Tite explica trocas mais ousadas e admite preocupação com Filipe Luís - Gazeta Esportiva
Copa América Copa América

Em meio a Copa América, visto como conservador, Tite já foi abordado em duas entrevistas coletivas sobre o seu critério para substituições. Em ambos os casos, o técnico da Seleção Brasileira deixou claro que não era a favor de mudanças que não tivessem sido treinadas e de que preferia apostar em características individuais diferentes entre atletas do mesmo setor a trocar jogadores de posições distintas.

Por conta disso, muitos jornalistas foram pegos de surpresa com a opções escolhidas para a partida contra o Paraguai. Primeiro, Alex Sandro entrou na vaga de Filipe Luís. Até aí, nenhuma novidade, a não ser o problema revelado por Tite após a classificação do Brasil.

“Filipe teve um desconforto. Não sei a extensão da lesão, do problema”, contou, para em seguida o caso ser melhor detalhado pelo assessor de imprensa da CBF. “Filipe teve dores musculares no músculo posterior da coxa direita”.

De fato, as surpresas se deram quando Willian foi a campo na vaga de Daniel Alves e Lucas Paquetá fez sua estreia na competição no lugar de Allan. Tudo depois que Balbuena fora expulso.

“Depois da expulsão, o que tu faz (sic)? Tem que tirar vantagem de alguma forma. Quem fica de ponta aberto, passava a ser Dani, para ter Gabriel na área, uma área mais pesada. Não precisa ter Dani lá, que é construtor, posso ter um de jogada individual. Depois, a (substituição) seguinte foram nesse mesmo critério”, explicou Tite.

LISTA DE PROBLEMAS MÉDICOS DA SELEÇÃO NA COPA AMÉRICA:

Neymar
Problema: Rompimento do ligamento do tornozelo direito.
Em campo: Cortado antes da estreia.

Arthur
Problema: Pancada no joelho direito.
Em campo: Ficou no banco contra o México, na estreia.

Ederson
Problema: Lesão na panturrilha da perda direita.
Em campo: Desfalcou o grupo na estreia, contra a Bolívia.

Thiago Silva
Problema: Tratamento de uma artroscopia no joelho direito.
Em campo: Se recuperou a tempo de defender o Brasil desde a estreia.

Fagner
Problema: Lesão no músculo posterior da coxa esquerda.
Em campo: Se recuperou a tempo de ficar à disposição desde a estreia.

Fernandinho
Problema: Dores no joelho direito.
Em campo: Desfalcou a equipe no terceiro jogo, contra o Peru, e nas quartas, contra o Paraguai.

Cássio
Problema: Dores no quadril.
Em campo: Perdeu dois treinos, mas não chegou a ser desfalque.

Richarlison
Problema: Caxumba
Em campo: Cortado das quartas de final e provavelmente do restante da competição.

Filipe Luís
Problema: Dores no músculo posterior da coxa direita.
Em campo: Deixou o jogo contra o Paraguai no intervalo e será reavaliado para a sequência da Copa América.



Estão definidos os grupos e os confrontos da Copa América de 2020, realizada entre 12 de junho e 12 de julho na Colômbia e na Argentina. Em evento ocorrido nesta terça-feira, em Cartagena, em território colombiano, a Conmebol sorteou as chaves, que já estavam pré-definidas, e o calendário da competição.

Os destinos de Austrália e Catar, seleções convidadas, também foram determinados. A primeira se junta a Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai no Grupo Sul, com disputa em solo argentino. Já a segunda fica no Grupo Norte ao lado de Brasil, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela, em chave que será sediada na Colômbia.

O primeiro confronto da Copa América será entre Argentina e Chile no Monumental de Núñez, em Buenos Aires, no dia 12 de junho. Já o jogo de estreia da Seleção Brasileira, atual campeã do torneio continental, está marcado para o dia 14 do mesmo mês, contra a Venezuela, em Cali.

Além disso, no evento desta terça-feira foi divulgado que Pibe foi o nome escolhido para o mascote da competição, por meio de votação na internet. A bola oficial do torneio também foi apresentada.

