Gazeta Esportiva |

Benite vê Seleção embalada e minimiza indefinição da vaga olímpica

Em Basquete, Mais Esportes, Olimpíadas 2016
Atualizado em 05/08/2015 - 13:29:51 Compartilhe
Bruno Ceccon - Osasco , SP
Vitor Benite exibe medalha pan-americana e posa com tocha olímpica. (Foto: Sergio Barzaghi)
Vitor Benite exibe medalha de ouro pan-americana e posa com tocha olímpica. (Foto: Sergio Barzaghi)

Sem presença garantida nas Olimpíadas 2016, a Seleção Brasileira disputa a partir do final de agosto a Copa América do México, que oferece duas vagas nos Jogos do Rio de Janeiro. Um ano antes do torneio, o armador Vitor Benite, destaque no recente título pan-americano, vê o time embalado e minimiza o clima de indefinição.

Na edição de 2013 da Copa América, disputada na Venezuela, o Brasil acabou eliminado na primeira fase após derrotas para Porto Rico, Canadá, Uruguai e Jamaica. Como o torneio era classificatório para o Mundial da Espanha 2014, o País precisou de convite da Federação Internacional de Basquete (Fiba).

A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) ainda não quitou a dívida com a Fiba pelo convite, o que ameaça as presenças das Seleções Brasileiras masculina e feminina nas Olimpíadas do Rio de Janeiro. Atualmente, as duas entidades negociam um acordo.

“Vamos tentar esquecer o que já passou e melhorar o que precisamos para fazer um bom campeonato no México”, diz Benite, presente no fiasco da Copa América 2013. “Estamos tranquilos, porque o grupo vem de um período de muito trabalho e de um bom Pan-Americano. Ainda temos 30 dias para treinar antes do torneio”, completou.

Para garantir presença nos Jogos Olímpicos sem depender da vaga normalmente destinada ao país-sede, atualmente em risco, a Seleção Brasileira precisa alcançar a final da Copa América. A menos de um mês do torneio a ser disputado no México, Benite garante que a situação não afeta os jogadores.

“Acho que isso atrapalha mais a diretoria, a CBB e as pessoas responsáveis pelo planejamento. Para nós, atletas, é mais uma chance de jogar um campeonato forte e mostrar o nosso trabalho. Ficamos contentes com isso. Se a vaga olímpica vier dentro do torneio ou fora dele, para os jogadores não importa muito”, declarou.

Na Copa América 2013, a Seleção Brasileira não contou com as estrelas da NBA. Em 2015, além dos atletas que atuam nos Estados Unidos, o técnico Rubén Magnano também não chamou os experientes Marcelinho Huertas, Guilherme Giovannoni e Alex, apostando nos 11 jogadores que conquistaram o Pan-Americano de Toronto, acompanhados por Marquinhos.

“A equipe criou uma base muito forte. Acho que estamos no caminho certo, com um time que joga com alegria e vontade. Esperamos conquistar o título da Copa América. Hoje, nossa cabeça é essa, até porque já provamos que o grupo é capaz. A meta de todos é consolidar um trabalho dentro da Seleção pensando nas Olimpíadas de 2016”, disse Benite.

O Brasil integra o Grupo A da Copa América ao lado de México, Panamá, República Dominicana e Uruguai, rival da estreia, marcada para o dia 31 de agosto. Nesta quarta-feira, o elenco faz seu primeiro treino em Brasília, sede de torneio amistoso com Argentina e Uruguai.

Comente