Quatro décadas de alívio

Leitura: 3 minutos

Quatro décadas de alívio

Histórica conquista do Campeonato Paulista de 1977, que encerrou um jejum de quase 23 anos do Corinthians sem títulos expressivos, alcança a meia-idade nesta sexta-feira 13

Helder Júnior - São Paulo (SP) 12 de outubro de 2017 23:50:19
 

“Já sei. Vai me perguntar sobre o dia 13”, diz Basílio, sem titubear, ao atender a uma ligação da Gazeta Esportiva. Não é sobre um dia 13 de outubro qualquer, no entanto. Nesta mística sexta-feira 13, o Corinthians celebra o aniversário de 40 anos do título mais comemorado da sua existência.

“Esse dia 13 está sendo muito mais agitado do que os outros”, reconhece o próprio Basílio. “Você nem imagina. Estou gravando matérias todos os dias. As últimas foram para a TV Gazeta”, acrescenta, atencioso, com o cuidado de manter os seus pés de anjo no chão desde que os usou para aliviar os corações corintianos. Foram 22 anos, oito meses e seis dias de jejum entre os títulos paulistas de 1954, sobre o rival Palmeiras, e 1977, assegurado com um chorado gol do então meia-atacante na terceira partida da final contra a Ponte Preta, no Morumbi.

As histórias de Basílio, dos seus companheiros e dos adversários sobre aquela decisão já foram bem esmiuçadas nos últimos 40 anos. O herói do título, contudo, não as cansa de contar. Ele repetirá algumas delas para os torcedores com ingressos para participar dos passeios guiados pelo Estádio de Itaquera nesta manhã. À tarde, reencontrará alguns dos amigos do Corinthians de 1977 no Parque São Jorge.

“Já fiz esse tour de Itaquera duas vezes. Foi maravilhoso. O amor que os torcedores têm – não por mim, mas pelo Corinthians – impressiona. As crianças nem me viram jogar e vêm falar comigo, levadas pelos avôs. São um bando de loucos mesmo. E, neste ano, está sendo uma loucura ainda maior por causa desses 40 anos do nosso título”, comenta Basílio, de olho em outras conquistas. “Foi muito especial faturarmos o Campeonato Paulista justamente em cima da Ponte no começo do ano. Vamos fechar 2017 com chave de ouro, ganhando o Brasileiro”, avisou, antes de desligar o seu telefone, à espera de outras ligações com perguntas sobre o dia 13.

Para quem não tem a oportunidade de ouvir os relatos sobre o Campeonato Paulista de 1977 da boca de Basílio, a Gazeta Esportiva reuniu aqui uma série de reportagens e entrevistas especiais.

Confira o segundo capítulo:

A herança de Ruy Rey

Publicado em 12 de outubro de 2017 23:50:19

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais especiais
Veja mais artigos interessantes que fizemos