Para Bauza, nem vitória no clássico amenizará “amargura” por eliminação

Tiago Salazar - São Paulo,SP

15-07-2016 12:14:29

O técnico Edgardo Bauza não fez força para esconder sua irritação pela forma como o time caiu na Libertadores, na quarta (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)
O técnico Edgardo Bauza não fez força para esconder sua irritação pela forma como o time caiu na Libertadores, na quarta (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

O São Paulo se reapresentou na manhã desta sexta-feira no CCT da Barra Funda após a queda do time da Copa Libertadores da América e já iniciou os trabalhos de olho no clássico contra o Corinthians, neste domingo, em Itaquera. Sem tempo para absorver o revés em Medellín, o técnico Edgardo Bauza admitiu, em entrevista coletiva, que nem mesmo uma vitória inédita do clube sobre o arquirrival na Arena será suficiente para fazer com que os são-paulinos esqueçam a queda para o Atlético Nacional da Colômbia em uma partida marcada pela polêmica arbitragem do chileno Patricio Polic.

“Ganhar um clássico sempre é bom, mas não vai trocar nossa a amargura que temos. A amargura vai demorar um tempo para passar. Obviamente que ganhar um clássico sempre faz bem. Vai ser uma boa partida, com duas equipes com ambições. Precisamos fazer uma boa partida”, afirmou Patón, que por isso trabalha em cima do lado psicológico de seus comandados.

“Hoje falamos com nossos atletas. Tem sido muito doloroso, mas ficamos entre os quatro melhores da América, o que não é pouca coisa, e fizemos o possível para chegar à final. Agora, vamos nos dedicar ao campeonato local e vamos tratar de focar para terminar bem. Teremos uma partida difícil como visitante”, completou.

Durante toda a entrevista, Bauza externou reclamações e fez citações sobre a semifinal da Libertadores mesmo quando não era questionado sobre o tema. Ficou claro que o comandante Tricolor ainda não engoliu a queda no torneio continental, mas percebeu um grupo fortalecido desde então.

“Sobre a arbitragem, não foi somente pelo pênalti que nos sentimos prejudicados. E falamos com os atletas que temos de sair dessa posição. Não se pode ganhar sempre. Nos sentimos satisfeitos pelo que jogamos e agora, em um campeonato tão duro e difícil como Brasileiro, vamos tentar, amanhã, ver quem são os melhores atletas para formar a equipe e tentar ganhar do Corinthians”, comentou, antes de mais uma cutucada e um aviso sobre o futuro do clube, que busca reforços para o restante da temporada.

“O mais importante de tudo é que não seremos dirigidos por (Patricio, árbitro) Polic. A partir disso, a diretoria está trabalhando com vários nomes para poder encorpar a equipe. Podemos saber essa semana se vamos conseguir. Não podemos dar nomes. Mas, sim, estamos atrás para reforçar a equipe e tentar potenciar o time, e depois é trabalhar e trabalhar no campo”, encerrou o técnico.

Deixe seu comentário