Flamengo e Athletico-PR são destaques em balanço de clubes brasileiros em 2019

São Paulo, SP

05/05/20 | 18:32 - 05/05/20 | 18:35

A Sports Value, empresa especializada em marketing esportivo, avaliação de marcas e de propriedades esportivas, divulgou uma prévia de seu estudo anual em que analisa as finanças dos clubes brasileiros. A análise mostra números recordes em receitas e dívidas, além de destacar o controle orçamentário de Flamengo e Athletico-PR.

A análise conta com 16 clubes que representam mais de 90% do volume gerado pelas maiores agremiações do futebol brasileiro. O estudo foi baseado nos balanços financeiros divulgados pelas próprias equipes.

Flamengo e Athletico-PR foram as duas equipes de maior destaque financeiro em 2019 (Foto: Divulgação/Alexandre Vidal)

Campeão Carioca, Brasileiro e da Libertadores em 2019, o Flamengo não se limitou ao bom desempenho dentro de campo e foi destaque também nas finanças. As receitas do Rubro-Negro, que eram de R$ 543 milhões em 2018, passaram a ser R$ 950 milhões, uma alta de 75%. O atual campeão da América foi a equipe de maior receita em 2019, com cerca de R$ 309 milhões a mais do que o Palmeiras, segundo colocado no quesito.

Com com R$ 62 milhões, o Flamengo também foi o clube com o 2º maior superávit no Brasil, além de um ativo total de R$ 879 milhões e patrimônio liquido de R$ 128 milhões. Nos últimos cinco anos, o Rubro-Negro Lucros acumulou R$ 551 milhões em lucros, mais do que qualquer outra equipe brasileira.

Campeão da Copa do Brasil em 2019, o Athletico-PR foi outro clube que se destacou positivamente na análise. As receitas do Furacão passaram de R$ 195 milhões em 2018 para R$ 390 milhões, alta de 100%. A equipe paranaense obteve um superávit de R$ 63 milhões, o maior em todo o Brasil. O clube ainda alcançou um ativo total de R$ 904 milhões e patrimônio liquido de R$ 488 milhões.


Apesar do bom desempenho financeiro das duas equipes campeãs nacionais em 2019, os 16 clubes analisados apresentaram um déficit de R$ 257 milhões, frente a um superávit de R$ 82 milhões em 2018. São Paulo e Corinthians são os times com déficits mais pesados, de R$ 156,1 e R$ 177 milhões, respectivamente.

Botafogo, Vasco e Fluminense também apresentaram números alarmantes. O Alvinegro possui R$ 822 milhões em dívidas e é o clube mais endividado do estudo, além de ter um déficit de R$ 20,8 milhões. Já o Cruz-Maltino está com R$ 638,7 milhões em dívidas e um déficit de R$ 5,1 milhões, enquanto o Tricolor Carioca apresenta R$ 642,5 e R$ 9,3 milhões nos mesmos quesitos.

Rebaixado para a Série B, o Cruzeiro foi outro clube com um balanço financeiro negativo em 2019. As receitas da Raposa foram de R$ 342,2 milhões, mas as dívidas chegaram R$ 534 milhões e o déficit apresentado foi de R$ 74 milhões.


No Rio Grande do Sul, o Grêmio foi quem obteve números financeiros mais positivos. O Tricolor Gaúcho arrecadou R$ 440 milhões em 2019, uma alta de 4% em relação a 2018, e apresentou um superávit de R$ 22,2 milhões. O balanço do Internacional, por outro lado, deixou a desejar. Apesar de ter sido o 3º clube brasileiro que mais faturou em receitas, R$ 441,3 milhões, o Colorado é o segundo clube mais endividado do Brasil, com dívidas de R$ 794,3 milhões, e mostrou um déficit de R$ 3 milhões.

Já as equipes nordestinas mostraram gestões equilibradas. O Bahia atingiu receitas de R$ 190 milhões e um superávit de R$ 3,9 milhões. Já Ceará e Fortaleza foram os clubes com as menores dívidas. O Leão do Pici deve R$ 25,1 milhões, enquanto o Vozão deve R$ 14,3 milhões.

Em 2019, o mercado brasileiro atingiu pela primeira vez na história R$ 6,8 bilhões em receitas, alta de 18% em relação a 2018. As dívidas, no entanto, também atingiram o valor recorde de R$ 7,3 bilhões. Os custos com futebol dos maiores clubes brasileiros também foram altos, chegando a R$ 4,7 bilhões.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Deixe seu comentário