A próxima edição da Copa América, realizada apenas um ano depois da última, faz parte de uma adequação de calendário. A partir de 2020, o torneio seguirá os moldes da Eurocopa e será disputado de quatro em quatro anos, apenas em anos pares.

Além disso, o formato também foi alterado. Agora, as 12 seleções são divididas em dois grupos de seis, nos quais as equipes se enfrentam em turno único. Os quatro melhores colocados de cada chave se classificam para o mata-mata, com quartas de final, semifinal e final. A decisão está marcada para 12 de julho, em Barranquilla, na Colômbia.

Confira a sequência de partidas do Brasil na primeira fase da Copa América de 2020:

Brasil x Venezuela, 14/06 (Cali)

Brasil x Peru, 18/06 (Medellín)

Brasil x Catar, 23/06 (Barranquilla)

Brasil x Colômbia, 27/06 (Barranquilla)

Brasil x Equador, 01/07 (Bogotá)

 




Além de três meses de suspensão, Messi foi punido em R$ 194 mil. (Foto: Nelson ALMEIDA/AFP)

A Conmebol divulgou nesta sexta-feira uma nota com a punição de Messi por ter dito que a Copa América deste ano estava armada para a Seleção Brasileira vencer, após a disputa de terceiro lugar contra o Chile. Naquela oportunidade, o camisa 10 ainda foi expulso.

O Tribunal de Disciplina da Conmebol anunciou que Lionel Messi está suspenso pelos próximos três meses por ter chamado a entidade de “corrupta”. A medida também serve para os amistosos da seleção. Durante este período, há duas datas Fifa marcada, nos meses de setembro e outubro.

As Eliminatórias da Copa do Mundo-2022 estão marcadas apenas para março de 2020, logo o argentino não perderá nenhuma partida oficial, apenas quatro amistosos.

Messi também foi punido financeiramente em US$ 50 mil, aproximadamente R$ 194 mil.

Durante a competição continental, o astro não poupou críticas à entidade. Após a derrota para o Brasil na semifinal, a maior reclamação foi pelo não uso do VAR em um suposto pênalti para a Argentina e uma irregularidade no primeiro gol brasileiro.

Depois de ser expulso pela segunda vez na carreira, contra o Chile, Messi novamente repudiou a Conmebol.



Lionel Messi foi multado em 1500 dólares (R$ 5,6 mil) e suspenso por um jogo após suas declarações polêmicas em que critica fortemente a Conmebol. O craque argentino insinuou que a entidade havia beneficiado o Brasil, anfitrião da Copa América, e a acusou de corrupção.

A suspensão de um jogo se deveu à expulsão de Messi na vitória da Argentina por 2 a 1 sobre o Chile, na disputa pelo terceiro lugar da Copa América. O camisa 10 não participou da cerimônia de premiação após a partida e disse à imprensa que “não gostaria de participar de toda essa corrupção”.

Como não pôde cumprir suspensão automática na Copa América, Lionel Messi será desfalque no primeiro jogo da Argentina nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022, no Catar.

A AFA (Associação de Futebol Argentino) chegou a pedir para que a Conmebol revisasse o lance em que Messi é expulso, alegando que o episódio era para cartão amarelo, não vermelho, porém, isso não deverá acontecer.



Depois de criticar duramente a Conmebol tanto após a partida contra o Brasil quanto diante do Chile na Copa América, indicando um suposto favorecimento da entidade ao título da Seleção Brasileira, Lionel Messi parece ter se arrependido. Isso porque, de acordo com o jornal Clarín, o craque enviou um ofício junto a AFA se desculpando pelas declarações.

Lionel Messi criticou a Conmebol após as partidas contra Brasil e Chile (Foto: Nelson ALMEIDA/AFP)

Em sua reportagem, o diário argentino revela que Messi tentou ao máximo se justificar junto a Conmebol, afirmando que as declarações foram dadas de cabeça quente após ter sido expulso na disputa de terceiro lugar frente ao Chile, punição que considera injusta. Além disso, o atacante teria indicado que não quis associar a palavra “corrupção” à entidade.

