Mascherano pede fim das polêmicas e prega união na Argentina

São Paulo , SP
24/06/2018 08:55:14 — 24/06/2018 09:20:07

Em: Argentina, Copa do Mundo, Futebol
Em seu curto discurso, Tapia acusou imprensa argentina de proferir mentiras à torcida (Foto: Juan Mabromata/AFP)

Após ganhar sobrevida na Copa do Mundo com a vitória da Nigéria sobre a Islândia, a Argentina tenta amenizar a crise que lhe ronda com a possível eliminação precoce na Rússia. Em entrevista coletiva concedida neste domingo, em Bronnitsy, o presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Claudio Tapia, e dois dos líderes da equipe, Javier Mascherano e Lucas Biglia, trataram de passar uma imagem de união entre jogadores e comissão técnica após os rumores que davam conta de um suposto motim contra Jorge Sampaoli.

Antes de os atletas falarem, o dirigente máximo da AFA pegou o microfone para criticar os jornalistas. “Muito do que disseram é mentira. Isso não acontece. Eles são o quarto poder. Existem diferentes formas de exercer o poder. Não se esqueçam que são comunicadores. Nem todos são iguais, há alguns diferentes, mas deturpam com esta função de comunicar”, esbravejou Tapia.

O mandatário da entidade que regula o futebol argentino também pediu um voto de confiança do torcedor com a seleção atual vice-campeã mundial. “Para todos que choram por um resultado, peço que apoiem esta equipe e o sonho que temos de conquistar a classificação”, discursou.

Na sequência, Mascherano assumiu a conferência de imprensa e confirmou que houve uma reunião entre jogadores e técnico para cada parte dar a sua versão dos fatos. O volante, que atualmente joga na China, disse que se falou “sobretudo” de futebol e as impressões dos atletas dentro de campo, mas “sempre com o objetivo de ajudar e resolver a situação”.

Mascherano pediu “unidade” para a Argentina seguir viva no Mundial (Foto: Juan Mabromata/AFP)

“Estamos conscientes de todo o barulho que existe e, infelizmente, isso não nos ajuda em nada. Nunca ajuda, principalmente quando esse barulho tem a ver com diferenças ou quando não resulta em união”, explicou o meio-campista.

Mascherano também disse que Messi, aniversariante neste domingo”, “está bem”, mas voltou a comentar os rumores de problemas internos na Argentina: “Vivemos com isso no passado e vivemos com isso no presente”.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Para sobreviver na Copa do Mundo, a Argentina deve encarar a Nigéria com mudanças no esquema e na escalação. No treino deste domingo, Sampaoli trocou o 3-4-3 pelo 4-4-2 e promoveu as entradas do goleiro Armani, do meio-campista Banega e do centroavante Higuain, além do retorno de Di María.

A Argentina ocupa a lanterna do Grupo D com apenas um ponto. Para avançar às oitavas de final, os pupilos de Jorge Sampaoli precisam derrotar a Nigéria e de um tropeço da Islândia contra a Croácia. Os dois jogos acontecem simultaneamente nesta terça-feira, às 15 horas (de Brasília). “Apareceu uma nova oportunidade. E ela é muito boa para revertermos a situação e seguirmos em frente”, projetou Biglia.

Ads – Rodapé Posts