Marco Aurélio se incomoda com pergunta sobre zona de rebaixamento

São Paulo, SP

06-10-2016 07:00:10

Marco Aurélio Cunha segue dando a cara à tapa no São Paulo. Nesta quarta-feira, mais uma vez o executivo de futebol foi o dirigente responsável por acompanhar a delegação em Recife, onde a equipe não passou de um empate por 1 a 1 com o Sport. O resultado faz com que o Tricolor do Morumbi tenha de secar seus rivais para não terminar a 29ª rodada do Campeonato Brasileiro a apenas dois pontos da zona de rebaixamento. Mesmo assim, o dirigente não gostou quando foi questionado sobre a possibilidade de ficar marcado como membro da diretoria que caiu com o time à Série B.

“Nem posso imaginar uma coisa dessa, embora me preocupe. Essa forma de perguntar não é legal, até porque nós não estamos na zona de rebaixamento. Por que você me pergunta isso se temos outros times grandes mais perto da zona do que o São Paulo?. Não vejo por que perguntar isso nesse momento em que viemos aqui e conseguimos um empate fora de casa que pode ser importante”, disse Marco Aurélio, claramente incomodado, mas se esforçando para não perder a calma.

O homem forte do futebol do São Paulo voltou a reafirmar que o campeonato do Tricolor é jogo a jogo, sem grandes projeções e novamente evitou ao máximo falar em luta contra o rebaixamento.

“O planejamento não para, estamos sempre conversando a respeito e o mais importante é ganhar pontos para a gente ficar tranquilo quanto a essa questão da zona de rebaixamento. É fazer pontos, o máximos possível, para sempre estar distante dos últimos colocados. Essa é a missão: fazer pontos”, explicou, demonstrando muita resistência em assumir a luta contra o descenso.

Para finalizar, Marco falou sobre seu comentário em um post de Jonathan Calleri na rede social Instagram, que acabou gerando muita repercussão. Muitos viram o gesto como uma expectativa de retorno do centroavante argentino, enquanto outros repudiaram a “brincadeira” em meio a crise são-paulina. “Que tal conversarmos”, escreveu o dirigente.

“Escrevi porque eu me dou bem com ele. Estivemos juntos na Olimpíada, conversamos bastente, então, mandei “vamos conversar”. Se as coisas fossem fáceis como uma postagem no Instagram eu falaria com o Messi. Foi só um comentário habitual”, disse, tentando encerrar e minimizar o tema.

Deixe seu comentário



×
Quer receber notícias do São Paulo?