O pedido de desculpas vem pouco tempo depois da Conmebol anunciar que abriria um processo disciplinar contra o atacante pelas declarações na Arena de Itaquera. De acordo com o regulamento, Messi pode ser suspenso por até dois anos e ainda ter de pagar uma multa de 50 mil dólares (cerca de R$ 187 mil) caso não consiga provar suas denúncias com provas definitivas.

Ao que parece, no entanto, as desculpas de Lionel Messi foram bem aceitas pela entidade Sul-Americana e sua Comissão de Ética da Conmebol. Dessa forma, a expectativa da Associação Argentina de Futebol é que a denúncia seja retirada e que o atacante não seja punido, estando livre para voltar a atuar com a camisa da Albiceleste na Copa América de 2020 e nas Eliminatórias.



Neymar participou de evento em seu instituto (Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP)

Cortado da Copa América por uma lesão no tornozelo direito, Neymar assistiu à Seleção Brasileira vencer o Peru na final e levantar o troféu da competição continental das tribunas do Maracanã. Para o jogador do Paris Saint-Germain, a conquista canarinha serviu para mostrar que a equipe de Tite não depende somente de seu futebol para alcançar os resultados.

“Nada depende só de um jogador, porque é um grupo. É a Seleção Brasileira e nunca vai depender só de um cara. Isso serviu para que muita gente cale um pouco a boca, fale menos e respeite mais todos os jogadores”, disse em entrevista à agência Reuters após evento realizado em seu instituto na Praia Grande, litoral paulista. 

“Ninguém conhece o que a gente passa ali dentro, ninguém sabe como a gente torce um pelo outro, independentemente da forma, se eu estava jogando ou não. Eu até fiquei muito mais feliz deles vencendo a Copa América, do que se eu estivesse dentro de campo”, completou.

Após não se reapresentar ao Paris Saint-Germain na data estipulada pelo clube, a última segunda-feira, Neymar tem seu nome especulado com força no Barcelona. O presidente do clube blaugrana, inclusive, já disse que o desejo do atleta é deixar o PSG. 

Diante desse cenário, o atacante brasileiro elegeu um momento pelo ex-clube diante do atual time como a melhor lembrança de um vestiário na carreira. “Não sei… Acho que quando ganhamos do PSG, no Barcelona. Nosso vestiário estava completamente… Todos loucos, muito contentes. Acho que foi a melhor sensação”, declarou, se referindo à virada histórica do Barça sobre a equipe parisiense no Camp Nou, pela Liga dos Campeões de 2016/17.



A Conmebol divulgou nesta sexta-feira um balanço dos números da edição de 2019 da Copa América, no Brasil. Ao longo de 24 dias e 26 jogos, quase 1 milhão de pessoas foram as partidas, distribuídas nos seis estádios das cinco cidades-sede.

A final do último domingo, no Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro, levou 69.981 torcedores. Transmitida para 180 países, a partida contribuiu para chegar à marca de 900.925 pessoas nos estádios, com média de 34.651 espectadores, um número de público superior a edições do anteriores.

Renda final: a receita de R$ 38.769.850 milhões gerada na decisão do torneio foi a maior da história do futebol brasileiro (Foto: Luis Acosta/AFP)

A equipe ideal da Copa América 2019, selecionada pelo Grupo de Estudo Técnico da Conmebol, contou com cinco jogadores da Seleção Brasileira: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva, Giménez e Trauco; Paredes, Arturo Vidal e Arthur; James Rodríguez, Paolo Guerrero e Everton.

O Brasil recebeu turistas de 124 países. A organização do evento realizou doações de equipamentos esportivos para os 20 campos oficiais de treinamento, como traves, bancos de reservas, bandeiras de escanteios, mini barreiras para saltos, cones e discos.

