CPB amplia número de turmas em esportes paralímpicos para crianças

São Paulo, SP

10-04-2019 18:00:43

O Comitê Paralímpico Brasileiro abrirá na próxima semana uma nova turma para interessados em frequentar o Centro de Formação em esportes paralímpicos. O projeto já possui quatro grupos no período da tarde, compostos por mais de 380 alunos. Para atingir a meta de atender 500 crianças com deficiência, a coordenação do projeto criou um novo de horário de aula às terças e quintas-feiras, das 9h às 10h30 (de Brasília), com mais de 60 vagas. Todas as atividades são totalmente gratuitas e realizadas no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

O projeto lançado em maio de 2018 é uma iniciativa integralmente financiada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) que promove a crianças com deficiência visual, física ou intelectual, de 10 a 17 anos, a iniciação em oito modalidades paralímpicas. A turma matutina oferecerá, neste primeiro momento, três modalidades: atletismo, natação e tênis de mesa.

"A ideia dessa nova turma veio da demanda dos próprios participantes do projeto e nós identificamos uma oportunidade para atendermos mais crianças. Toda a estrutura e forma de trabalho que já realizamos nas turmas vespertinas serão expandidos para a manhã. É uma satisfação ver o projeto crescer e espero ter demanda para termos mais turmas”, comentou Ramon Pereira, coordenador do departamento de Desporto Escolar do Comitê Paralímpico Brasileiro.

O CPB fornece aos frequentadores do Centro de Formação transporte, alimentação e uniforme gratuitamente. São 12 pontos de encontro, que abrangem seis municípios do Estado de São Paulo (Ribeirão Pires, Mairinque, Santo André, Diadema, Taboão da Serra, São Bernardo do Campo e São Paulo), em que as vans buscam e levam os alunos após a aula. Os estudantes recebem um kit com lanche, fruta e suco, que é preparado sob supervisão dos nutricionistas do CPB. Ao todo, 20 educadores entre estagiários e professores especializados em esporte para pessoa com deficiência trabalham diretamente com as crianças.

Podem participar deste projeto crianças com deficiência física, visual ou intelectual residentes na cidade de São Paulo ou municípios vizinhos e que estejam matriculadas em escolas da rede de ensino reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC).

Deixe seu comentário