Mourinho detona suspensão e multa impostas a ele: “Desgraça absoluta”

São Paulo, SP

15-10-2015 19:20:34

José Mourinho não reagiu bem à punição imposta a ele pela Federação Inglesa de Futebol (FA) por afirmar que o árbitro estava “com medo” de dar marcações favoráveis ao Chelsea após derrota para o Southampton, no último dia 3 de outubro. Suspenso por um jogo e condenado a pagar multa de £ 50 mil (cerca de R$ 292,6 mil), o português ficou indignado e disparou contra a decisão.

“Fico aliviado por não ter de usar uma tornozeleira eletrônica para andar pelas ruas de Londres. Acho que multa de £ 50 mil no mundo em que vivemos é uma desgraça absoluta. E a possibilidade de ficar suspenso do estádio também é algo totalmente inacreditável”, disse o treinador, nesta quinta-feira, no lançamento de seu livro “Mourinho”, na capital inglesa.

Na entrevista que culminou em sua punição, o português disse: “se a FA quiser me multar, que multe, isso não acontece com outros treinadores”. Após o anúncio das sanções impostas a ele, o técnico do Chelsea manteve a linha de argumentação e lembrou – sem citar nomes - ocasiões em que o treinador do Arsenal, Arsene Wenger, chamou árbitro de “fraco” e “ingênuo”, além de tê-lo empurrado na área técnica durante duelo entre as duas equipes londrinas, e não foi suspenso ou multado.

“Sei que meu inglês não é perfeito – é só bom o suficiente para trabalhar neste país – mas a diferença entre ‘com medo’ e ‘fraco e ingênuo’ é £ 50 mil e suspensão de uma partida do estádio. Então nós sabemos, o técnico pode empurrar pessoas na área técnica, sem problema. Mas a palavra ‘amedrontado’ leva a uma punição pesada. Já dizer que um dos principais árbitros da Europa é ‘fraco e ingênuo’ é algo que podemos fazer”, alfinetou Mourinho.

Os episódios citados pelo português aconteceram no último dia 19 de setembro, quando Wenger disparou contra o árbitro Mike Dean após derrota dos Gunners para o Chelsea por 2 a 0, e no dia 5 de outubro de 2014, em duelo que acabou com o mesmo placar, no qual o comandante do Arsenal ficou furioso após entrada de Cahill em Alexis Sánchez, discutiu com Mourinho e o empurrou na área técnica dos Blues.

Pressionado, Português fala de possível volta à Inter de Milão

Além da punição, Mourinho precisa lidar com outros problemas atualmente. Com oito pontos somados após oito rodadas do Campeonato Inglês, o técnico se vê pressionado para fazer a equipe engrenar depois do mau início de temporada. Inclusive, especulações dão conta de que Simeone já estaria sendo cogitado para substituí-lo caso a fase ruim persista. Diante desse cenário, o português não teve problemas em falar que não deve se aposentar no Chelsea e colocar como possível uma eventual volta ao comando da Inter de Milão.

“Estou no meio da minha carreira. Tenho 52 anos, já trabalhei por 15, quero continuar por pelo menos mais 15. Devo ficar mais 15 anos no Chelsea? Acho que não, não acredito que o futebol moderno permita isso. Então naturalmente não encerrarei minha carreira no Chelsea. Eu gostaria, mas não acho que seja possível. Então, voltar para a Inter? Por que não?”, declarou, deixando seu futuro em aberto, sem rechaçar o cargo atualmente ocupado por Roberto Mancini na equipe italiana.

Mourinho começou a ganhar destaque como treinador no Porto, onde teve passagem memorável com a conquista de uma Liga dos Campeões e dois Campeonatos Portugueses, além de uma Copa da Eufa, como então era chamada a Europa League, e outras taças nacionais. Depois teve sua primeira passagem pelo Chelsea e, então, antes de assumir o Real Madrid, dirigiu a Inter de Milão por dois anos, entre 2008 e 2010, e lá voltou a conquistar a Champions, além de duas vezes o Campeonato Italiano, uma Copa Itália e a Supercopa do país.

Deixe seu comentário