Inglaterra e Rússia podem ser expulsas da Euro; dirigente russo apoia briga

São Paulo, SP

13/06/16 | 14:59 - 13/06/16 | 16:21

Torcedores brigam no Stade Velodrome, em Marselha, na partida entre Inglaterra e Rússia, pelo Grupo B da Eurocopa (Foto: Valery Hache/AFP)
Torcedores brigam no Stade Velodrome, em Marselha, na partida entre Inglaterra e Rússia, pelo Grupo B da Eurocopa (Foto: Valery Hache/AFP)

Os frequentes conflitos entre torcedores têm sido um dos principais pontos de preocupação nesta edição da Eurocopa. Extremamente violenta, a briga entre russos e ingleses, em Marselha, que deixou 150 feridos e um homem internado em estado grave, pode resultar na expulsão das duas seleções da competição.

Igor Lebedev, um dos dirigentes da Federação Russa de Futebol e membro do parlamento nacional, publicou uma polêmica declaração em sua conta do Twitter: “Eu não vejo nada de errado com a briga dos torcedores. Muito pelo contrário. Parabéns, rapazes, continuem assim!”. De acordo com o diretor, as ações dos fãs são em defesa da honra de seu país e, portanto, devem ser perdoadas.

“O que aconteceu em Marselha e em outras cidades francesas não é culpa dos torcedores, mas sim da incapacidade da polícia de organizar esse tipo de evento. As brigas são normais. Os rapazes defenderam nossa honra e não deixaram os ingleses ofenderem nossa pátria. Devemos perdoar e entender nossos fãs”, contou.

Lebedev ainda afirmou ser injusto o fato de que os torcedores russos foram alvos de críticas, quando foram os ingleses que iniciaram a violência. “Não entendo porque a mídia está dizendo que nossas ações são vergonhosas. Se não houvesse provocação dos ingleses, é improvável que os russos teriam se envolvido em brigas”.

Os comentários de Lebedev geram muita preocupação, visto que a Rússia sediará a próxima Copa do Mundo, em dois anos. O ministro dos esportes, Vitaly Mutko, em contraste, criticou a situação.

“Está claro que algumas pessoas não vieram para assistir futebol. Eles cobriram seus rostos e, assim, trouxeram vergonha para seu país”, disse.

Também envolvidos e sob risco de expulsão do torneio, os ingleses receberam uma mensagem do técnico Roy Hodgson e do capitão da equipe, Wayne Rooney.

O técnico Roy Hodgson e o capitão Wayne Rooney, da Inglaterra, pediram aos torcedores que sejam sensatos (Foto: AFP PHOTO/UEFA)
O técnico Roy Hodgson e o capitão Wayne Rooney, da Inglaterra, pediram aos torcedores que sejam sensatos (Foto: AFP PHOTO/UEFA)

“Como comandante da Inglaterra, eu estou muito preocupado com a ameaça e a sanção que pode ser aplicada sobre nossa equipe. Trabalhamos muito para chegar até aqui e queremos permanecer na competição. Desta forma, eu peço a todos os torcedores que fiquem fora de problemas, para que estas ameaças não cheguem a se concretizar. Nós, também, faremos o melhor que pudermos para ficar no torneio”, solicitou o treinador em um vídeo compartilhado pela Federação Inglesa.

Rooney, por sua vez, pediu: "Eu gostaria de agradecer aos torcedores por todo o apoio frente à Rússia. Agora, temos um importante jogo contra o País de Gales e eu peço: por favor, se você não tiver ingresso, não venha. Aos fãs com ingresso: fiquem em segurança, sejam sensatos e continuem com seu grande apoio aos jogadores".

Deixe seu comentário