Platini tem recurso negado, e Comitê de Ética prevê longa suspensão

São Paulo, SP

12-12-2015 10:32:21

Lenda dentro dos gramados, fora deles o ex-meia francês Michel Platini vive momento delicado. Acusado de corrupção, o presidente da Uefa foi suspenso de todas as atividades relacionadas ao futebol em outubro e entrou com recurso na Corte Arbitral do Esporte para reverter tal decisão, mas seu pedido foi negado nesta sexta-feira.

Além disso, se depender do Comitê de Ética da Fifa, órgão que o afastou, ele ainda está longe de poder voltar a se relacionar com a modalidade. “Platini certamente será suspenso por vários anos”, declarou o porta-voz Andreas Bantel à publicação francesa L’Équipe.

Mas, para manter Platini afastado do futebol por mais tempo, a Fifa precisará julgar o caso apropriadamente. Isso porque, apesar de manter o afastamento, a CAS ordenou que o francês não tenha sua suspensão preventiva de 90 dias estendida após seu término, no dia 5 de janeiro de 2016.

A decisão do órgão se baseia no fato de que a atual punição, imposta ao dirigente no dia 7 de outubro, “não causa dano irreparável” a ele, uma vez que sua interrupção neste momento não definiria sua candidatura nas eleições à presidência da Fifa, marcada para fevereiro do próximo ano. Mas o cenário seria outro se, em janeiro, ele fosse afastado novamente.

O francês foi suspenso ao lado do mandatário da entidade máxima do futebol mundial, Joseph Blatter, por ter recebido dele um pagamento de 2 milhões de francos suíços (R$ 7,8 mi) em 2011. A justificativa de Platini é de ter prestado consultoria, mas o comprovante que teria apresentado – um comunicado interno da Uefa – não é considerado válido pelo Comitê de Ética.

Com a manutenção de seu afastamento, Platini também viu frustrados seus planos de participar do sorteio dos grupos da Euro 2016, que acontece às 15 horas (de Brasília) deste sábado, em Paris, capital do país-sede.

Deixe seu comentário