“Encerramos uma nova edição da Copa América que marca um antes e um depois na história do campeonato”, disse Alejandro Dominguez, presidente da CONMEBOL. “Estamos orgulhosos de termos recebido novamente em nosso país a Copa América após 30 anos. Acima de tudo, realizar esse grande evento atesta que estamos aptos a continuar organizando aqui no Brasil novos torneios internacionais”, seguiu Rogério Caboclo, chefe do Comitê Organizador Local e presidente da CBF.

Público nos estádios:
Público da final: 69.981
Público total nos estádios: 900.925
Média de público: 34.651
Torcedores de 124 países

Competição:
05 cidades-sede: Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo
6 estádios
20 Campos Oficiais de Treinamento
2 cerimônias (Abertura e Encerramento)
12 seleções participantes
24 dias de competição
26 jogos
276 atletas
3 premiações individuais (melhor jogador do torneio, artilheiro e melhor goleiro) + 01 premiação para seleção (Fair Play)
200 medalhas distribuídas
60 gols | média de 2,30 gols
Artilheiro: Everton (BRA) – 3 gols
Jogador com mais assistências: Roberto Firmino (BRA) e Charles Aránguiz (CHI) – 3
Jogador que mais participou de gols: Roberto Firmino (BRA) – 5 gols
Jogador que mais chutou a gol: Philippe Coutinho (BRA) – 21
Jogador com melhor aproveitamento nos desarmes: Federico Valverde (URU) – 87.1%
Jogador com maior número de passes certos: Daniel Alves (BRA) – 370 | 88.5% de acerto
Jogador com maior número de passes no campo rival: Daniel Alves (BRA) – 216 | 83.7% de acerto
Apenas Lionel Messi (22) driblou mais rivais que Everton (19) e Gabriel Jesus (17)
O Brasil é o primeiro time a sofrer seu primeiro gol em uma edição da Copa América apenas na final.
Seleção com maior número de passes (excluindo cruzamentos): Brasil (3.360)
Seleção com maior posse de bola: Brasil (88.2%)
Seleção com maior acerto de passes: Brasil (64,5%)
Seleção com maior número de passes no campo rival (excluindo cruzamentos): Brasil (1.855) | 84.8% de acerto
Seleção com maior número de faltas: Chile (111)



Dani Alves foi o principal nome do Brasil na Copa América (Foto: Luis Acosta / AFP)

Após os maiores torneios de seleções de 2019, a Copa do Mundo feminina e a Copa América masculina, o IBOPE Repucom atualizou seu levantamento sobre o alcance digital das equipes de futebol e destaca o crescimento das bases digitais de Brasil, França, Argentina, Portugal e Inglaterra. Os cinco países somaram, juntos desde abril, mais de 4 milhões de inscritos, o que representa cerca de 50% do crescimento global entre as seleções de futebol nas redes sociais.

O desempenho das seleções brasileiras de futebol tanto na Copa do Mundo Feminina quanto na Copa América impulsionou o crescimento de 1,3 milhão de inscritos nas contas oficiais da CBF. Tal feito levou a CBF a ultrapassar a marca inédita de 23 milhões de inscritos, além de ampliar a vantagem na liderança em relação ao México, segundo colocado, em mais de 2,7 milhões de seguidores.

Assim como em todas as seleções, o Instagram foi o principal motor de crescimento da CBF no período, com participação de 70% nas novas inscrições e liderando em volume de novos seguidores nesta plataforma. Importante ressaltar também o desenvolvimento da ‘CBF TV’, que foi o canal entre as seleções que mais cresceu no período, tanto em volume (cerca de 180 novos inscritos) quanto em variação (+33%), diminuindo a diferença para os canais das seleções da França e Inglaterra, donas dos maiores canais de seleções no YouTube com mais de 1 milhão de assinantes cada.

O título mundial de 2018 da França continua a gerar alto interesse pela federação francesa de futebol. Desde o último levantamento, foram mais de 830 mil novos inscritos, o segundo maior crescimento no período, ultrapassando os 18 milhões de seguidores. A seleção francesa liderou o crescimento no Twitter e obteve o segundo maior crescimento no Instagram, plataformas que concentram 87% dos novos inscritos nas contas oficiais da seleção francesa.

