Futebol Feminino

Semifinalistas, Corinthians e Audax investem em parceria no feminino

Theo Chacon* - São Paulo,SP

23-04-2016 11:00:03

Prestes a disputarem uma vaga na final do Paulistão 2016 neste sábado, Corinthians e Audax fixaram, desde o mês de janeiro, uma parceria para estimular o investimento no futebol feminino.

Eliminado do Brasileirão na última quarta, o Corinthians Audax, como a união ficou batizada, ainda tem o estadual e a Copa do Brasil feminina como metas no calendário desta temporada, mas tentará arrumar um tempo na agenda para acompanhar a partida em Itaquera à tarde.

Sem chance de classificação no Brasileirão, após empatar com o São José no meio de semana, a equipe está em Franca, cidade do interior paulista, para jogar contra a equipe da casa, pela segunda rodada do Paulistão feminino - competição na qual o Audax ficou em terceiro lugar em 2015, garantindo vaga automática na Copa do Brasil.

Com o duelo contra a Francana marcado para as 10 horas (de Brasília), o plano do grupo é almoçar no hotel e tentar acompanhar a partida entre Corinthians e Audax, pela semifinal do Paulistão, enquanto retorna à capital paulista de ônibus. A transmissão do jogo via internet é vista como uma solução pelo técnico Arthur Elias.

Em bate-papo, por telefone, com a Gazeta Esportiva, Arthur concordou em fazer uma "pausa" na concentração para explicar um pouco mais da iniciativa. Trabalhando com o futebol feminino há dez anos, o treinador valorizou a gestão conjunta do projeto e ainda elencou a Copa Libertadores como um grande objetivo para o ano.

Artilheira do time no Brasileirão, Byanca não manifestou torcida para semifinal (Foto:Reprodução/Facebook)
Artilheira do time no Brasileirão, Byanca não manifestou torcida para semifinal (Foto:Reprodução/Facebook)

"Faziam oito anos que o Corinthians não tinha departamento de futebol feminino, estava ausente na modalidade. O Audax começou no futebol feminino no ano passado, disputando o Paulista e conseguindo vaga na Copa do Brasil. Não tínhamos lugar no Brasileiro e o Corinthians tinha - por se tratar de um time grande, a CBF convida para participar", explicou o treinador.

"(A parceria) foi idealizada no fim do ano passado, mas colocamos em prática em janeiro. É um calendário cheio, com três competições importantes, e no final podemos conseguir uma vaga na Libertadores. Foi muito importante porque complementou o calendário de competições. Os dois clubes dividem os gastos e as estruturas de treino", contou Arthur, garantindo que a sede de treinos e jogos da equipe seguiu em Osasco (SP).

Artilheira do Corinthians Audax no Brasileirão, com seis gols, a atacante Byanca Brasil não soube definir um lado para torcer. Convocada recentemente para a Seleção Brasileira feminina sub-20, a atleta preferiu não declarar apoio a nenhum dos lados nesta semifinal, depois de presenciar o confronto entre Audax e Corinthians na fase inicial do torneio.

"Não sei se vai dar para assistir, vamos arrumar um jeito", disse Byanca, campeã da Copa do Brasil ano passado com a camisa do Kindermann. "A gente fica meio dividida né, não dá para apontar uma torcida. A gente usa os dois escudos, os nomes, os dois clubes nos ajudam e investem no futebol feminino. É algo que pesa da mesma forma", comentou.

Com uma folha salarial ínfima se comparada ao futebol profissional, as meninas de Corinthians e Audax tem data de competição até setembro, quando estão previstas as fases finais da Copa do Brasil da modalidade.

*especial para Gazeta Esportiva

Deixe seu comentário