Gazeta Esportiva

Victor pega dois pênaltis, Galo bate Juventude e vai à semi da Copa do BR

Do corrrespondente Marcellus Madureira - Belo Horizonte,MG

19/10/16 | 21:45 - 19/10/16 | 22:06

"Se não for sofrido, não é Galo". A frase é famosa em Belo Horizonte e claramente faz lembrar conquistas recentes do clube mineiro, como Copa Libertadores de 2013 e a Copa do Brasil em 2014 - após jogos que contaram com viradas impressionantes para as classificações até o título. Não foi diferente na noite desta quarta-feira, quando o Atlético Mineiro chegou à classificação para as semifinais da Copa do Brasil ao bater o Juventude, em Caxias do Sul. No tempo normal, o time do Sul venceu por 1 a 0. Por ser o mesmo resultado do primeiro encontro, a decisão foi para os pênaltis, quando Victor fez duas defesas e classificou o Galo.

Apesar de jogar contra uma equipe de série inferior, o Atlético teve muita dificuldade. O Juventude fez uma boa partida do inicio ao fim, mas foi essencial abrir o placar aos 30 segundos, algo que deu mais tranquilidade dentro do jogo. O Galo teve mais o domínio da bola, mas não conseguiu chegar ao gol com a bola rolando.

O Galo agora volta suas atenções ao Campeonato Brasileiro. Embora siga longe do líder Palmeiras, com distância de sete pontos, Marcelo Oliveira segue com o sonho da conquista. A equipe entra em campo no domingo, contra o Figueirense, no Independência.

O jogo - O duelo não começou bom para o Atlético. No primeiro lance, Hugo aproveitou o cruzamento de Roberson e abriu o placar aos 30 segundos. Para equilibrar o Atlético precisou usar seus atletas importantes. Com três volantes em campo, o Galo contava com Robinho para armar o time. A melhor chegada do Galo para assustar a equipe adversária foi aos 11 minutos, com Júnior Urso aparecendo como elemento surpresa e finalizando bem.

A equipe de Marcelo Oliveira mostrou não sentir o golpe do gol. Após os 10 minutos, o time preto e branco era melhor em campo e conseguia agredir mais. Mas, embora tivesse mais força no duelo, o Atlético, por seu esquema de três volantes, tinha problemas para alcançar o ataque, deixando Pratto, em alguns momentos, isolado.

Aos 24, o Juventude mostrou como seria o retrato do jogo. Com o resultado interessante, a equipe de Caxias do Sul esperava o Galo em seu campo de defesa e descia para o ataque em velocidade. Em boa chegada, Roberson finalizou e Victor fez uma boa defesa.

Aos 34, o Juventude chegou novamente com perigo. Em lance polêmico, a equipe de Caxias do Sul marcou mais um gol, anulado por impedimento. O Atlético, apesar de ter mais posse de bola, não conseguia ser agressivo o suficiente.

O primeiro tempo chegou ao fim com o Galo melhor, com mais controle da bola, mas parando, alguns momentos nos seus erros, ou no goleiro adversário. O Juventude aproveitava os contra-ataques.

O Atlético voltou com formação diferente: Marcelo Oliveira tirou o volante Rafael Carioca e colocou o atacante Clayton. O Galo seguia dominando o jogo, mas não conseguia reverter a situação em gols.

Com a entrada de Clayton no time, o Atlético passou a ter mais jogadores fixos no ataque, mas isso pouco adiantava, pois o Galo não criava o suficiente e tinha poucas chances claras. O time visitante passava muito tempo trabalhando a bola, procurando espaços, mas a defesa do Juventude estava bem arrumada e dificultava. Aos 23, Lucas Pratto chutou forte e quase conseguiu o empate.

Com o avançar do tempo, o Juventude foi criando coragem e saindo com mais força para o ataque. O Galo precisava do gol para garantir a vaga e assumia o risco de se mandar para o ataque. O técnico Antônio Carlos Zago observou a fragilidade da defesa alvinegra e mandou seu time para o ataque. Aos 43, o time alviverde chegou perigo e quase ampliou, mas Victor salvou.

Victor volta a ser herói nos pênaltis

Com a vitória de 1 a 0 do Juventude durante o jogo, a decisão foi para os pênaltis, com o mesmo placar que o Galo conseguiu no Mineirão. Hugo Almeida iniciou as cobranças e marcou o primeiro gol das penalidades. O goleiro atleticano foi para um lado, mas a bola foi para o outro. O lateral Fábio Santos teve a missão de colocar igualdade no placar e chutou no canto, empatando a contagem.

Saranduva foi para a segunda cobrança do Juventude e não decepcionou, colocando o Juventude na frente novamente. Lucas Pratto, com categoria, empatou a contagem novamente, 2 a 2. A terceira cobrança do Juventude ficou com o goleiro Victor. Wallacer cobrou mal e o camisa 1 do Galo pegou firme. O zagueiro Gabriel foi para a cobrança e colocou o Atlético na frente, 3 a 2.

Roberson, que tinha feito uma boa partida, parou também nas mãos de Victor. O goleiro salvou a quarta cobrança e deixou o Galo em boa situação. Cazares foi para a última cobrança, não decepcionou e colocou o Galo nas semifinais.

FICHA TÉCNICA
JUVENTUDE 1 (2) X 0 (4) ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Alfredo Jaconi, Caxias do Sul (RS)
Data: 19 de outubro de 2016, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Kleber Lúcio Gil (SC) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Cartões Amarelos: Leonardo Silva (Atlético); Klaus (Juventude)

GOL: Hugo, aos 30 segundos do primeiro tempo (Juventude)

ATLÉTICO-MG: Victor; Patric, Léo Silva (Gabriel), Erazo e Fábio Santos; Rafael Carioca (Clayton), Leandro Donizete e Júnior Urso; Otero (Cazares), Robinho, Lucas Pratto.
Técnico: Marcelo Oliveira

JUVENTUDE: Elias; Vidal (Vinicius), Ruan, Klaus e Pará; Lucas (Caprini), Wanderson (Vacaria), Sananduva, Wallacer, Roberson e Hugo.
Técnico: Antônio Carlos Zago

Deixe seu comentário