A Argentina, adversária do Brasil nas semifinais da Copa América deste ano, registrou o terceiro maior crescimento global ao agregar mais de 760 mil inscritos às contas oficiais da AFA (Associação de Futebol Argentino). Portugal, atual campeão da UEFA Nations League, registrou o quarto maior crescimento global no período e a maior variação de crescimento (+9%) entre as 10 seleções melhores ranqueadas. A posição no ranking e os desempenhos de Portugal poderiam ser ainda melhores caso a FPF (Federação Portuguesa de Futebol) divulgasse o volume de inscritos de seu canal oficial no YouTube.

A seleção inglesa de futebol ficou com o quinto maior crescimento do período ao somar mais de meio milhão de seguidores. O Peru, finalista da Copa América de 2019 aparece na sequência como o sexto melhor desempenho ao somar mais de 380 mil inscritos. Já a Alemanha não parece ter resgatado o interesse na seleção nacional desde o último mundial. Com 97 mil novos inscritos a confederação alemã obteve apenas o 16º maior crescimento, o pior entre as dez maiores seleções do ranking e atrás de seleções como Turquia e Argélia.

José Colagrossi, diretor executivo do IBOPE Repucom, complementa: “O alto desempenho e a grandeza das conquistas das seleções de futebol são imediatamente convertidos em aumento de interesse dos torcedores e eleva o engajamento e a busca de mais conteúdo pelos atuais e novos seguidores. O desafio para as federações é atender à esta demanda com a oferta de conteúdos exclusivos e de qualidade, focando na criatividade e explorando experiências de hospitalidade com os fãs, mantendo um território atrativo aos patrocinadores e relevante para os fãs ao longo de toda a temporada”, disse.

Confira os dados: 

(Foto: Divulgação)


Com a vitória da Seleção Brasileira por 3 a 1 sobre o Peru na final da Copa América, a Confederação Brasileira de Futebol recebeu o montante de US$ 11,5 milhões (cerca de R$ 43,15 milhões) da Conmebol pela participação vencedora na competição continental.

Além dos US$ 7,5 milhões (cerca de R$ 28,14 milhões) que a entidade brasileira embolsou pelo 1º lugar, a CBF recebeu mais US$ 4 milhões (cerca de R$ 15 milhões) válido pela participação na competição, independente do desempenho, sendo US$ 2 milhões base para toda seleção, mais US$ 1 milhão para preparação e US$ 1 milhão para logística.

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

A edição do Brasil da Copa América foi um recorde de arredação e fez a entidade sul-americana distribuir um total de US$ 70 milhões (cerca de R$ 262,63 milhões) entre as 12 seleções, um aumento de aproximadamente 223% em relação à premiação distribuída na edição de 2015 no Chile, US$ 21 milhões (cerca de R$ 78,79 milhões).

A Copa América retorna com a edição de 2020, que será sediada na Argentina e na Colômbia, com a abertura marcada para solo argentino e a decisão para solo colombiano.



(Foto: Divulgação)

Na noite desta terça-feira, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou a seleção com os melhores jogadores da Copa América 2019, selecionada pelo Grupo de Estudo Técnico da entidade.

Campeão da competição continental, o Brasil foi a equipe com mais atletas escolhidos, sendo cinco no total. A principal ausência foi a do argentino Lionel Messi, que levou sua seleção ao terceiro lugar do torneio.

Pela Seleção, o goleiro Alisson, o zagueiro Thiago Silva, o lateral-direito Daniel Alves, o meia Arthur e o atacante Everton Cebolinha figuraram nos 11 titulares. O vice-campeão Peru teve o lateral-esquerdo Trauco, do Flamengo, e o atacante Paolo Guerrero, do Internacional, entre os selecionados.

O segundo zagueiro escolhido foi o uruguaio José Giménez. A Argentina foi representada pelo volante Paredes, enquanto o Chile contou com o jogador da mesma posição, Arturo Vidal. Invicta na fase de grupos, a Colômbia teve James Rodríguez completando o trio de ataque.