São Paulo agora soma 11 expulsões nos últimos 12 jogos da Conmebol

Tiago Salazar e José Victor Ligero - São Paulo,SP

10-05-2018 09:00:08

O torcedor do São Paulo pode não estar 100% satisfeito com o time nessa temporada, mas ao menos nessa quarta-feira ganhou um alento com a classificação da equipe à segunda fase da Copa Sul-Americana. A vitória por 1 a 0 em cima do Rosario Central resgatou das arquibancadas até o grito de “time de guerreiros”. Isso muito pelo fato do tricolor ter terminado o confronto com dois jogadores a menos.

Já nos acréscimos, Christian Cueva e Petros receberam cartões vermelhos e mantiveram uma curiosa sina do clube. Agora, são 11 expulsões nos últimos 12 jogos do São Paulo em torneios da Conmebol. Dessa série, em quatro confrontos o tricolor conseguiu terminar com todos os jogadores em campo, ou seja, as 11 expulsões estão distribuídas em apenas oito partidas.

Desde o duelo com o River Plate, no Morumbi, pela fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2016, o Tricolor Paulista só não teve pelo menos um jogador expulso nas vitórias sobre Toluca e Atlético-MG, em casa, por 4 a 0 e 1 a 0, respectivamente, e na derrota para o mesmo Galo, em Minas, por 2 a 1. Todos em confrontos pela Libertadores de 2016. Pela Copa Sul-Americana, o time passou ileso do cartão vermelho no empate por 1 a 1, no Morumbi, com o Defensa y Justicia, ano passado.

“O Lugano falou antes do jogo que era para a gente terminar com os 11 em campo. Ainda assim tivemos duas expulsões. Mas é assim mesmo, eles catimbam, é difícil. É trabalhar para ter mais maturidade para terminar com 11”, comentou Sidão, após a confirmação da vaga nessa quarta.

“O jogo foi mudando. Começamos bem, primeiros 20, 25 minutos tivemos chances de fazer gol, mas não conseguimos. O Rosário começou a crescer também. Foi um jogo um pouco complicado, mas tínhamos que passar de qualquer jeito e conseguimos. O que aconteceu no final, os jogadores ficaram nervosos, não deveria ter acontecido”, minimizou Diego Aguirre”.


A curiosidade é que Rodrigo Caio foi o único jogador dessa série a ser expulso ainda no primeiro tempo. Todas os outros dez que receberam o cartão vermelho duraram pelo menos até os 27 minutos da etapa final de seus jogos.

Tudo começou quando João Schmidt teve de ir para o vestiário mais cedo, aos 43 minutos do segundo tempo, durante o triunfo são-paulino sobre o River Plate no Morumbi, por 2 a 1, em 13 de abril de 2016. Essa ficou na conta do árbitro uruguaio Andrés Cunha.

Oito dias depois, Denis e Calleri foram expulsos nos acréscimos do duelo com o The Strongest, no estádio Hernando Siles, em La Paz, em jogo que confirmou a classificação tricolor às oitavas de final graças a um empate por 1 a 1. O árbitro era o chileno Roberto Tobar.

Já pelo mata-mata da Libertadores daquele ano, o São Paulo avançou, mas perdeu para o Toluca por 3 a 1 no estádio Nemesio Díez, no México, e teve Centurión expulso nos acréscimos da etapa final pelo árbitro colombiano Wilson Lamouroux.

Pelas semifinais, foi a vez de Maicon ser o vilão. Na ocasião, o zagueiro tricolor recebeu cartão vermelho aos 27 do segundo tempo da partida contra o Nacional de Medellín e acabou colaborando para a vitória dos visitantes por 2 a 0 no Morumbi. O argentino Mauro Vigliano apitou aquele jogo.

No reencontro, no estádio Atanasio Girardot, na Colômbia, novo revés, dessa vez por 2 a 1, mas com muita reclamação por parte do time brasileiro, que acabou tendo Lugano e Wesley expulsos aos 35 minutos do segundo tempo pelo chileno Patricio Polic.

Fora da Libertadores em 2017, o São Paulo disputou a Copa Sul-Americana, e caiu logo na primeira fase para o modesto Defensa y Justicia, em um vexame histórico. No primeiro embate entre as equipes, no estádio argentino Néstor Díaz Pérez, Buffarini deixou o tricolor com um jogador a menos aos 30 minutos do segundo tempo, depois de ser advertido pelo árbitro venezuelano Jesús Valenzuela.

Nessa quarta, foi a vez de Cueva e Petros, um aos 45 e o outro aos 48 minutos do segundo tempo, perderem a razão durante o triunfo com o Rosario Central, pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

Das oito partidas citadas em que acabou tendo um jogador expulso, o São Paulo só venceu duas. Empatou três e foi derrotado em outras três.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

 

Deixe seu comentário