COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Jo Hyeon-Woo fez importantes defesas na partida (Foto: Saeed Khan/AFP)

Nesta quarta-feira, a Coreia do Sul fez história e venceu a atual campeã do mundo, Alemanha por 2 a 0. O grande destaque da partida foi o goleiro coreano Jo Hyeon-Woo, que realizou defesas importantíssimas para assegurar o resultado.

A seleção alemã teve poucas oportunidades claras de gol, mas em todas que teve, o coreano participou bem dos lances e evitou o gol.

No final do primeiro tempo a Alemanha quase marcou, aos 38 minutos. Timo Werner, após escanteio, tocou para Hummels dentro da área. O zagueiro driblou o defensor rival e na hora que ia bater para o gol viu o goleiro sul-coreano sair de baixo das traves para ficar com a bola.

Logo aos dois minutos do segundo tempo, Kimmich cruzou na medida para Goretzka, livre no meio da área. O meia subiu sozinho e cabeceou firme, no canto direito do goleiro sul-coreano, que voou para fazer uma defesa espetacular e evitar o gol dos atuais campeões mundiais.

Aos 22 minutos da etapa final, após cruzamento da esquerda, Mario Gómez subiu sozinho e cabeceou. O goleiro fez mais uma brilhante defesa e evitou o gol. Já no final da partida, aos 43 minutos do segundo tempo, Kroos chutou forte de fora da área e o goleiro fez mais uma ótima defesa.

Apesar da eliminação, os três pontos foram simbólicos para a seleção coreana, que conseguiu terminar na terceira colocação e na frente dos alemães. Suécia e México avançaram para as oitavas no Grupo F.



Jo Hyeon-woo foi o nome do jogo do confronto entre Coreia do Sul e Alemanha. O goleiro sul-coreano fez defesas elementares ao longo dos 90 minutos para evitar não só uma possível derrota de sua equipe, mas também a classificação dos atuais campeões mundiais à próxima fase da Copa do Mundo, algo inédito na história do futebol alemão.

“Nunca fiz um jogo tão perfeito como esse em toda a minha carreira. Não defendi todas as bolas sozinho hoje, os outros goleiros da equipe também me ajudaram. Todos os jogadores sul-coreanos e também o treinador estavam jogando para o povo sul-coreano, todos nós nos tornamos em um para o povo sul-coreano”, afirmou o goleiro após a surpreendente vitória sul-coreana por 2 a 0.

Pelo fato de não saberem o resultado da partida entre México e Suécia, que aconteceu simultaneamente à partida de sua equipe, Jo Hyeon-woo e seus companheiros acreditavam que poderiam ter garantido a classificação à próxima fase com a vitória sobre a Alemanha. Os suecos, no entanto, superaram os mexicanos por 3 a 0, fato que impediu a festa asiática.

“Foi apenas depois do jogo que percebemos o placar e, claro, estávamos desapontados. Por isso que muitos de nós choramos em campo”, completou Jo Hyeon-woo.

Quem também comentou sobre o resultado histórico da seleção sul-coreana foi o treinador da equipe, Teyong Shin. O comandante falou sobre a estratégia armada para o duelo em Kazan e a conversa que teve com os jogadores para motivá-los mesmo possuindo chances mínimas de se manterem vivos no torneio.

“Me sinto bem, mas ao mesmo tempo me sinto um pouco decepcionado. Ontem disse que tínhamos 1% de chance e falei que eles deveriam lutar até o final. A Alemanha é a atual campeã, pensei em quais erros a Alemanha poderia cometer, porque certamente eles pensavam que poderiam nos vencer. Pensei que poderíamos explorar isso estrategicamente e deu certo. Por dois dias analisamos as estratégias e pensamos que a formação ideal seria 4-4-2 e nos saímos bem”, finalizou.



Andreas Granqvist, de joelhos, comemora a vitória da Suécia (Foto: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT / AFP)

Apesar de a Suécia ter vencido o México por 3 a 0 graças ao excelente trabalho em equipe e o eficiente sistema defensivo, os líderes do Grupo F podem dar muito crédito ao zagueiro Andreas Granqvist . Além de ser o capitão do time sueco, o atleta fez dois gols nesta primeira fase da Copa do Mundo, um deles nesta quarta-feira, e foi fundamental para a classificação dos europeus.

