Presidente da CBT responderá por desvio de dinheiro público

São Paulo, SP

07-10-2016 17:59:45

A Justiça Federal aceitou a denúncia do Ministério Público Federal contra o presidente da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Jorge Lacerda. Além dele, também foram citados o ex-tenista e atual comentarista do Sportv, Dacio Campos, e Ricardo Marzola, proprietário da Brascourt. Todos estão sendo acusados de desvio de dinheiro público.

Em 2011, a CBT arrecadou, junto ao Ministério do Esporte, R$ 440 mil para realização do torneio Grand Champions Brasil, competição que reunia ex-jogadores do circuito mundial. De acordo a denúncia, tal quantia foi desviada pelos réus.

Inicialmente, o torneio seria realizado no Sheraton São Paulo WTC Hotel, e para o aluguel das quadras seria destinado R$ 400 mil. Porém, a empresa Premier Sports, de Dacio Campos, responsável por produzir o evento, acabou mudando o local e a competição foi realizada Clube Harmonia de Tênis, que cedeu as quadras gratuitamente.

Além disso, os outros R$ 40 mil da verba seria destinado à adequação da quadra pela empresa Brascourt, de propriedade de Ricardo Marzola. Contudo, os serviços não foram necessários.

Em 2013, o Tribunal de Contas da União (TCU) já havia investigado o caso. A Confederação Brasileira de Tênis obrigada a devolver cerca de R$ 537 mil, de acordo com o valor reajustado. Marzola, por sua vez, foi multado.

Em nota oficial, a CBT informou que, até o momento, Jorge Lacerda ainda não foi intimado, e que se defenderá na justiça. O dirigente está à frente da Confederação desde 2004 e, no próximo ano, será substituído por Rafael Westrupp.

Leia abaixo o comunicado oficial da CBT.

Mediante as informações que saíram na imprensa, o presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Jorge Lacerda, declara que conversou com os advogados do caso e que os mesmos irão requerer oficialmente os documentos para se interarem dos andamentos, visto que não houve intimação até o presente momento. 

Pelas informações não oficiais que foram publicadas na imprensa, Jorge afirma que já explicou cada um dos pontos, tanto que a prestação de contas do projeto junto ao Ministério do Esporte foi aprovada, com comprovação de que não houve dano ao erário.

Jorge complementa que agora, finalmente, terá a oportunidade de se defender na Justiça.

Deixe seu comentário