Futebol/Libertadores da América

Tiago Nunes lamenta jogo travado e segue confiando na classificação do Furacão

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes - Curitiba , PR
25/07/2019 00:13:25

Em: Athletico-PR, Futebol, Libertadores, Notícias
Bola rolou pouco no primeiro confronto entre os times na Baixada (Foto: Heuler Andrey / AFP)

O Athletico Paranaense não mostrou a mesma intensidade das últimas apresentações e saiu atrás na disputa por uma vaga nas quartas de final de Libertadores da América ao perder por 1 a 0 para o Boca Juniors, no jogo de ida na Arena da Baixada. O técnico Tiago Nunes, entretanto, conseguiu enxergar ainda dentro do confronto uma reação do time após o intervalo, mas insuficiente para fazer o resultado positivo.

“Fizemos um primeiro tempo abaixo e no segundo tempo voltamos à normalidade. Ficamos distantes, facilitamos a marcação do Boca, que veio com a proposta de jogar no contra-ataque. Tivemos dificuldade de dar ritmo ao jogo.De 98 minutos, a bola rolou apenas 38 minutos, uma vergonha”, lamentou o treinador, que segue confiando na reversão da vantagem.”Poderíamos ter finalizado um pouco mais. Mas, nada que seja problema pensando na continuidade. Estamos confiantes que vamos lá tomar essa classificação e vencer eles lá”, emendou.

O comandante rubro-negro acredita que o resultado não mostra o que foi o jogo, avaliando que o adversário jogou fechado, sem interesse em atacar, amarrando a disputa. “O Boca veio para não perder e conseguiu um resultado melhor do que veio buscar, e mais porque deixamos por conta do nosso primeiro tempo. Quando a gente corrigiu, tivemos mais volume de jogo. Circulamos, chegamos lá. Lógico que tem o mérito de uma grande equipe, mas passou mais por nossas ações. Fizeram o gol e uma bola que desviou no meio do caminho. E tivemos uma penalidade que graças ao VAR foi marcada”, analisou.

Já pensando no confronto da volta, na próxima quarta, na Bombonera, Tiago espera que os destaques individuais apareçam diante da catimba argentina. “Talvez faltou arriscar mais o drible, uma jogada individual diante de uma defesa muito fechada, em duas linhas. Poderíamos ter produzido um pouco mais, mas o controle geral tivemos. Agora , tem que repetir esse controle fora de casa e deixá-los em uma situação desconfortável. A gente sabe que o jogo será truncado, e ele são bons nisso, sabem utilizar isso a seu favor. Temos que focar em jogar futebol, dentro do campo”, concluiu.