Em duelo sonolento, Bahia e Cruzeiro ficam no empate

Do correspondente Marcellus Madureira - Belo Horizonte , MG
02/12/2018 19:00:45

Em: Bahia, Bastidores, Brasileiro Série A, Campeonatos, Cruzeiro
Zé Rafael se despediu do Bahia (Foto: Felipe Oliveira/ECB)

Não foi um duelo animador. O primeiro tempo melhor, mas o segundo bastante desanimador. Assim foi o empate sem gols entre Bahia e Cruzeiro, na tarde deste domingo, no Estádio de Pituaçu.

O primeiro tempo, em algum momento, foi animado, com chances criadas, mas nada muito alarmante. Já o segundo tempo foi ruim tecnicamente, com dois clubes cumprindo tabela. O que pode ser mais destacado é a despedida do meia Zé Rafael, que deixa o Bahia rumo ao Palmeiras.

O resultado deixa o Cruzeiro na oitava colocação, com 53 pontos, tranquilo com a vaga na Libertadores com a conquista da Copa do Brasil. Já o Bahia ficou com 48 tentos, na 11ª posição, e a vaga na Copa Sul-Americana de 2019.

Primeiro tempo

Os primeiros minutos mostraram o Cruzeiro impondo dificuldades para o Bahia sair jogando. O Tricolor tinha problemas para encontrar espaços e quando entrava no campo ofensivo a Raposa já forçava a marcação e ganhava à redonda. A primeira boa chegada do time mineiro ocorreu aos 5 minutos, em chute de Raniel, mas o goleiro conseguiu se virar.

Aos 8 minutos a Raposa chegou novamente com perigo. O atacante Sassá fez grande jogada, carregou a bola para a direita e chutou. A redonda parou na trave e, no rebote, Raniel não conseguiu aproveitar.

O Bahia cresceu após os 10 minutos de jogo. A equipe conseguiu se desvencilhar da marcação pesada que o Cruzeiro colocou no campo ofensivo. A primeira chegada Tricolor ocorreu aos 13 aproveitando falha de Lucas Silva, na área, Nilton chutou e a bola passou pela direita. Em seguida, em jogada pela esquerda, Edigar Junio quase marcou, mas mandou por cima.

A partida passou a ficar muito igual na metade do primeiro tempo. As duas equipes se equivaliam em campo, o Cruzeiro contava com alguma desorganização no meio campo e não conseguia ser mais intenso. Já o Bahia perdeu em qualidade.

Segundo tempo

O fim de churrasco de domingo certamente é mais animado que o retorno para o segundo tempo. As equipes não conseguiam se encontrar e a partida ficou ruim tecnicamente.

O Cruzeiro não conseguia aproveitar alguma superioridade técnica no meio campo e o Bahia abusava da organização defensiva, mas pouca qualidade para descer ao ataque e criar chances.

A primeira chance criada na etapa complementar aconteceu aos 13 minutos. O volante Nilton carregou a bola e chutou, de longe, e a bola não levou qualquer perigo. Minutos depois, em boa chegada do Bahia, Gilberto ficou cara a cara com Rafael, mas caiu no gramado.

O Cruzeiro passou a apostar então nas chegadas pelas pontas e contra-ataques. O Bahia, por jogar em casa, colocava mais volume e tentava aproveitar o lado esquerdo celeste que claramente estava mais pressionado

FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 X 0 CRUZEIRO

Local: Estádio de Pituaçu, Bahia
Data: 02 de dezembro de 2018
Horário: 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
Cartões: Manoel (Cruzeiro); Elton (Bahia)

BAHIA: Anderson; Flávio, Douglas Grolli, Lucas Fonseca, Léo, Nilton, Elton, Ramires, Zé Rafael, Edigar Junio, Gilberto Técnico: Enderson Moreira

CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Manoel, Cacá e Patrick Brey; Lucas Romero, Lucas Silva e Ederson; David, Raniel e Sassá
Técnico: Sidnei Lobo