Ceni defende trabalho após vitória no clássico: “Conhecer como eu conheço o clube? Não vai encontrar”

Marcelo Baseggio - São Paulo,SP

24-06-2022 00:17:22

O técnico Rogério Ceni fez questão de defender seu trabalho após a vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, nesta quinta-feira, no Morumbi, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Bastante criticado depois do revés da última segunda, para o mesmo rival, pelo Campeonato Brasileiro, o comandante tricolor não poupou elogios aos seus atletas, mas também enalteceu a estratégia escolhida para o segundo Choque-Rei desta semana.

Os dois clássicos entre São Paulo e Palmeiras tiveram um roteiro parecido, mas com desfechos diferentes. Em ambos o Tricolor abriu o placar com Patrick, mas no primeiro acabou sofrendo a virada nos acréscimos, levando os torcedores à loucura. Já no segundo, nesta quinta-feira, os comandados de Ceni conseguiram segurar o triunfo por 1 a 0.

“Qualquer um se frustra quando você está vencendo até os 90 minutos e em duas bolas paradas você perde. ‘Não, porque o Miranda não poderia ter entrado’. O Miranda entrou em que minuto hoje? As pessoas às vezes gostam de atacar o treinador porque representa muito a instituição. E eu garanto a você que o melhor cara que pode representar essa instituição nesse momento de dificuldade do clube está aqui”, disse Rogério Ceni.

“Vocês me batem bastante, mas eu fui feito para apanhar dessa maneira. O clube pode fazer a escolha: segue com ele ou troca por outro profissional que comece tudo do zero. Mas, trabalhar como eu trabalho e conhecer como eu conheço o clube? Que tenha tanto conhecimento das pessoas, do lugar… desculpa, você não vai encontrar. Mas, é sempre uma opção”, prosseguiu.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Rogério Ceni também deu ênfase ao fato de o São Paulo, considerando os dois jogos contra o Palmeiras nesta semana, esteve em igualdade ou à frente no placar na maior parte do tempo, o que indica a superioridade de sua equipe nesses Choques-Reis.

“Maior lição que eu tive é acreditar nas próprias convicções. O time que jogou segunda é o mesmo time que jogou hoje. O jogo teve 180, mais os acréscimos, 195 minutos. 194 minutos estivemos em igualdade ou na frente. Um minuto o Palmeiras esteve na frente. Acreditar nas próprias convicções e trabalhar”, comentou.


Ceni também fez questão de parabenizar seus atletas pela postura demonstrada em ambos os duelos com o Palmeiras, considerado tecnicamente superior ao São Paulo, mas que não conseguiu prevalecer na maior parte do tempo dos Choques-Reis.

“Tanto no jogo passado como nesse o mérito que eles tiveram pela dedicação, pela entrega deles. Mesmo time, mesmo jogo. 194 minutos na frente ou em igualdade. Um minuto atrás. Talvez não acreditar no que as pessoas escrevem ou falam, mas nas próprias convicções”, concluiu.

Deixe seu comentário