O primeiro gol de Granqvist neste Mundial foi logo na estreia, quando a Suécia enfrentou a Coreia do Sul. Em um jogo truncado desde o início, a equipe europeia conseguiu vencer graças ao gol de pênalti do capitão. Já diante do México, o jogador não fez o tento da vitória, porém fez o segundo gol da partida e deixou os suecos ainda mais próximos da vitória e da classificação.

Com tamanha importância para a Seleção nacional neste Mundial, Granqvist ainda não teve oportunidade de jogar em uma equipe de porte médio no futebol europeu. Além de times do futebol sueco, o jogador atuou no Wigan, da Inglaterra, no Groningen, da Holanda, e no Genoa, na Itália.

Com o resultado, os suecos já terão um resultado melhor do que a da Copa de 2006, última participação da equipe antes da atual na Rússia. Na ocasião, a Suécia caiu na fase de grupos após fazer quatro pontos em uma chave com Inglaterra, Paraguai e Trinidad Tobago.

 



Mats Hummels não escondeu o abatimento após a vexatória derrota para a Coreia do Sul, nesta quarta-feira, por 2 a 0. O zagueiro do Bayern de Munique teve até dificuldade de se expressar diante de um episódio inédito na história do futebol alemão: a eliminação na primeira fase de uma copa do Mundo.

“Muito difícil colocar isso em palavras. Nós tentamos até o final, acreditávamos até o final. Mesmo tomando um gol, tentamos virar o jogo, mas não conseguimos chegar ao gol, nenhum de nós aproveitou as oportunidades. Tivemos oportunidades, eu mesmo, lá para o final do jogo, mas não há o que fazer. Isso realmente nos quebrou, não aproveitamos nossas oportunidades”, afirmou Hummels.

A Alemanha precisava vencer a Coreia do Sul nesta quarta-feira para confirmar sua classificação às oitavas de final da Copa do Mundo. Os sul-coreanos, no entanto, mantiveram uma organização tática invejável e não deram brechas para que os atuais campeões mundiais pudessem chegar às redes com liberdade.

“Hoje o jogo não era fácil, mas temos visto que na Copa nenhuma das grandes seleções teve um bom resultado. Todos os favoritos tiveram problemas contra times menores, porque eles jogam mais defensivamente. Foi o caso hoje. Acho que deveríamos ter conquistado a vitória, mas também não trabalhamos tão bem nos 90 minutos”, prosseguiu.

Por fim, Hummels indicou que o elenco terá uma conversa séria no vestiário para que haja correções na equipe, porém, não revelou quais são os pontos que precisam ser reparados.

“Temos que melhorar em alguns pontos, vamos nos reunir para corrigir esses pontos. Não vou falar publicamente, mas vimos que nos jogos testes tivemos problemas, apesar de termos feito partidas mais consistentes”, concluiu.



A seleção alemã está fora da Copa do Mundo da Rússia. Nesta quarta-feira, os atuais campeões mundiais entraram em campo contra a modesta Coreia do Sul em Kazan, pela última rodada do Grupo F, mas não só não conseguiram vencer a retranca adversária como também sofreram dois gols já nos acréscimos para saírem de campo derrotados por 2 a 0, graças a Kim Youn-Gwon e Son, e com a eliminação na primeira fase do Mundial, algo inédito na história do futebol do país.

O Mundial de 1994 foi o primeiro disputado pela Alemanha reunificada e de lá para cá a pior campanha do país em Copas foram as eliminações nas quartas de final nos EUA e em 1998, na França. Atual campeã do mundo, a Mannschaft não conseguiu exibir o futebol consistente que todos se acostumaram a ver há quatro anos e conquistou apenas uma vitória na Rússia, contra a Suécia, por 2 a 1, com o gol da virada marcado aos 50 minutos do segundo tempo.

Com a surpreendente derrota da Alemanha, quem avançou às oitavas de final no Grupo F foram México e Suécia. O time nórdico começou a rodada em terceiro lugar, mas foi eficiente diante dos até então líderes da chave e saíram de campo com 3 a 0 a seu favor, placar que assegurou a primeira colocação à equipe azul e amarela.

