Futebol/Campeonato Carioca

Em São Januário, Botafogo estreia com vitória sobre o Boavista

Gazeta Press - Rio de Janeiro , RJ -
31/01/2015 19:01:00

Em: Botafogo, Campeonato Carioca, Campeonatos, Campeonatos Estaduais, Futebol, Região Sudeste

Com gol do zagueiro Roger Carvalho, no segundo tempo, o Botafogo derrotou o Boavista, por 1 a 0, em partida disputada na tarde deste sábado, em São Januário, na estreia das duas equipes no Campeonato Carioca. O resultado fez justiça ao melhor desempenho da equipe de General Severiano, que começou de forma hesitante, mas subiu muito de produção no segundo tempo e conseguiu a vitória.

A equipe dirigida por Renê Simões apresentou muitos jogadores novos e mostrou desentrosamento, principalmente na primeira etapa. Com a entrada de Jobson, na segunda etapa, o time cresceu bastante e poderia ter alcançado um resultado mais expressivo. O Boavista fez um bom primeiro tempo, mas recuou muito na fase final e não conseguiu suportar a pressão imposta pelo adversário.

Na próxima rodada, o Botafogo vai visitar o Volta Redonda, no Raulino de Oliveira. O Boavista vai receber a Cabofriense em Saquarema.

O jogo – Com uma equipe muito modificada em relação ao ano passado, o Botafogo começou a partida buscando impor um ritmo ofensivo de jogo. Aos três minutos, o primeiro lance de área da equipe alvinegra. Rodrigo Pimpão recebeu na área e chutou cruzado, mas a bola bateu no peito de Edmário e saiu para escanteio.

A resposta da equipe visitante aconteceu aos cinco minutos. Erick Flores foi derrubado por Marcelo Mattos no bico esquerdo da grande área, mas a cobrança não levou perigo para o gol de Jefferson.

O Botafogo atacava muito pela esquerda com Gegê procurando tabelar com o lateral Carleto. Aos oito minutos, Gegê arriscou, de fora da área, e Dida defendeu sem dificuldades.

Bem observado pela marcação do Boavista, o centroavante Bill não balançou a rede adversária (Foto: Vítor Silva)
Bem observado pela marcação do Boavista, o centroavante Bill não balançou a rede adversária (Foto: Vítor Silva) – Credito: Divulgação/Botafogo F. R.
O jogo seguiu muito truncado. Os dois times erravam muitos passes e cometiam muitas faltas. E o Botafogo, embora tivesse maior posse de bola, não conseguia construir situações reais de gol. A equipe alvinegra arriscava lançamentos que eram facilmente contidos pela zaga do Boavista.

Na equipe de Saquarema, todas as ações eram centralizadas no meia Erick Flores que dava muito trabalho a Marcelo Mattos, encarregado da marcação.

Depois da parada técnica, o panorama permaneceu inalterado. Aos 23 minutos, após cruzamento de Jeff Silva, Edu penetrou nas costas da zaga, mas cabeceou nas mãos de Jefferson.

O time dirigido por Renê Simões continuava com dificuldades para organizar jogadas de ataque porque os meias Gegê e Diego Jardel não conseguiam se aproximar dos atacantes Bill e Rodrigo Pimpão. Aos 29 minutos, Gilberto recuperou a bola na defesa e arrancou em direção à área do Boavista, mas o cruzamento do lateral encobriu a trave defendida pelo goleiro Dida.

O Boavista continuava mais organizado e quase surpreendeu o time alvinegro, aos 39 minutos, mas o zagueiro Roger Carvalho conseguiu evitar a conclusão de Anselmo, desviando para Jefferson que aliviou o perigo. Logo depois, o goleiro fez a alegria da torcida ao dar uma caneta no atacante Anselmo.

No último lance importante da primeira etapa, Roger Carvalho desviou uma cobrança de escanteio para Diego Jardel que bateu por cima do travessão do Boavista.

Os dois times voltaram sem modificações para o segundo tempo. E o Botafogo voltou a repetir os erros da etapa inicial, arriscando lançamentos longos para Rodrigo Pimpão e Bill, quase sempre bem marcados. Em dois lances seguidos, o lateral-direito Gilberto se enroscou com zagueiros do Boavista, dentro da área, mas a arbitragem nada viu de irregular nas jogadas.

René gesticulou muito com seus comandados e viu a vitória apertada ser construída (Foto: Vítor Silva/SS Press)
René gesticulou muito com seus comandados e viu a vitória apertada ser construída (Foto: Vítor Silva/SS Press) – Credito: Divulgação/Botafogo F. R.
Aos seis minutos, o Botafogo quase chega ao primeiro gol em lances consecutivos. Gilberto deu uma caneta em Jeff Silva e bateu cruzado. A bola se chocou com a trave esquerda e voltou para Bill que chutou forte e a bola foi de encontro ao travessão. Os lances empolgaram a torcida e fizeram o time partir para cima do adversário. Aos oito minutos, Rodrigo Pimpão chegou primeiro do que os zagueiros em cruzamento de Gilberto, mas colocou a bola por cima do travessão.

Gilberto continuava sendo o principal jogador do Botafogo, levando ampla vantagem no confronto com Jeff Silva que era obrigado a guardar posição para não ser surpreendido.

Aos 20 minutos, o técnico Renê Simões decidiu atender aos torcedores e colocou o atacante Jobson. Na primeira intervenção, Jobson falhou ao dominar a bola quando estava em ótima posição na área. O time melhorou de produção e, aos 27 minutos, Jobson recebeu na entrada da área e bateu forte, mas a bola saiu.

O Boavista parecia satisfeito com o resultado e quase não chegava na área alvinegra. Dois minutos, Jobson quase marcou, mas Bruno Costa salvou, bloqueando o chute do atacante. No minuto seguinte, Diego Jardel fez grande lançamento para Fernandes que entrou livre, mas preferiu fazer o passe para Jobson e desperdiçou a oportunidade.

O técnico Renê Simões decidiu tornar a equipe mais ofensiva e trocou o meia Diego Jardel pelo atacante Sassá. Aos 37 minutos, o Botafogo marcou seu primeiro gol na competição. Carleto bateu escanteio e o zagueiro Roger Carvalho se antecipou ao goleiro Dida para cabecear para as redes.

Em vantagem, o Botafogo criou boas chances para ampliar, principalmente com Sassá que desperdiçou as duas boas oportunidades que teve para dar ao Botafogo uma vitória mais folgada.

Coube ao recém-contratado Roger Carvalho marcar o gol da vitória botafoguense (Foto: Vítor Silva/SS Press)
Coube ao recém-contratado Roger Carvalho marcar o gol da vitória botafoguense (Foto: Vítor Silva/SS Press) – Credito: Divulgação/Botafogo F. R.