Com Cavenaghi e Bertolo, Gallardo confirma time do River para decisão

São Paulo, SP

03-08-2015 19:00:30

O mistério acerca da escalação do River Plate para a finalíssima da Libertadores foi encerrado nesta segunda-feira. Após muitas especulações, o próprio treinador Marcelo Gallardo, que não estará no banco de reservas durante a decisão por ter sido expulso no jogo de ida, fez questão de revelar a equipe que enfrenta o Tigre-MEX nesta quarta em busca do tri da mais importante competição sul-americana.

Logo no início da entrevista coletiva após o treino desta segunda, último em preparação ao duelo do Monumental de Núñez, em Buenos Aires, o treinador confirmou o time com: Barovero; Mayada, Maidana, Funes Mori e Vangioni; Carlos Sánchez, Kranevitter, Ponzio e Bertolo; Cavenaghi e Alario.

Assim, findou a dúvida em torno do setor ofensivo, que não terá Rodrigo Mora por causa de lesão muscular. Em seu lugar, terá chance o experiente Fernando Cavenaghi, de 31 anos, que não chegou nem a entrar na primeira partida contra o Tigres, mas participou do segundo jogo da semifinal contra o Guaraní-PAR.

“Fernando está bem, muito motivado. Estava esperando uma partida importante, e acredito que agora se apresenta a oportunidade de jogar na partida mais importante. Com a segurança e confiança de que teremos um jogador que corresponderá nessas circunstâncias. Ele nos dará experiência. Nós vamos precisar marcar um gol e ele nos dará essa referência, uma de suas características principais, esse faro para estar dentro da área e definir sempre que receber”, explicou o técnico.

No meio-campo, Bertolo ganhou vaga entre os titulares após entrar bem em Monterrey, na última quarta-feira, quando as duas equipes empataram por 0 a 0 em território mexicano. O uruguaio Tabaré Viudez, que havia aparecido entre os 11 iniciais na ida, também sentiu dores e não começará jogando, mas está entre os 19 relacionados, assim como os experientes Javier Saviola e Lucho González, que serão opções no banco de reservas.

Campeão da Libertadores com o River Plate em 1996, quando o clube levantou o troféu pela segunda vez, o treinador também falou sobre o momento especial vivido pelo time às vésperas de mais uma decisão. E novamente em casa, como aconteceu na última conquista e na primeira, em 1986.

“Além de ser uma final, e de representar para o clube uma das competições mais desejadas, estes jogadores deixarão tudo em campo. Têm essa competência para, quando chegam estes momentos, crescerem ainda mais. O futebol é assim, podem acontecer muitas coisas, mas esses jogadores deixarão tudo, para dar alegria à torcida e a eles mesmos. Isso não faltará”, concluiu Gallardo.

Deixe seu comentário