novamente chegou batendo, mas não conseguiu tirar a bola do alcance do goleiro costarriquenho, que seguiu mantendo a igualdade no placar.

Sem conseguir balançar as redes, Tite recorreu a Firmino, que entrou na vaga de Paulinho, novamente apagado e sem explorar sua principal característica, que é aparecer como “elemento surpresa” na área rival. Cada vez mais ofensivo, o Brasil seguiu em busca do gol da vitória. Aos 26 minutos, Neymar saiu livre na entrada da área, mas, ao invés de carregar a bola mais à frente, optou por bater de média distância, no ângulo, mas mandou para fora.

Aos 32 minutos, a ameaça brasileira, poderia, enfim, ser revertida em gol, já que o árbitro Bjorn Kuipers marcou pênalti em Neymar, teoricamente impedido de bater dentro da área por González. Na revisão do vídeo à beira do campo, porém, o holandês voltou atrás em sua decisão e cancelou a penalidade.

Daí em diante o Brasil foi para cima da Costa Rica mais na base da emoção do que qualquer outra coisa. Apostando na agilidade de Douglas Costa, o time canarinho explorou bastante a ala direita, mas foi na esquerda onde a jogada do primeiro gol verde e amarelo se iniciou. Gabriel Jesus tentou dominar o cruzamento dentro da área e, na sobra, já nos acréscimos, Philippe Coutinho apareceu de surpresa para bater seco, sem qualquer chance para Keylor Navas. Aos 51, ainda deu tempo de Neymar completar o passe de Douglas Costa e fechar os trabalhos em São Petersburgo.

Confira o boletim do jogo:

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 X 0 COSTA RICA

Local:Estádio Krestovsky, em São Petersburgo (RUS)
Data: 22 de junho de 2018
Horário: 9h (de Brasília)
Árbitro: Bjron Kuipers (HOL)
Assistentes:Sander Van Roekel (HOL) e Erwin Zeinstra (HOL)
Público: 64.468 pessoas

Cartões amarelos: Philippe Coutinho e Neymar (Brasil); Acosta (Costa Rica)
Gols: Philippe Coutinho, aos 46 minutos do 2ºT, e Neymar, aos 51 minutos do 2ºT (Brasil)

BRASIL: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Willian (Douglas Costa), Paulinho (Firmino), Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus (Fernandinho)
Técnico: Tite

COSTA RICA: Keylor Navas; Gamboa (Calvo), González, Acosta, Duarte e Oviedo; Venegas, Guzmán (Tejeda), Borges e Bryan Ruiz; Ureña (Bolaños)
Técnico: Óscar Ramírez