Sem Messi e Neymar, Suárez brilha e leva o Barcelona à final do Mundial

São Paulo, SP

17-12-2015 10:22:56

Mesmo sem as estrelas Messi e Neymar, o Barcelona confirmou seu favoritismo no Japão na manhã desta quinta-feira. Único integrante do trio MSN em campo, então, Suárez brilhou e fez os gols da vitória dos catalães por 3 a 0 sobre o Guangzhou Evergrande, time chinês comandado por Luiz Felipe Scolari.

Dominando a posse de bola desde os primeiros minutos, o Barça esbarrou na forte marcação adversária e só foi abrir o placar aos 39 minutos, quando o uruguaio balançou as redes pela primeira vez, em rebote do goleiro Li após chute de Rakitic.

Os outros dois tentos saíram após o intervalo: em bela finalização concluindo tabela com Iniesta e em cobrança de pênalti sofrido por Munir. Enquanto Messi foi desfalque de última hora devido a uma cólica renal, Neymar, recuperando-se de lesão na coxa, foi relacionado e ficou no banco de reservas.

O destaque negativo do jogo ficou por conta do defensor chinês Zheng Zou, que escorregou na área do Guangzhou após contato com Daniel Alves e caiu em cima de sua perna, sofrendo assim uma fratura feia.

Com a vitória do Barcelona, a esperada final contra o River Plate está confirmada, e acontecerá às 8h30 (de Brasília) deste domingo, uma vez que os argentinos já despacharam o Sanfrecce Hiroshima em sua semifinal.

Já o Guangzhou, que conta com brasileiros como Robinho, Ricardo Goulart, Paulinho e Elkeson, finaliza sua participação no torneio às 5 horas da manhã (de Brasília) deste domingo, quando disputa o terceiro lugar com a equipe anfitriã.

Com destaque também para Iniesta e Rakitic, o Barça dominou a posse de bola: 75% contra 25% dos chineses (foto: Toru Yamanaka/AFP)
Com destaque também para Iniesta e Rakitic, o Barça dominou a posse de bola: 75% contra 25% dos chineses (foto: Toru Yamanaka/AFP)

O jogo - A superioridade técnica do Barcelona se traduziu em posse de bola desde o primeiro minuto. Paciente, a equipe catalã trocava passes no campo de ataque para buscar eventuais infiltrações, como aconteceu aos nove minutos, quando Iniesta tabelou com Jordi Alba e bateu da entrada da área, mas mandou por cima do gol.

O Guangzhou, por sua vez, mantinha bem postada sua marcação, uma das características das equipes de Felipão. O técnico, porém, não queria que o time apenas se defendesse, e pedia mais iniciativa ofensiva também. Mas, pressionados pelas linhas altas do Barça, os chineses tinham dificuldades em sair para o jogo.

Aos 22 minutos, o Barcelona quase abriu o placar com Munir, que recebeu bom passe de Iniesta dentro da área, mas parou no goleiro Li. Na sequência, novo passe do experiente meio-campista caiu, dessa vez, na cabeça do jovem, que finalizou para fora. Pouco depois, lance chocante em Yokohama: o defensor Zheng Zou escorregou na área do Guangzhou após contato com Daniel Alves e, na queda, quebrou a perna. Li Xuepeng entrou em seu lugar.

Pouco depois, os espanhóis enfim abriram o placar. Aos 39 minutos, Rakitic soltou uma bomba da intermediária e o goleiro Li espalmou para frente. Suárez apareceu para pegar o rebote e, fatal, deslocou o arqueiro para abrir o placar. Os chineses despertaram na partida com o gol sofrido e levaram perigo à meta adversária pela primeira vez logo em seguida, com boa cabeçada do brasileiro Elkeson, para linda defesa de Claudio Bravo. O Guangzhou ainda esboçou pressão nos últimos minutos, mas não conseguiu marcar.

O segundo gol de Suárez foi o mais bonito, e teve origem em tabela com Iniesta (foto:  Toru Yamanaka/AFP)
O segundo gol de Suárez foi o mais bonito, e teve origem em tabela com Iniesta (foto: Toru Yamanaka/AFP)

O amplo domínio da posse de bola pelo Barça se repetiu no segundo tempo – e a paciência dos catalães também. O espaço esperado pela equipe blaugrana enquanto trocava passes aparece logo aos quatro minutos, quando Suárez tabelou com Iniesta e, ao receber a devolução do meio-campista, dominou no peito e fuzilou o gol de Li sem deixar a bola cair para marcar um belo tento.

Dono do jogo, o Barcelona se permitiu diminuir o ritmo na sequência, rodando a bola com mais paciência. O Guangzhou, enquanto isso, mantinha-se fiel à sua proposta de jogo, marcando forte em seu campo defesa, com o brasileiro Elkeson como único homem avançado.

Aos 22 minutos, então, Munir recebeu de Daniel Alves pelo lado direito e foi derrubado dentro da área: pênalti para o time catalão. Suárez foi para a cobrança e bateu com firmeza no canto direito para fazer seu terceiro gol na partida. O ritmo do duelo, então, voltou a cair, com troca de passes em ritmo de treino do Barça e um Guangzhou entregue.

FICHA TÉCNICA
BARCELONA 3 x 0 GUANGZHOU EVERGRANDE-CHN

Local: Estádio Internacional de Yokohama (Japão)
Data: 17 de dezembro de 2015, quinta-feira
Horário: 08h30 (de Brasília)
Árbitro: Joel Aguilar (El Salvador)
Assistentes: Juan Zumba (El Salvador) e Marvin Torrentera (México)
Cartões amarelos:  Feng Xiaoting (Guangzhou)
Gols:
BARCELONA: Suárez, aos 39 do primeiro tempo, aos 4 e aos 22 minutos do segundo tempo

BARCELONA: Claudio Bravo; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Jordi Alba (Adriano); Busquets, Rakitic, Iniesta (Samper) e Sergi Roberto (Sandro Ramírez); Munir e Suárez
Técnico: Luis Enrique

GUANGZHOU EVERGRANDE: Li Shuai; Zhang Linpeng, Feng Xiaoting, Kim Young Gwon e Zheng Zhou (Li Xuepeng); Paulinho, Zheng Zi, Huang Bowen, Zheng Long (Yu Hanchao) e Ricardo Goulart; Elkeson (Gao Lin)
Técnico: Luiz Felipe Scolari


 

Deixe seu comentário