Presidente despreza ‘Democracia Corinthiana’ e critica Liga Sul-Minas-Rio

São Paulo, SP

14-10-2015 17:43:45

Os presidentes Eurico Miranda, do Vasco, e Roberto de Andrade, do Corinthians, foram convidados pelo senador Romário para depor na CPI do Futebol na tarde desta quarta-feira. Na sessão realizada em Brasília, o mandatário do Timão minimizou a importância da Democracia Corinthiana e teceu críticas à Liga Sul-Minas-Rio.

“Não trouxe benefício algum para o Corinthians, era um ato dos atletas. Chamou a atenção da mídia pois não havia as concentrações. A opinião de dois ou três que mandavam no elenco era o que se ouvia. Aquilo ficou marcado como um evento fora de série, mas não foi assim, não entendo assim”, declarou.

A Democracia Corinthiana deu-se no começo da década de 1980, em plena ditadura militar, com a ascensão de Waldemar Pires à presidência, sendo Sócrates, Wladimir, Casagrande, Zenon, Zé Maria e Biro-Biro os líderes do movimento dentro do elenco. Com isso, as decisões, que passavam de escalações à gestão do clube, eram votadas pelos atletas e outros funcionários, uma inovação para a época.

Roberto de Andrade participou de audiência pública a convite de Romário (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)
Roberto de Andrade participou de audiência pública no Senado a convite de Romário (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

Roberto de Andrade ainda comentou sobre a Liga Primeira, criada em setembro e aprovada pela CBF recentemente. “Fui convidado e neguei imediatamente. Somos sim a favor de uma liga, mas desde que todos os times do Brasil estejam envolvidos. Não sei de onde irão tirar datas. Hoje, tenho que cumprir o calendário religiosamente, nem transferência de data a CBF concede, não podemos nem marcar um amistoso para conseguir renda extra”, disparou.

O torneio foi fundado no dia 10 de setembro deste ano e conta com 15 times: América-MG, Avaí, Atlético-MG, Atlético-PR, Chapecoense, Coritiba, Criciúma, Cruzeiro, Figueirense, Fluminense, Flamengo, Internacional, Joinville, Grêmio e Paraná. Alexandre Kalil, ex-presidente do Galo, foi eleito executivo-chefe e, na última semana, conseguiu o aval da CBF após reunião Marco Polo Del Nero para que a Liga aconteça em 2016.

Deixe seu comentário