Poupado de "correr descalço" na Itália, chefe da Ferrari celebra evolução

São Paulo, SP

01-12-2015 13:20:44

Antes de ser dada a largada da temporada 2015, o realista chefe da Ferrari, Maurizio Arrivabene, fez uma promessa um tanto inusitada. Projetando no máximo duas vitórias dos carros vermelhos, o italiano jurou que correria "100 km descalço nas colinas de Maranello" se a escuderia dobrasse a meta. Sem surpresas, o time não foi capaz de superar a hegemonia da Mercedes, mas viu o alemão Sebastian Vettel subir ao lugar mais alto do pódio três vezes - o que seria "perfeito" nas previsões de Arrivabene. Mesmo sem a obrigação de tirar os sapatos para comemorar, Arrivabene ficou satisfeito por ver o time superar a meta inicial, mas reconhece que a festa só ficará completa com o título mundial.

“Enquanto não estivermos ganhando o campeonato, não posso dizer que a missão está completa. Nós tivemos um início de ano que deixou a nossa missão bastante difícil. Acho que subimos a montanha. Eu estaria mais feliz se chegasse no topo, mas está bom por enquanto", avaliou o italiano.

Ao longo da temporada, a Ferrari só foi capaz de quebrar a hegemonia da Mercedes nos Grandes Prêmios da Malásia, Hungria e Cingapura - todas vitórias de Vettel. O finlandês Kimi Raikkonen permanecerá em Maranello em 2016, na tentativa de quebrar o jejum que dura desde o GP da Austrália 2013. Um pouco mais otimista, Arrivabene reconheceu o trabalho da equipe e projetou uma eventual superação do time italiano sobre o britânico no próximo ano.

"Como eu disse antes, eu tenho que agradecer a todos os caras da Ferrari porque eles estão fazendo um trabalho incrível", concluiu.

Após prometer que correria descalço se a Ferrari vencesse quatro provas, Arrivabene projeta um 2016 (foto: AFP)
Após prometer que correria descalço se a Ferrari vencesse quatro provas, Arrivabene foi mais otimista sobre 2016 (foto: AFP)

Deixe seu comentário