Rodada do Brasileirão tem protestos contra mudança na Lei Pelé

São Paulo, SP

10/07/22 | 20:58 - 10/07/22 | 21:26

Os jogos deste final de semana no Brasil - principalmente da Série A do Campeonato Brasileiro - foram marcados por protestos dos jogadores sobre o Projeto de Lei 1153/2019. As modificações vão mexer principalmente na Lei Pelé e, na visão dos atletas, irá ferir em direitos trabalhistas.

Em todos os jogos deste final de semana, os jogadores colocaram a mão na boca como protesto, mesmo com a partida já tendo sido iniciada. Os atletas alegam que não foram ouvidos para a mudança, ao contrário dos clubes de futebol.

A grande discordância dos atletas vem em relação à redução e parcelamento da cláusula compensatória desportiva. O valor para uma quebra de contrato pode cair em 50% - atualmente é equivalente ao total dos salários até o fim do contrato.

O projeto também traz a possibilidade de aumento dos direitos de imagens no rendimento total dos atletas, além da possibilidade de redução e de parcelamento das dívidas caso clube e atleta entrem em acordo.

Técnico do São Paulo, o ex-goleiro Rogério Ceni aprovou a postura dos jogadores. "Eu não sabia do protesto. É uma mudança de lei, foi colocada em votação algo que tira vários direitos do atleta de futebol. Está certo. Nenhum atleta foi ouvido, nenhum técnico foi ouvido. O próprio Sindicato dos Atletas nunca fez nada e agora ouvem só os clubes. Não estão tirando benefícios, mas sim direitos. É um deputado que está no ar condicionado, fazendo tudo no escuro", declarou.

O Projeto de Lei 1153/2019 foi aprovado pela Câmara dos Deputados com grande maioria - foram 398 votos a favor do projeto e apenas 13 posições contrárias. Agora, o texto passa para o Senado Federal.

Deixe seu comentário