Situação e oposição do São Paulo lançam candidaturas nesta quarta

São Paulo, SP

22-02-2017 08:00:11

A história política do São Paulo ganhará mais um capítulo na noite desta quarta-feira. Separados por menos de 300 metros, situacionistas e opositores lançarão oficialmente seus candidatos à presidência do clube para o pleito de abril. Os anúncios ocorrerão em diferentes casas de eventos do bairro Itaim Bibi, na Zona Sul da capital paulista, e em horários muito próximos.

A partir das 19h30 (de Brasília), a chapa “São Paulo de Verdade”, à qual pertence o atual mandatário Carlos Augusto de Barros e Silva, deverá confirmar Roberto Natel como candidato a vice geral e Marcelo Abranches Pupo Barboza para a presidência do Conselho Deliberativo.

Agora parceiro de Leco, Natel havia entregado a vice-presidência geral do clube em setembro para concorrer com o atual mandatário. No entanto, ele foi demovido da ideia e se uniu novamente à situação por conta da presença constante do ex-CEO Alexandre Bourgeois na campanha de José Eduardo Mesquita Pimenta, candidato da oposição.

Demitido duas vezes em 2015, primeiro por Aidar e depois por Leco, Bourgeois tem a confiança do empresário e consultor Abílio Diniz, apoiador da candidatura de Pimenta e crítico de Leco. Membros da oposição chegaram a procurar Natel em busca de apoio, mas ele preferiu não se juntar ao grupo que sempre rivalizou com o dele nos bastidores do clube, e voltou a unir forças com o atual mandatário.

Ex-presidente, Pimenta será o candidato da oposição do São Paulo (Foto: Divulgação)
Ex-presidente, Pimenta será o candidato da oposição do São Paulo (Foto: Divulgação)

Já a chapa “Por um São Paulo Gigante e Vencedor” ainda não definiu o nome do vice geral e do presidente do Conselho Deliberativo. O evento está marcado para começar às 19 horas.

Pimenta ocupou a presidência do Tricolor entre 1990 e 1994, período em que o clube se sagrou bicampeão da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes. Sua campanha é coordenada por José Roberto Ópice Blum, que cogitou disputar as eleições pela oposição.

Antes do fim de seu mandato em 1994, Pimenta deixou o Morumbi para assumir a Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo no governo do então prefeito Paulo Maluf. Meses depois, entretanto, recebeu denúncias de que havia pedido comissão na negociação do ex-atacante Mário Tilico para o Logroñes, da Espanha, que não se concretizou, e foi expulso do Conselho Deliberativo. Pouco mais de dois anos depois, ele reuniu provas e foi readmitido no clube.

Pelo novo estatuto aprovado em dezembro de 2016, estas serão as últimas eleição a serem realizadas em abril. As seguintes passarão a acontecer no mês de dezembro. Portanto, o próximo presidente terá um mandato de 3 anos e nove meses.

Deixe seu comentário