O jogo – A Coreia do Sul não deu brechas para a seleção alemã no primeiro tempo. Extremamente obedientes na parte tática, os sul-coreanos dificultaram a vida dos rivais na busca por espaço e só permitiram que eles chegassem ao gol pela primeira vez na partida graças à uma falha própria. Aos 13 minutos, Kim saiu jogando errado e deu a bola de presenta para Reus. O meia do Borussia Dortmund acionou Leon Goretzka pela direita, que, por sua vez, tentou o cruzamento para Timo Werner, livre na esquerda. A defesa asiática, porém, conseguiu se recompor na jogada e travou o passe, mandando para escanteio.

Com o time todo no campo defensivo e deixando Son, estrela do time, sozinho no ataque, a Coreia do Sul chegou poucas vezes ao gol de Manuel Neuer nos 45 minutos iniciais, mas quando chegou, levou perigo. Aos 18, Jung bateu falta direto para o gol, e o goleiro alemão, ao tentar encaixar a bola, a deixou escapar. Contudo, no rebote, ele foi mais rápido que o atacante adversário e conseguiu mandar para escanteio.

Posteriormente, aos 24 minutos, foi a vez de Son quase balançar as redes. O camisa 7 aproveitou a sobra do cruzamento e, dentro da área, soltou uma bomba, mandando rente ao ângulo esquerdo de Manuel Neuer.

Somente na reta final do primeiro tempo, aos 38 minutos, a Alemanha voltou a ameaçar. Antes disso, o time até vinha pressionando os sul-coreanos e marcando presença no campo ofensivo, mas sem reverter a superioridade em lances de perigo. A situação mudou de figura quando Ozil acionou Timo Werner na direita. Ao tentar bater, o atacante do Red Bull Leipzig foi travado, porém, logo na sequência, após escanteio, tocou para Hummels dentro da área. O zagueiro driblou o defensor rival e na hora que ia bater para o gol viu o goleirão sul-coreano sair de baixo das traves para ficar com a bola.

Segundo tempo

Já na etapa complementar a Alemanha não demorou para mostrar eficiência. Logo aos dois minutos, Kimmich cruzou na medida para Goretzka, livre no meio da área. O meia subiu sozinho e cabeceou firme, no canto direito do goleiro sul-coreano, que voou para fazer uma defesa espetacular e evitar o gol dos atuais campeões mundiais. Depois, aos cinco, foi a vez de os alemães chegarem pela esquerda com Ozil, que acionou Timo Werner dentro da área e viu o atacante pegar de primeira, tirando tinta da trave direita de Jo Hyeon-woo.

Precisando reagir o quanto antes para não depender de outros resultados para se classificar, o técnico Joachim Löw decidiu mexer na equipe já aos 13 minutos do segundo tempo, quando o experiente Mario Gomez entrou no lugar de Sami Khedira. Pouco depois, foi a vez de Thomas Müller substituir Leon Goretzka. A formação mais ofensiva por pouco não surtiu efeito após cobrança de escanteio aos 19 minutos. Werner ficou com a bola no segundo pau após cela atravessar toda a área e bateu no cantinho, mas mandou para fora.

Com a Alemanha praticamente inteira no campo ofensivo, a Coreia do Sul sabiamente apostou na velocidade de seus jogadores para surpreender os adversários no contra-ataque. Aos 20 minutos, Moon recebeu livre na entrada da área, porém, ao invés de bater, tentou mais um corte para clarear ainda mais a jogada e acabou desarmado. Já aos 32 minutos foia  vez de Son mandar rente à trave direita de Neuer, levando a torcida asiática à loucura em Kazan.

A Alemanha, cada vez mais desesperada pelo gol, continuou martelando os sul-coreanos, mas não encontrava espaços para finalizar com mais precisão. Coube aos jogadores arriscarem de fora da área. Marco Reus, aos 38 minutos, mandou muito próximo ao ângulo direito do goleiro rival, mas não estufou as redes. Já aos 41 minutos, foi a vez de Hummels cabecear no meio da área, porém, não pegou em cheio na bola e levou as mãos à cabeça ao vê-la sair pela linha de fundo.

Para piorar, já nos acréscimos, a Coreia do Sul conseguiu abrir o placar com Gwon, que aproveitou a sobra da cobrança de escanteio para balançar as redes e acabar com qualquer esperança que a Alemanha tinha de evitar sua campanha vexatória no Mundial da Rússia. Como se não bastasse, o time asiático ainda ampliou com Son, que aproveitou a ausência de Manuel Neuer no gol para receber lançamento livre e apenas empurrar para o fundo das redes.

