Problemas com luzes de largada e asas traseiras será corrigido pela FIA

São Paulo , SP
22/03/2019 10:30:44

Em: Fórmula 1, Motor
Um novo bloco de luzes deverá ser instalado no meio do grid (Foto: WILLIAM WEST / AFP)

O primeiro Grande Prêmio da nova temporada da Fórmula 1, em Melbourne, Austrália, no último final de semana, trouxe consigo um problema vital para os pilotos. Isso porque os últimos colocados do grid não conseguiram enxergar as luzes de largada, graças às asas traseiras maiores implantadas nos carros deste ano. A FIA (Federação Internacional de Automobilismo), porém, já trabalha para corrigir o contratempo.

Último posicionado, Robert Kubica, da Williams, foi um dos que sofreu com a visão limitada, recorrendo à organização ao fim da corrida.

“A asa traseira da McLaren (de Carlos Sainz) estava escondendo as luzes. Eu pude ver o primeiro bloco, mas não o resto. Então, eu tive que me mover para a esquerda e foi um momento de pânico”, revelou, tendo a fala reforçada por Pierre Gasly, da Ferrari, que largou no 17º lugar e também foi prejudicado.

“Com as novas asas traseiras maiores, não consegui ver as luzes na grid, por isso tive de reagir com os carros à minha volta e perdi algumas posições”, apontou o francês, em referência ao ganho de 7 cm de altura das asas traseiras de 2019, em função das mudanças na regra de aerodinâmica, feitas para melhorar as ultrapassagens.

Após receber as reclamações dos pilotos, a FIA investigou o problema e já pensa em uma solução para o GP do Bahrein, marcado para o final de semana do próximo dia 31 de março. Provavelmente, segundo o site Motorsport, será instalado um conjunto extra de luzes no meio do grid, visível aos carros de trás.