Algoz de Monteiro elimina o favorito João Sousa e exalta torcida brasileira

Fernanda Lucki Zalcman* - São Paulo,SP

28-02-2019 16:42:47


Cabeça de chave número um do Brasil Open, João Sousa acabou sendo eliminado nesta quinta-feira nas oitavas de final do ATP 250 de São Paulo pelo algoz de Thiago Monteiro, Casper Ruud. Muito irritado durante o jogo, o português acabou se desentendendo com a torcida e se desconcentrando, o que o jovem norueguês aproveitou para conseguir mais um triunfo em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/4.

Com o resultado, Ruud terá pela frente nas quartas de final a sensação boliviana, Hugo Dellien, que derrotou mais cedo o argentino Juan Ignacio Londero, em duelo inédito no circuito.

“Eu venci o João na semana passada no Rio (Open), foi um jogo muito difícil. Acho que ter essa vitória anterior foi uma vantagem para mim. Acredito que ele tenha sentido uma pressão extra, ele era o cabeça de chave número um... Ele provavelmente está um pouco nervoso e eu apenas me mantive consistente ao longo da partida e deixei ele reclamar”, avaliou Ruud.

Veja também:

Estrela boliviana vence “grande amigo” e faz segunda quartas de final seguida

Um fator a mais para o norueguês foi o calor da torcida na quadra central do Ginásio do Ibirapuera, especialmente depois que Sousa se irritou e forçou uma parada de quase dois minutos no jogo. E ele fez questão de exaltar os fãs brasileiros.

“Foi legal. Depois da parada, eu senti a torcida ainda mais do meu lado. Aqui no Brasil é bem mais barulhento que em qualquer outro lugar. É um bom fator extra. E eu venci muitos brasileiros no Brasil, então talvez seja por isso que eles continuam torcendo por mim”, brincou.

Atualmente, o norueguês é o número 108 do mundo e dependendo da sua campanha no Brasil Open, ele poderá entrar no top-100 na próxima atualização do ranking. Apesar da boa fase, Ruud mantém os pés no chão.

“Será ótimo se eu conseguir entrar no top-100 semana que vem, mas ainda tenho que continuar trabalhando. É um grande passo para o começo de carreira, mas o meu objetivo no fim da carreira não é ser top-100, é ser um pouco melhor. Espero que eu consiga continuar nesse caminho”, concluiu o tenista de 20 anos

*Especial para a Gazeta Esportiva

Deixe seu comentário