FICHA TÉCNICA
COREIA DO SUL 2 X 0 ALEMANHA

Local: Arena Kazan, em Kazan (RUS)
Data: 27 de junho de 2018, quarta-feira
Horário: 11h (de Brasília)
Árbitro: Mark Geiger (EUA)
Assistentes: Joe Fletcher (CAN) e Frank Anderson (EUA)

Gols: Kim Young-Gwon, aos 47 minutos do 2ºT, e Son, aos 50 minutos do 2ºT (Coreia do Sul)
Cartões amarelos: Jung, Lee, Moon e Son (Coreia do Sul)

COREIA DO SUL: Jo; Lee, Yun, Kim e Hong; J S Lee, Jung, Jang e Moon (Ju Se-Jong); Koo (Hwang) e Son
Técnico: Taeyong Shin

ALEMANHA: Neuer; Kimmich, Hummels, Süle e Hector (Brandt); Khedira (Mario Gomez) e Kroos; Goretzka (Müller), Özil e Reus; Werner
Técnico: Joachim Löw



Suecos comemoram um dos gols diante do México (Foto: Anne-Christine POUJOULAT / AFP)

O dia 27 de junho de 2018 ficará marcado para a história do futebol sueco. Isso porque a seleção nacional conseguiu um resultado que poucos esperavam: venceram o México por 3 a 0 e, além de garantirem vaga para as oitavas de final desta Copa do Mundo, terminaram como primeiro lugar do Grupo F. Agora, a Suécia esperam o resultado do Grupo E para saber quem enfrentarão na próxima fase.

Com o resultado, o México garantiu vaga para as oitavas de final em uma Copa do Mundo pela oitava vez seguida (desde 1986) mas perdeu a chance de, pela primeira vez vencer três jogos seguidos em um Mundial. Os mexicanos tiveram um dos piores resultados da equipe nos últimos anos, mas não foram eliminados já que a Alemanha não conseguiu vencer a Coreia do Sul.

O Jogo – Precisando de um bom resultado para evitar a eliminação, a Suécia partiu para cima do México logo no primeiro minuto de jogo. Rapidamente, Larsson cobrou falta para área, Berg conseguiu cabecear para o meio e, dentro da pequena área, Granqvist acabou furando uma excelente oportunidade dos suecos.

Motivados pela chance criada, os suecos se mantiveram no campo de ataque e criaram mais uma jogada ofensiva, desta vez aos cinco minutos iniciais. Forsberg arriscou um belo chute e obrigou Ochoa a fazer excelente defesa. No rebote, Granqvist pediu pênalti, porém o árbitro argentino nada assinalou.

Pressionados em campo, os mexicanos responderam aos 16 minutos. Em saída de bola errada dos adversários europeus, Lozano, um dos destaques da Copa do Mundo, deu belo passe para Carlos Vela, que acertou belo chute que passou muito perto da trave do goleiro Olsen. Logo em seguida, Forsberg apareceu livre na área e perdeu uma excelente oportunidade para a Suécia.

Um dos jogadores mais observados em campo era Chicharito Hernández. Com boas atuações nos dois primeiros jogos do time neste Mundial e maior artilheiro da história do México, o atacante chegou à marca de 50 gols com a camisa da seleção mexicana, feito conquistado apenas por ele na história do país.

Curiosamente, o jogador participou da grande “polêmica” da primeira etapa. Aos 27 minutos, o atacante tentou dominar a bola com o peito, porém acabou utilizando a mão para partir em contra-ataque, lance que imediatamente foi reclamado pelos suecos. O árbitro da Argentina revisou a imagem com o VAR, porém interpretou que o mexicano não teve intenção e nada marcou.

No segundo tempo, os suecos mantiveram o ritmo e finalmente chegaram  ao gol. Logo aos quatro minutos,  Claesson furou o chute na marca do pênalti e a bola sobrou para Augustinsson, que acertou um belo chute para abrir o marcador a favor da Suécia. Apesar de estar bem posicionado, o goleiro Ochoa nada pode fazer, já que o chute do atacante foi forte e à queima-roupa.

