Nicolás Schiappacasse, atacante ex-Peñarol, é condenado por tráfico de armas no Uruguai

AFP - São Paulo,SP

07/04/22 | 20:43 - 07/04/22 | 20:46

A justiça do Uruguai condenou o atacante Nicolás Schiappacasse, ex-jogador do Peñarol, a um ano e dois meses de prisão domiciliar por tráfico de armas, nesta quinta-feira. O atleta pertence atualmente ao Sassuolo da Itália.

Schiappacasse, de 23 anos, foi considerado “autor penalmente responsável por reiterados delitos de tráfico de armas de fogo e munições”, disse à imprensa o diretor de Comunicação da Promotoria do Uruguai, Javier Benech.

O jogador já cumpriu dois meses e 12 dias da sentença desde que foi detido em prisão preventiva no dia 28 de janeiro.

A partir desta quinta-feira, ele terá que cumprir seis meses de prisão domiciliar, com autorização para treinar e jogar pelo clube El Tanque Sisley de Montevidéu, que atualmente não participa de nenhuma liga profissional.

Após esse período, o jogador terá que se apresentar a uma delegacia uma vez por semana por mais seis meses para prestar serviços comunitários.

“Ele está expressamente proibido de participar de qualquer tipo de evento esportivo, exceto quando for como membro do elenco para participar dos jogos", explicou Benech.


Schiappacasse foi detido em janeiro e teve apreendida uma pistola 9mm quando dirigia em uma rodovia a caminho da cidade de Maldonado, próxima a Punta del Este, para assistir como torcedor um clássico amistoso entre Peñarol e Nacional.

Quando a polícia questionou a finalidade da arma, que estava carregada e escondida por debaixo de sua roupa, ele disse que era para integrantes de uma torcida barra brava do Peñarol.

De acordo com a investigação da Promotoria, “em reiteradas oportunidades” o jogador “adquiriu armas de fogo e munições sem a devida autorização”.

Deixe seu comentário