Gazeta Esportiva |

Desperdício dágua gera questionamento diante de presidente do COI

Em Mais Esportes, Olimpíadas 2016
Publicado em 25/02/2015 17:39:00 Compartilhe
GazetaEsportiva.net - Rio de Janeiro , RJ

A Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional (COI), encerrou nesta quarta-feira sua visita ao Rio de Janeiro para verificar a organização dos Jogos Olímpicos de 2016. Os executivos do comitê elogiaram os preparativos brasileiros e sinalizaram que as obras seguem dentro do prazo de entrega.Thomas Bach, presidente da entidade, precisou responder perguntas relativas ao evento e se enrolou diante de questionamentos sobre o uso excessivo da água em instalações olímpicas.

“Estamos satisfeitos de poder mostrar ao presidente Thomas Bach que houve progresso nos Jogos Rio 2016. Os avanços realizados nos Parques Olímpicos da Barra e de Deodoro foram muito animadores, com ambas as áreas sendo preparadas para deixar legados fantásticos para o povo carioca e atletas brasileiros”, Nawal El Moutawakel, presidente da Comissão de Coordenação do COI.

O Comitê Rio 2016 planeja realizar 21 eventos-teste neste ano de 2015 para verificar a qualidade das obras realizadas.

“Enquanto fazemos uma transição em alta velocidade da fase de planejamento para a de execução, estamos focados em cumprir para com a nossa visão para os Jogos. Em um projeto desta magnitude, alguns obstáculos sempre existirão, mas com a ajuda dos nossos parceiros no COI e nos três níveis de governo, vamos superá-los. Nosso comprometimento conjunto em entregar Jogos excelentes com celebrações memoráveis está mais forte do que nunca”, disse Carlos Arthur Nuzman.

Preocupação com a água é colocada diante de presidente do COI

O presidente do COI, Thomas Bach, foi sabatinado por cerca de 100 estudantes universitários nesta quarta-feira e precisou responder a perguntas bem elaboradas. Uma das questões levantadas pelos alunos foi a quantidade abundante de água – cerca de 1,8 milhões de litros – utilizada no novo campo de golf e no parque de canoagem num momento em que a região se encontra em estado de alerta e racionamento. O prefeito Eduardo Paes teria reclamado publicamente sobre o campo – desnecessário, do ponto de vista dos estudantes, pelo fato da cidade já ter outros dois. Bach argumentou que o campo foi exigido pelo próprio prefeito.

“Em relação ao golfe, fico um pouco surpreso, porque o prefeito, como todos sabem, estava pressionando a construção deste campo. Tenho certeza que pensou muito antes de construí-lo. Em relação à canoagem, posso lhe dar a resposta da experiência em outras cidades olímpicas anteriores. A canoagem na maioria das cidades olímpicas foi muito bem sucedida. Não são apenas usadas para treinamento dos atletas. Elas estavam usando como atrações turísticas, corredeiras enfim. Tiveram muitos modelos de sucesso para um uso posterior significativo. Eu espero realmente que comecem a desenvolver esse tipo de plano e como isso pode ser usado no futuro”, disse.

Comente