Simon bate eslovaco em Metz e reedita final de 2013 com Tsonga

São Paulo, SP

26/09/15 | 13:26

Os dois maiores campeões do ATP 250 de Metz voltam a decidir o título neste domingo. De um lado, o local Gilles Simon, número 10 do mundo e responsável por erguer o troféu em 2010 e 2013. Do outro, seu compatriota Jo-Wilfried Tsonga, 17º do ranking e vencedor em 2011 e 2012. O duelo reedita a final vencida por Simon há dois anos.

Segundo favorito ao título, o integrante do top 10 se classificou com uma vitória suada sobre o eslovaco Martin Klizan, 35º do mundo, e precisou de 1h35 para vencer com duplo 6/4.

Klizan pressionou o anfitrião, e após três break points perdidos, quebrou o serviço de Simon no sexto game. O cabeça de chave 2 respondeu com uma quebra e lutou muito para salvar mais um break point (4/4). A resistência o fez crescer para quebrar novamente o serviço adversário e fechar a primeira parcial.

Em duelo de bicampeões, Simon vai reeditar a final de 2013 com o compatriota Tsonga (foto: ATP)
Em duelo de bicampeões, Simon vai reeditar a final de 2013 com o compatriota Tsonga (foto: ATP)

O eslovaco salvou uma quebra no início do segundo set e tentou pressionar o rival. Simon salvou quatro break points, mas não resistiu ao quinto e viu o eslovaco sair na frente. Porém, o francês soube usar sua experiência e o apoio da torcida para aplicar duas quebras seguidas, retomar a dianteira e sacramentar a classificação à final. Klizan anotou cinco aces, três a mais que o adversário, e desperdiçou oito de dez break points (80%), enquanto Simon concretizou quatro de seis oportunidades (66%).

Tsonga teve vida mais tranquila diante do alemão Philipp Kohlschreiber, número 33 do mundo. O bicampeão anotou 13 aces, não foi ameaçado por nenhum break point e conquistou uma quebra em cada parcial para despachar o adversário em sets diretos (6/3 e 6/4) após 1h10 de embate.

Os únicos bicampeões no piso rápido francês disputam a final no domingo, às 7h (de Brasília). Embora superado por Simon em 2013, Tsonga é beneficiado pelo retrospecto: venceu seis dois nove duelos contra o adversário. O último encontro foi na terceira rodada do Aberto da Austrália 2014, na qual Tsonga não tomou conhecimento do compatriota e venceu por 3 sets a 0, com parciais de 7/6 (7-5), 6/4 e 6/2.

Deixe seu comentário