Cunha provoca, mas vê benefícios ao Tricolor com avanços de rivais

José Victor Ligero - São Paulo,SP

27-08-2016 11:29:28

Coordenador de futebol feminino da CBF e conselheiro do São Paulo, Cunha vê melhorias de rivais como algo positivo para o São Paulo (Foto: Lucas Figueiredo/ MoWa Press)
Conselheiro do São Paulo vê melhorias de rivais como algo positivo para o São Paulo (Foto: Lucas Figueiredo/ MoWa Press)

Conhecido, também, pelo estilo provocador, o conselheiro do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, ironizou os rivais Corinthians e Palmeiras. Em conversa com jornalistas na última sexta-feira, no CCT da Barra Funda, o ex-diretor de futebol do clube foi questionado sobre a má fase em que vive o Tricolor, 11º colocado no Campeonato Brasileiro, enquanto a dupla adversária aparece na parte de cima da tabela, vivendo em clima mais ameno.

“São ciclos de oportunidades, aproveitaram para construir novas arenas, o São Paulo reinou com o Morumbi durante 40 anos – a única diferença é que o nosso é pago, tudo direitinho, já os outros têm um compromisso grande a ser cumprido”, ironizou Cunha.

O conselheiro são-paulino referiu-se ao fato de que o Palmeiras se tornará proprietário do Palestra Itália somente em 2044, quando o vínculo com a construtora WTorre se encerrar, enquanto o Corinthians tem suas receitas de bilheterias “congeladas” para pagar o financiamento da construção do Estádio de Itaquera.

Em seguida, no entanto, Marco Aurélio ponderou ao elogiar a modernização pela qual Palmeiras e Corinthians passaram nos últimos anos. “Mas estão de parabéns porque melhoraram a tecnologia do treinamento, os seus centros de treinamento, têm hoje um grande volume de sócios torcedores, são equipes constituídas, bem profissionais, bem dirigidas, e nós também somos”, acrescentou, enfatizando que o avanço dos rivais tricolores pode ajudar o próprio São Paulo a evoluir.

“Quanto mais nossos adversários foram melhores, melhores nós temos que ser. Ao contrário de achar ruim, eu acho bom. Temos de ter adversários potentes pra gente não achar que ganha do Juventude, e perde”, concluiu, recordando a derrota por 2 a 1 para a equipe de Caxias do Sul, que atualmente disputa a terceira divisão nacional, na última quarta-feira, em pleno Morumbi, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Marco Aurélio Cunha trabalhou como diretor de futebol do São Paulo entre 2002 e 2008, sendo nesse período campeão da Copa Libertadores e do Mundial, em 2005, e ajudando o clube a conquistar o tricampeonato brasileiro, de 2006 a 2008. Atualmente coordena o futebol feminino na CBF.

Deixe seu comentário