Federação chilena se irrita com Sampaoli e desiste de negociar saída

São Paulo, SP

14-01-2016 21:27:29

Sampaoli entrou em rota de colisão com a Federação Chilena (foto: Claudio Reyes/AFP)
Sampaoli entrou em rota de colisão com a ANFP, que quer técnico definido para a Copa de 2018 (foto: Claudio Reyes/AFP)

A postura do treinador Jorge Sampaoli, de expressar publicamente seu desejo de deixar o comando da seleção chilena para, assim, ser liberado do contrato vigente, irritou a Associação Nacional de Futebol Profissional, entidade máxima da modalidade no país.

Nesta quinta-feira, a ANFP emitiu comunicado oficial garantindo que encerrou suas negociações com o técnico para definir sua saída em termos diferentes daqueles que estão estabelecidos em seu vínculo profissional, que vai até o fim de 2018. Para deixar o cargo, há multa rescisória de US$ 6,3 milhões (R$ 25,3 mi pela cotação atual).

Diante da vontade de Sampaoli dar sequência à sua carreira em outro lugar, a entidade diz ter feito quatro reuniões com o argentino e oferecido diminuir a multa rescisória pela metade, para cerca de R$ 12,6 milhões, até com parcelamento desse valor. Mas, diante da recusa do técnico, encerrou as tratativas e transformou-as em caso jurídico.

“Nossa diretoria, como já foi reiterado, se apegará e respeitará o cumprimento dos contratos firmados voluntariamente. Dito isto, pusemos todos os antecedentes nas mãos de nossa equipe de advogados”, diz a nota.

Assim, a situação do treinador, que está entre os nomes considerados pelo Chelsea para assumir o time na próxima temporada e pelo Porto para substituir Julen Lopetegui, fica mais complicada. O argentino foi eleito terceiro melhor treinador de 2015 na premiação da Bola de Ouro, atrás do ganhador Luis Enrique e de Pep Guardiola.

Sampaoli ganhou grande prestígio no Chile após a conquista da Copa América no território do país, primeira conquista oficial da Roja. Sua imagem começou a se desgastar quando o então presidente da ANFP, Sergio Jadue, com quem tinha relação de confiança, foi preso acusado de ligação com o escândalo de corrupção na Fifa. Então, vislumbrou a possibilidade de deixar o cargo, dependendo de quem fosse eleito para subsitui-lo.

Nas eleições do último dia 4 de janeiro, Arturo Salah foi o nome escolhido para guiar a entidade. Aparentemente, os projetos da nova administração não agradaram ao argentino, que primeiramente assumiu postura misteriosa e depois declarou abertamente que gostaria de seguir a carreira em outro lugar. Sampaoli também é acusado de evasão fiscal no Chile, onde passou de herói nacional a vilão em poucos meses, e recentemente chegou a ser recebido com cusparadas ao desembarcar no país.

Deixe seu comentário