Sete clubes espanhóis terão de devolver milhões aos cofres públicos

São Paulo, SP

04-07-2016 08:25:09

Sete clubes espanhóis, entre eles Barcelona e Real Madrid, foram condenados a devolver quantias milionárias ao governo espanhol após ser comprovado que essas equipes receberam ajudas financeiras do país. A investigação foi realizada pela Comissão Europeia e agora os dirigentes terão de trabalhar para levantar os altos valores que retornarão aos cofres públicos.

Real Madrid, Barcelona, Valencia, Athletic Bilbao, Osasuna, Elche e Hércules são as equipes envolvidas no escândalo. O caso mais chamativo é o que envolve a equipe de Cristiano Ronaldo, o Real Madrid, que em 1998 assinou um termo para receber terrenos do município de Madri. O que foi firmado em contrato acabou não se concretizando, no entanto, em 2011 os merengues receberam uma compensação muito maior baseado na taxação dos terrenos, que em 1998 era de 595 mil euros e posteriormente passou a ser de 22,7 milhões de euros, o equivalente a R$ 81 milhões.

A compensação que o Real Madrid recebeu, de fato deveria acontecer, porém envolvendo valores bem inferiores. Segundo a Comissão, o clube tinha direito a 4,3 milhões de euros, mas com os valores estabelecidos entre as partes acabou se beneficiando com um acréscimo de 18,4 milhões.

“Utilizar o dinheiro dos contribuintes para financiar clubes de futebol profissional pode criar uma competição injusta. O futebol profissional é uma atividade comercial em que uma quantidade muito grande de dinheiro está envolvida. Os fundos públicos devem cumprir as normas de concorrência leal e, no presente caso os subsídios investigados não os cumpriram”, disse a comissária de Concorrência, Margarethe Vestager.

O Real Madrid também figura em outra investigação que envolve Barcelona, Athletic Bilbao e Osasuna. Segundo a Comissão, os quatro clubes se beneficiaram de redução de impostos por mais de 20 anos. A instituição diz que o fisco espanhol tratou as equipes como entidades sem fins lucrativos, fazendo com que pagassem um imposto preferencial de 25% ao invés do que deveria ser aplicado, que é de 30%.

Já Valencia, Hércules e Elche também sofrerão um rombo em seus cofres. Os clubes receberam o aval do Instituo Valenciano de Finanças para empréstimos bancários que alcançaram o valor de 113 milhões de euros. Com o aval público, as equipes teriam de pagar o empréstimo em condições bem mais favoráveis do que qualquer outra empresa.

O Valencia terá de devolver 20,4 milhões de euros, o Hércules 6,1 milhões e o Elche outros 3,7 milhões.

Deixe seu comentário