STF revoga pedido de condução coercitiva de Coronel Nunes

São Paulo, SP

10-03-2016 22:48:42

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Antônio Carlos Nunes, não terá que depor na CPI do Futebol por meio de uma condução coercitiva. O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), revogou nesta quinta-feira, por meio de uma liminar, a decisão anterior, que havia sido tomada pela Justiça Federal do Pará.

Apesar da revogação do pedido, que havia sido feito pelo senador Romário (PSB-RJ) após o presidente não comparecer à sessão do último dia 2, a presença do mandatário para depor na CPI na próxima quarta-feira, 16 de março, segue sendo obrigatória.

Coronel Nunes justificou a ausência na sessão do dia 2 afirmando que se preparava para a convocação da Seleção Brasileira para os jogos contra Uruguai e Paraguai, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. O mandatário ainda se colocou à disposição para comparecer espontaneamente em outra data e já teve sua presença no dia 16 confirmada pela CBF.

Deixe seu comentário