Surpreso, Cueva revela aprendizado com cartão levado no Majestoso

José Victor Ligero - São Paulo,SP

20-07-2016 07:00:27

O atacante peruano ressaltou que a advertência o ajuda a entender a arbitragem brasileira

Autor do gol do São Paulo no empate por 1 a 1 com o Corinthians, no último domingo, Christian Cueva se declarou surpreso por ter sido advertido com cartão amarelo devido à sua comemoração, alegando não ter desrespeitado o arquirrival. Após abrir o placar em cobrança de pênalti, o peruano celebrou o tento com a mão junto à orelha, como se quisesse ouvir a reação da torcida alvinegra, única presente no Estádio de Itaquera.

"Me surpreendeu que me desse o cartão amarelo. Nunca quis faltar com respeito a nada. Para mim, cada vez que jogo trato de desfrutar e comemorar os gols como sinto. Aconteceu de uma maneira especial, é um clássico, duas equipes grandes, e me dá oportunidade de seguir crescendo no São Paulo", explicou o atacante, antes de admitir que precisa conhecer mais sobre o futebol brasileiro.

"Nunca pensei que me fosse dar o cartão amarelo. Mas isso também te ensina a saber um pouco mais sobre a torcida, o árbitro, o país, e o rival", acrescentou, enxergando o lado positivo da advertência.

Contratado no início de junho com um vínculo de quatro temporadas, Cueva afirmou ter noção da importância de marcar um gol no Majestoso e disse estar acostumado a esse tipo de partida. "Fui conversando com os companheiros, com as pessoas do clube. Mas, fora isso, sabemos que era um clássico. No meu país também joguei clássicos. Clássicos se ganham. São partidas especiais. E por isso estou muito agradecido e a cada partida vou entregar o melhor de mim para tentar ser campeão, que é a ideia de todos", contou o camisa 13, ex-César Vallejo, do Peru.

Nono colocado do Campeonato Brasileiro, com 22 pontos, o São Paulo volta a campo no próximo domingo, às 16 horas (de Brasília), para enfrentar o Grêmio, em Porto Alegre, pela 16ª rodada do torneio nacional. Caso volte a marcar, Cueva já sabe como irá comemorar.

"A próxima celebração será na hora. Eu gostaria de fazer gols em todos os jogos e o São Paulo ganhar os jogos. Sempre celebro para minha filha, meus país, sempre assim. E o restante veio na consequência, isso é futebol, tem que sentir o que acontece", concluiu o peruano de 24 anos.

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do São Paulo?