Ceni classifica empate como infelicidade e explica mudanças: "Fizemos tudo que era possível"

São Paulo, SP

26/06/22 | 22:01

Atuando no Morumbi, o São Paulo ficou apenas no empate de 0 a 0 com o Juventude na noite deste domingo, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na visão do técnico Rogério Ceni, o Tricolor dominou o jogo, mas faltou acertar a pontaria para converter a chances criadas.

“Sendo bem objetivo, faltou o gol. Criamos oportunidades claras. Acho que nunca tivemos tantas chances como hoje. Duas muito claras, dentro da pequena área. Mas, infelizmente, hoje não se transformou em gol tudo o que criamos. Infelizmente não fomos felizes nas conclusões. Foi uma infelicidade a gente não sair com a vitória. Acho que foi o jogo com mais volume do ano”, disse.

De olho no compromisso que terá no meio de semana, o comandante rodou o elenco diante do time gaúcho. Em coletiva, ele explicou as suas escolhas e ainda aproveitou para justificar as mudanças que realizou ao longo do embate. Após começar com quatro defensores, ele mudou para uma linha de três na tentativa de pressionar ainda mais os rivais.

“Fomos com o Léo e seguramos o Diego pois os dois estão com cartão. O jogo se apresentou de tal maneira que tivemos que sufocar o adversário. Tivemos que colocar o Diego pois nas bolas quebradas o Rafinha não consegue ganhar de cabeça. Tivemos que arriscar. No meio, eu deixei o Igor para economizar o Nestor. Na frente segurei o Calleri pois ele vem de vários jogos. Mudei as laterais para dar um descanso. Essa administração de tempo que tento fazer para não ter alguma lesão séria. Alguns vão ser colocados no limite", analisou.

“Começamos com uma linha de quatro e passamos a arriscar cada vez mais com o passar do jogo. Todo segundo tempo jogamos de um a um para um na defesa. As alterações que poderiam ser feitas foram colocadas em prática. Lamento. Dominamos o jogo com um todo. Tivemos bem menos chance na quinta e ganhamos. Se você olhar os números, você vai dizer como pode a gente não ter ganhado. São dias ruins que temos que conviver. Em matéria de volume e repertório, fizemos tudo que era possível", acrescentou.


Com o resultado, o São Paulo foi a 19 pontos, na oitava colocação. O clube está a cinco pontos do Internacional, que abre o G4 da competição.

“Hoje era essencial os três pontos. Era muito importante chegar aos 21 pontos. Mas não deu. Você não consegue os três pontos dentro de casa, criando o número de chances que criamos, é ruim. Mas é ter calma, viver dia após dia”, disse o técnico.

O Tricolor volta a campo agora na quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), quando visita a Universidad Católica-CHI, pela partida de ida das oitavas de final da Sul-Americana.  Já o próximo compromisso pelo Brasileirão é no domingo, às 16 horas, contra o Atlético-GO, fora de casa.

“O Brasileiro é ingrato. Se você não der atenção, ele se volta de tal maneira. Vamos tentar fazer sempre o melhor. Nós estamos priorizando ganhar o próximo jogo. Vencemos o líder e não o lanterna para você ver como é equilibrado. O desafio é passar o dia 18 vivo nas competições. Se não passar na Copa do Brasil e Sul-Americana, não adianta ter um elenco com 35 jogadores também. Por isso você tem que se preparar antes. Vamos ter que sobreviver até o dia 14, onde saberemos em que competições vamos passar", finalizou Ceni.

Deixe seu comentário