Com o gol, os suecos não perderam tempo e ficaram ainda mais confiantes para conseguir a classificação. Em belo contra-ataque, Berg sofreu pênalti de Moreno após o jogador mexicano tentar tirar a bola com um carrinho. Na cobrança, o zagueiro Granqvist acertou belo chute, ampliou o marcador e fez seu segundo gol na Copa do Mundo. Totalmente desanimados, os mexicanos ainda viram o zagueiro Edson Álvarez se atrapalhar após cobrança de lateral e mandar para a própria meta, ampliando para a Suécia.

 

FICHA TÉCNICA
MÉXICO 0 X 3  SUÉCIA 

Local: Arena Ecaterimburgo, em Ecaterimburgo (Rússia)
Data: 27 de junho de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 11 horas (de Brasília)
Árbitro: Nestor Pitana (ARG)
Assistentes: Hernan Maidana (ARG) e  Juan Pablo Belatti (ARG)
Cartões amarelos: Gallardo (MEX) e Larsson (SUE)
Gols: Suécia: Augustisson (04 do 2/T) , Granqvist (16 do 2°T) e contra Álvarez (28° do T)

MÉXICO: Ochoa; Alvarez, Moreno, Herrera e Salcedo; Guardado (Jesus Corona), Gallardo (Fabián) Layún (Peralta)e Carlos Vela; Lozano e Chicharito Hernández
Técnico: Juan Carlos Osorio

SUÉCIA: Olsen; Lustig, Lindelöf, Granqvist e Augustinsson; Claesson, Larsson (Svensson,  Ekdal (Hiljemark) e Forsberg; Berg (Thelin) e Toivonen
Técnico: Jan Olof Andersson

 

 



Jesús Gallardo se tornou o jogador que mais rápido recebeu um cartão amarelo na história das Copas do Mundo (Foto: Jorge Guerrero/AFP)

O relógio do árbitro que apitava a partida entre México e Suécia marcava apenas 13 segundos quando ele precisou retirar o cartão amarelo para repreender o mexicano Jesús Gallardo, agora o jogador que mais cedo recebeu esse tipo de advertência em uma Copa do Mundo.

A partida iniciou e, logo após o apito inicial, a bola foi lançada para Toivonen e Gallardo fez peso em suas costas, ao que o juiz Nestor Quintana, da Argentina, assinalou a falta e aplicou o cartão no mexicano, gerando muita reclamação.

O campeão nesse quesito era o russo Sergei Gorlukovic, zagueiro advertido aos 55 segundos, no duelo entre Rússia e também a Suécia, mas na Copa de 1994. Com relação ao cartão vermelho, o recordista é o uruguaio José Batista, na derrota por 6 a 1 para a Dinamarca na Copa de 1986, quando foi expulso aos 51 segundos.





O Brasil enfrenta a Sérvia nesta quarta-feira, às 15h (de Brasília), e toda torcida é bem-vinda. O lateral-direito Daniel Alves, que seria titular e um dos líderes da equipe, resolveu visitar a Seleção antes da partida e até almoçou com os jogadores no hotel em Moscou.

“É diferente, visitar os companheiros, fazia tempo que eu queria vir, só que não estava permitido ainda. Eu precisava também sentir essa energia deles, trocar essa boa vibe com eles e espero que hoje seja um grande dia para a gente”, disse o jogador, que está em tratamento de uma lesão no joelho. “Vai ser diferente, vai ser a primeira vez que verei a Seleção Brasileira jogar”, revelou aos risos em um vídeo oficial da CBF.

Daniel Alves ainda disse para os torcedores focarem na vitória do Brasil e mandou um recado. “A Seleção Brasileira não é coisa dos jogadores que estão aqui, eles estão representando vocês, o nosso país, colocando tudo que está ao alcance deles para que o nosso Brasil seja bem representado. Então, galera, o nosso país precisa da gente! Vamos juntar nossas forças, nossas boas energias e mandar para cá!”.

O Brasil enfrenta a Sérvia nesta quarta-feira, às 15h (de Brasília), pela terceira e última rodada da primeira fase, pelo Grupo E. A amarelinha precisa de um empate para avançar às oitavas, mas uma vitória aumenta as chances de uma possível liderança. Se perder, o Brasil estará eliminado, a não ser que a Suíça também perca da Costa Rica no mesmo horário.