Futebol

Jô quer continuar no Japão e ainda não pensa em aposentadoria

São Paulo , SP
02/04/2019 13:41:59 — 02/04/2019 13:56:34

Em: Corinthians, Futebol, Futebol Internacional
Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

O atacante Jô deixou o futebol brasileiro em alta e segue mantendo um nível elevado com a camisa do Nagoya Grampos, do Japão. Em entrevista à Rádio Gazeta, o ídolo do Corinthians fez um resumo da carreira, revelou o título mais marcante, o sonho de jogar uma Copa do Mundo, e confessou que quer cumprir o atual contrato e não pensa em voltar ao Brasil tão cedo.

No Japão desde que deixou o Corinthians, no começo de 2018, Jô tem tido números muito bons. Em 46 jogos, marcou 27 gols e deu cinco assistências. O jogador de 32 anos garante que ainda não pensa em aposentadoria.

“Ainda não penso em voltar, ainda está muito cedo, só um ano ainda que eu estou aqui no Japão, então eu quero focar mais tempo aqui ainda e aí sim pensar em voltar. Aposentadoria ainda está muito distante, estou muito novo, mas é claro que o Corinthians, sim, é um sonho meu”, admitiu o jogador, que foi questionado sobre a falta de artilheiros no futebol nacional.

“Acredito que ainda existem bastante camisas nove dentro do futebol, do futebol brasileiro. Claro que de um tempo pra cá diminuiu bastante, até pelo fato de alguns clubes da Europa jogarem com falso 9” explicou Jô. “Eu acredito muito que vá surgir bastantes camisetas 9 ainda, no futebol brasileiro principalmente”, analisou.

Jô tem uma ligação muito forte com o Corinthians. Foi revelado pelo clube e viveu grandes momentos com a camisa do Timão. Porém, sua passagem pelo Atlético Mineiro foi muito boa, onde conquistou a Libertadores, em 2013, ao lado de Ronaldinho. O atacante revelou que considera o título do Campeonato Brasileiro de 2017, pelo Corinthians, mais importante pra carreira do que a Libertadores de 2013.

Jô considera o título do Campeonato Brasileiro de 2017 como o mais importante da carreira (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

“Então, em 2017, consegui ser campeão paulista, campeão brasileiro, ser artilheiro, e ser melhor jogador do campeonato, então foi algo divino mesmo. Você ser campeão da Libertadores e ainda ser artilheiro, não é qualquer um que consegue esse feito. Mas a torcida que eu mais me identifico é, com certeza, a do Corinthians”, destacou o atacante sobre a importância dos títulos.

Ele teve uma passagem passagem pelo futebol europeu. O atacante deixou o Corinthians em 2006 e foi para o CSKA de Moscou, onde fez muito sucesso. Com isso, Jô foi contratado pelo Manchester City, por um valor recorde na história do clube.

“Já na minha chegada no City, já foi marcante pelo fato de na época ser o jogador mais caro do clube. Claro que eu poderia ter mostrado mais o meu potencial, mas foi coisas que Deus permitiu e tenho que respeitar, aprendi bastante. Fico feliz de ter passado por um grande time da Europa”, falou sobre sua breve passagem pelo clube que viria a ser uma das potências europeias.

Jô voltou para o futebol brasileiro em 2011, para o Internacional. Não encantando, ele foi para o Atlético Mineiro, em 2012. Com um ótimo desempenho, além de conquistar a Libertadores de 2013, conseguiu uma vaga na Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de 2014.

Jô quer continuar no Japão e ainda não pensa em aposentadoria (Foto: Reprodução/Twitter oficial/Nagoya Grampus)

“Não é um assunto fácil de se falar. Quando se fala da Copa do Mundo de 2014. Claro que realizei o sonho de jogar uma Copa, grandes craques dentro do Brasil não tiveram essa oportunidade e eu tive, de jogar”, confessou. Ele ainda falou sobre os atacantes que vem jogando na seleção que deve ir à Copa América: “Tem o Firmino que ta muito bem, vem fazendo mais uma grande temporada. Tem o Gabriel Jesus, que ainda é um garoto e tem muito que crescer ainda, mas é um excelente jogador. São dois jogadores que eu acho que a seleção está bem servida.”