Com menos "chefes", Tricolor se reapresenta em busca da Libertadores

Tomás Rosolino - São Paulo,SP

11/11/15 | 18:04 - 12/11/15 | 19:31

Os jogadores tiveram de passar por um circuito físico após dois dias de folga dos treinos

Os jogadores iveram de passar por um circuito físico após dois dias de folga dos treinos (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)
Os jogadores tiveram de passar por um circuito físico após dois dias de folga dos treinos (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Após dois dias de folga, o elenco do São Paulo se reapresentou nesta quarta-feira de comando novo, enxuto e com todas as atenções voltadas na esperança de levar uma vaga para a Taça Libertadores do ano que vem. Observados apenas pelo técnico interino Milton Cruz e o chefe de preparação física, Zé Mario Campeiz, incumbidos da missão de chegar ao torneio continental após a demissão de Doriva e seus auxiliares, os jogadores realizaram um treinamento físico e técnico no CCT da Barra Funda.

A atividade mostrou algumas mudanças em relação ao que realizava o ex-técnico, demitido durante a folga dada ao elenco. Em vez de trabalhos sem bola e foco nos exercícios sentados ou estáticos, como fazia antigo preparador físico Anselmo Sbragia, a nova velha dupla tricolor montou um circuito para os atletas. Primeiro eles tinham de fazer um "zigue-zague" entre obstáculos, depois um exercício de saltos e, no final, correr com um peso amarrado na região da cintura, que se estendia até o gramado.

Depois de colocar o elenco para suar durante meia hora, Milton e Zé Mario encaminharam os jogadores para um trabalho técnico em campo reduzido. Novamente mostrando diferenças em relação ao "antecessor", com quem também trabalhavam, eles dividiram o grupo em três, fazendo trabalhos simultâneos com cada um deles.

No central, que contava com a presença de Ganso e Alexandre Pato, por exemplo, Denis e Renan Ribeiro defendiam os gols, enquanto os nomes de linha só podiam trocar no máximo dois passes entre si. Nas laterais, o lado esquerdo tinha Luis Fabiano, Wilder, Daniel e alguns outros nomes, enquanto o direito estava recheado de garotos, como Jeferson, Lyanco e Iago Maidana. Com mini-gols, traves em tamanho reduzido, o desafio era roubar a bola e tentar acertá-las de longe.

Os únicos ausentes na atividade, que teve ritmo tranquilo em comparação aos gritos que marcavam as instruções de Sbragia e Eduardo de Souza, o outro auxiliar de Doriva, foram os zagueiros Luis Eduardo e Breno, recuperando-se de lesões no joelho, e o goleiro Rogério Ceni, fora com uma contusão ligamentar no tornozelo direito. Michel Bastos, com gripe, foi poupado, enquanto Rodrigo Caio e Lucão estão a serviço da Seleção olímpica, que tem pela frente dois jogos contra os Estados Unidos.

Com 53 pontos conquistados, o time está um atrás do Santos, atual quarto colocado na tabela do Brasileiro. O próximo embate será diante do vice-líder Atlético-MG, no dia 19, às 22h (de Brasília), no estádio do Morumbi. Além de importante na briga por uma vaga na Libertadores, a partida pode marcar o título Brasileiro do Corinthians, que sairá caso os mineiros não derrotem o Tricolor.

Deixe seu comentário