Futebol/Campeonato Brasileiro

Nos acréscimos, Flamengo arranca empate com a Chapecoense

Gazeta Press - Rio de Janeiro, RJ
25/05/2016 23:07:24 — 26/05/2016 01:01:12

Em: Campeonato Brasileiro Série A, Chapecoense, Flamengo, Futebol
(Foto: Gilvan de Souza/CRF)
Felipe Vizeu abriu o placar, mas o Flamengo teve que correr atrás do empate até o fim do jogo (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

O Flamengo mostrou nesta quarta-feira que ainda não saiu da crise ao empatar por 2 a 2 com a Chapecoense, em Volta Redonda. Os rubro-negros até saíram na frente, mas sofreram a virada e marcaram nos acréscimos para igualar o placar. Com o resultado, os cariocas chegaram a quatro pontos no Campeonato Brasileiro,enquanto os catarinenses fazem bom início de Série A e estão com cinco.

Os donos da casa pareciam que estavam em noite inspirada, pois abriram o placar aos sete minutos, com Felipe Vizeu. No entanto, a Chapecoense empatou em seguida, com Bruno Rangel, em cobrança de pênalti inexistente. No segundo tempo, já com um homem a menos após a expulsão de Everton, o Flamengo viu os catarinenses virarem em gol de falta de Hyoran. Só que nos acréscimos, em nova penalidade que não aconteceu, os cariocas empataram com Alan Patrick.

Na próxima rodada, o Flamengo terá pela frente a Ponte Preta, na manhã de domingo. Já a Chapecoense vai receber na noite anterior o Santa Cruz, na Arena Condá.

O Jogo – O Flamengo começou a partida pressionando a Chapecoense em seu campo de defesa. A marcação surtiu efeito e os rubro-negros não demoraram a abrir o placar em Volta Redonda. Aos sete minutos, Everton foi lançado pela esquerda e cruzou rasteiro para o jovem Felipe Vizeu apenas tocar para a rede.

Só que a alegria dos flamenguistas durou exatos cinco minutos, pois, aos 12 minutos, a Chapecoense chegou ao empate. Lucas Gomes disputou bola com Juan e caiu na área. O árbitro marcou pênalti e, na cobrança, Bruno Rangel colocou na rede.

(Foto: Gilvan de Souza/CRF)
Alan Patrick foi o responsável pelo gol que trouxe tranquilidade para o Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

O Flamengo sentiu o golpe e viu a Chapecoense equilibrar o jogo. Com espaço, os catarinenses chegavam com mais facilidade ao ataque e quase viraram aos 20 minutos. Cleber Santana cobrou falta de longe e quase acertou o ângulo de Paulo Victor, que fez a defesa.

Com o passar do tempo, a Chapecoense fez prevalecer sua maior organização em campo e passou a ter o controle da partida. Enquanto o Flamengo parou de criar boas jogadas, os catarinenses encaixavam contra-ataques, principalmente com Lucas Gomes pela direita. No entanto, os visitantes não conseguiam finalizar com perigo.

Somente aos 42 minutos, os donos da casa chegaram próximo de marcar. Marcelo Cirino foi lançado na área, mas chutou por cima do travessão. Assim, o confronto foi para o intervalo com a igualdade no placar.

No segundo tempo, o Flamengo voltou com mais vontade e disposto a marcar o segundo gol. No entanto, os rubro-negros sofriam com a boa marcação da Chapecoense. Os catarinenses não se arriscavam e buscavam os avanços nos contra-ataques.

Sem muitos lances de perigo, o jogo ganhou emoção aos 22 minutos, quando o meia Everton fez falta dura em Josimar e recebeu o cartão vermelho de forma direta, deixando o Flamengo com um homem a menos.

(Foto: Gilvan de Souza/CRF)
A Chapecoense endureceu o jogo e quase saiu de Volta Redonda com os três pontos (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

A partir dai, a Chapecoense passou a dominar a partida e chegar perto do gol. Aos 28 minutos, os visitantes desperdiçaram duas grandes chances de marcar. Primeiro, Bruno Rangel recebeu na pequena área e finalizou em cima de Paulo Victor. No rebote, Lucas Gomes passou por um marcador e chutou para mais uma grande defesa do goleiro carioca.

De tanto insistir, os catarinenses chegaram ao segundo gol aos 34 minutos. Hyoran cobrou falta com categoria e acertou o ângulo. O goleiro Paulo Victor es esticou, mas não impediu o gol da Chapecoense.

Mesmo após o gol, a Chapecoense seguiu melhor e desperdiçando boa chances de ampliar. O Flamengo, na base da raça, ainda buscou o empate, mas tinha dificuldade em conseguir fazer as finalizações. Só que nos acréscimos, o árbitro marcou pênalti para os rubro-negros após a bola bater na mão do zagueiro Marcelo. Alan Patrick cobrou no canto para igualar o marcador e dar números finais no Raulino de Oliveira.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 X 2 CHAPECOENSE

Local: Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)
Data: 25 de maio de 2016 (Quarta-feira)
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Diego Almeida Real (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
Renda: R$ 34.270,00
Público: 2.252 pagantes
Cartões amarelos: Juan, Léo Duarte, Ederson e Jorge (Flamengo); Marcelo (Chapecoense)
Cartão vermelho: Everton (Flamengo)

GOLS
FLAMENGO: Felipe Vizeu, aos 7min do primeiro tempo; Alan Patrick, aos 50min do segundo tempo
CHAPECOENSE: Bruno Rangel, aos 12min do primeiro tempo; Hyoran, aos 34min do segundo tempo

FLAMENGO: Paulo Victor, Rodinei, Juan (Rafael Dumas), Léo Duarte e Jorge; Márcio Araujo, Willian Arão, Alan Patrick e Everton; Marcelo Cirino (Emerson Sheik) e Felipe Vizeu (Ederson)
Técnico: Jayme de Almeida

CHAPECOENSE: Danilo, Gimenez, Marcelo, Thiego e Dener; Gil, Josimar e Cleber Santana; Silvinho (Rodrigo Andrade), Lucas Gomes (Hyoran) e Bruno Rangel (Kempes)
Treinador: Guto Ferreira