Presidente da Conmebol visita CBF para discutir integração com clubes

São Paulo, SP

18-05-2016 18:42:37

 

O presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), Alejandro Domínguez, esteve na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na noite desta terça-feira, para uma reunião com os dirigentes da entidade e os representantes dos clubes brasileiros para discutir a proposta de uma integração maior entre o País e a instituição continental, bem como para tratar da Copa América de 2019, que será realizada no Brasil.

“Acredito que o mais importante é poder vir à CBF para trabalhar com o presidente e com o comitê executivo da CBF. E claro, trabalhar com os principais protagonistas que são os clubes. Os campeonatos da Conmebol dependem do protagonismo dos clubes e, em particular, eu como presidente quero vir aqui, como em outros países, para falar diretamente com os representantes dos clubes, com os jogadores e escutar. Escutar para aprender o que precisa ser feito e então responder com trabalho”, afirmou Domínguez.

O encontro com o mandatário sul-americano rendeu elogios dos dirigentes presentes. Walter Feldman, secretário-geral da CBF, destacou o ineditismo da reunião e ressaltou o comportamento de Alejandro Domínguez na tentativa de fortalecer o futebol continental.

“Foi um encontro histórico promovido pela CBF, mas a pedido do próprio Alejandro Domínguez, que queria ter um contato direto com os clubes. Eu diria que foi algo que nunca aconteceu com esta sensibilidade, essa transparência, essa prestação de contas e a proposta de fazermos esta unidade entre a Conmebol, o futebol brasileiro e a CBF para tenhamos torneios sul-americanos mais competitivos e com expressão mundial”, avaliou Feldman.

Peter Siemsen, presidente do Fluminense, exaltou a aproximação promovida por Domínguez com os clubes brasileiros. “É um primeiro passo para começar a haver uma integração de fato. O Brasil sempre esteve muito afastado do processo decisório na Conmebol e acho que é uma abertura, uma transparência. O presidente da Conmebol me pareceu uma pessoa moderna, muito inteligente, muito bem formado. Acho que a Conmebol está muito bem servida e está dando a largada para uma mudança, uma melhoria muito grande”, declarou.

Mandatário do Santos, Modesto Roma Júnior celebrou a mudança de postura da Conmebol em relação ao contato com os clubes brasileiros. “É a importância de ter uma Confederação Sul-Americana participante junto com os clubes. Há uma mudança de postura. Uma postura de muito mais diálogo, de muito mais convivência com os clubes”, disse.

Administrador do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, foi outro a dar destaque para a tentativa de aproximação da Conmebol. “Eu saio muito feliz e animado. É realmente importante que nós tenhamos vivido este momento de aproximação em que a gente teve a possibilidade, nós clubes brasileiros, de, em uma oportunidade rara, estar cara a cara com o máximo mandatário do futebol sul-americano, que é o presidente da Conmebol, com o presidente da CBF, enfim, com próceres do futebol que tem verdadeira importância no contexto e que, para nós clubes, nos dão segurança e um vislumbre de que as coisas possam melhorar”, ressaltou.

Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, considerou relevante o encontro com Domínguez no tocante à transparência da Conmebol. “Gostaríamos de um pouco mais de participação, que os clubes fossem mais ouvidos na tomada de decisão, mais transparência, principalmente nos contratos, para nós entendermos direito aonde está indo todo o dinheiro que está envolvido nas competições sul-americanas e, com isso, com certeza o nível da competição vai acabar crescendo porque os times, não só brasileiros, estarão mais fortes e você acaba gerando aquele círculo virtuoso, com mais patrocinadores, com mais interesses”, ponderou.

Para Roberto de Andrade, mandatário do Corinthians, o momento do encontro com o presidente da Conmebol foi pertinente. “Nós tivemos uma grande oportunidade de estarmos presentes com o novo presidente, que tem novas ideias. Acho bem pertinente nesse momento que a gente também esteja do lado dele por tudo que aconteceu, de fazer uma gestão moderna, equilibrada, melhorar as competições e tudo o que a gente busca: a melhoria dos clubes, não só do Brasil, como também da América do Sul. A gente quer sempre o melhor, tentar vender melhor os patrocínios da Conmebol para poder ter uma competição mais rentável. Estamos brigando por isso”, finalizou.

Deixe seu comentário